A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Pré-visualização | Página 1 de 4

Constitucional
Administração Pública
· Agentes Públicos:
a) Acesso aos cargos, empregos e funções públicas: Conforme o artigo 37, inciso I da CRFB/88, os cargos, empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na forma da lei. Entendimento do STF:
Súmula Vinculante 44: Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público.
Súmula 14: Não é admissível, por ato administrativo, restringir, em razão da idade, inscrição em concurso para cargo público.
A exigência de experiência profissional prevista em edital importa em ofensa constitucional. 
A fixação do limite de idade via edital não tem o condão de suprir a exigência constitucional de que tal requisito seja estabelecido por lei. 
Editais de concurso público não podem estabelecer restrição a pessoas com tatuagem, salvo se esta violar valores constitucionalmente protegidos.
Súmula 686: Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público.
Desta forma, apenas a lei poderá definir os requisitos para acesso a cargos públicos. Se não estiver previsto em lei, não poderá o edital exigir determinado requisito. 
1. Momento de comprovação: 
· Na posse: Regra geral.
· Na inscrição: Limite de idade e prática jurídica para MP e magistratura, DPU, AGU, Procurador da Fazenda Nacional. 
2. Estrangeiros: Podem ter acesso aos cargos públicos, desde que a lei autorize. Cada ente federativo tem autonomia para editar sua lei. Sendo norma de eficácia limitada (enquanto para os brasileiros é norma de eficácia contida). 
b) Concurso Público: O Artigo 37 da CRFB determina que:
II - a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração;
III - o prazo de validade do concurso público será de até dois anos, prorrogável uma vez, por igual período;
IV - durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação, aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e títulos será convocado com prioridade sobre novos concursados para assumir cargo ou emprego, na carreira;
VIII - a lei reservará percentual dos cargos e empregos públicos para as pessoas portadoras de deficiência e definirá os critérios de sua admissão;
IX - a lei estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público;
Este último inciso trata da contratação por tempo determinado. Esse pessoal não está sujeito ao regime estatutário a que se submetem os servidores titulares de cargo efetivo e em comissão, também não está sujeito à CLT. 
Contudo, continuam sendo estatutários, uma vez que têm seu próprio estatuto de regência. Exercem função pública remunerada temporária. É necessário o cumprimento de 03 requisitos:
1. Excepcional interesse público;
2. Temporariedade da contratação;
3. Hipóteses expressamente previstas em lei. 
c) Cargos e funções de confiança: O artigo 37, V, da CRFB/88 diz que: as funções de confiança, exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos, condições e percentuais mínimos previstos em lei, destinam-se apenas às atribuições de direção, chefia e assessoramento. Súmula Vinculante 13: A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal.
NÃO ALCANÇA CARGO DE NATUREZA POLÍTICA.
1. Funções de confiança: São exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo. 
2. Cargo em comissão: Livre nomeação e exoneração. Contudo, há previsão em lei de um percentual mínimo dos cargos em comissão que devem ser ocupados por servidores de carreira. 
Ambos se destinam a atribuições de chefia, direção e assessoramento. 
d) Direitos sociais dos servidores públicos:
1. Associação sindical: VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação sindical. 
2. Greve: VII - o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei específica; 
3. Demais direitos: Conforme determina o art. 39, § 3º da CRFB/88, aplica-se aos servidores ocupantes de cargo público o disposto no art. 7º, IV, VII, VIII, IX, XII, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XX, XXII e XXX, podendo a lei estabelecer requisitos diferenciados de admissão quando a natureza do cargo o exigir. 
e) Remuneração: A remuneração dos agentes públicos pode se dar por meio de:
1. Subsídio: Forma de remuneração fixada em parcela única, sem acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou qualquer outra espécie de verba remuneratória. É a remuneração obrigatória a determinadas carreiras, como a AGU, DP, PG da Fazenda Nacional, Procuradoria dos estados e do DF, polícia federal, PRF, polícia civil e militar e corpo de bombeiros. A critério do legislador ordinário pode ser adotada a outros agentes. 
Art. 39, § 4º O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, X e XI.
2. Vencimento: Remuneração em sentido estrito percebida pelos servidores públicos. Trata-se do vencimento do cargo efetivo, acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei. 
3. Salário: Forma de remuneração dos empregados públicos, contratados pelo regime celetista. 
Alguns subsídios são criados por decreto legislativo: 
Deputados e Senadores, Presidente e Vice-Presidente da República e Ministros de Estado
Conforme estabelece o art. 37, inciso X - a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices;
O inciso X criou o princípio da periodicidade, sendo a revisão da remuneração dos servidores. 
· Iniciativa para a lei que fixa a remuneração:
f) Teto constitucional remuneratório: É fixado pelo art. 37, inciso XI da CRFB/88: A remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, autárquica e fundacional, dos membros de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos e os proventos, pensões ou outra espécie remuneratória, percebidos cumulativamente ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, aplicando-se como limite, nos Municípios, o subsídio do Prefeito, e nos Estados e no Distrito Federal, o subsídio mensal do Governador no âmbito do Poder Executivo, o subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais no âmbito do Poder Legislativo e o subsídio dos Desembargadores do Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, no âmbito do Poder Judiciário, aplicável este limite aos membros do Ministério