A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Resumo da Aula 4 Citricultura ( muda cítrica, porta enxerto e normas de produção de mudas)

Pré-visualização | Página 1 de 1

AULA 4 
A muda cítrica 
Para começarmos a falar sobre mudas de citros, temos de começar pela 
base que é o porta enxerto, e nós já vimos que para fazer a enxertia precisamos 
retirar a semente desse porta enxerto, fazer a semeadura para depois fazer a enxeria 
da copa de interesse. E precisamos falar sobre a poliembrionia 
 
 
Tabela retirada do slide do professor de fruticultura- Luis Aurélio Peres 
Martelleto 
Por exemplo o Flying Dragon (trifoliata) que é um porta enxerto 
interessante, de clima frio, é um porta enxerto ananicante. E esse porta enxerto 
flying D. de cada 100 sementes 68 delas contém um embrião somente, que dará 
origem a uma planta. Mas não é interessante para a citricultura usar um porta 
enxerto com capacidade de produzir sementes com muito embriões, pois isso 
poderá trazer problemas futuros com mudas e poda das árvores. 
A produção de mudas no Brasil é astronômico, cada dia estamos inovando, 
fazendo plantios novos, esse números chegam a milhões. Limão cravo (1/3 das 
mudas enxertadas), tangerina Cleópatra, Citrumelo swingle (mais importante para o 
cinturão paulista) e o trifoliata são os porta enxertos mais utilizados no Brasil. 
Vídeo: Citricultura- Principais variedades porta enxerto 
Citrandarim é um hibrido de Tangenira x Trifoliata 
 
Enxertia 
Vantagens: 
• Uniformidade 
• Precocidade na produção 
• Porte adequado das plantas 
• Resistência à doenças 
 
Desvantagens: 
• Necessidade de diversificação de porta-enxertos 
• Custo mais elevado 
• Incompatibilidade (Citrumello swingle x Laranja pera) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tabela retirada do slide do professor de fruticultura- Luis Aurélio Peres 
Martelleto 
 
 
 
Susceptibilidade de Copas ás doenças 
 
 
Tabela retirada do slide do professor de fruticultura- Luis Aurélio Peres 
Martelleto 
 
Então é por isso que o Huanglongbing é o maior problema da citricultura, 
pois todos os cirtros de copas, de grande interesse, estão susceptíveis ao HLB 
(Questão de prova) 
Muda Certificada de Citros 
O Brasil surgiu como um dos maiores produtores de citrus no mundo, porém 
na década de 50 surgiu um grande problema nos pomares brasileiros, o cancro 
cítrico, então até hoje as mudas quando saem do viveiro tem de ter uma certificação 
de que está livre do cancro cítrico. Hoje em dia as mudas de copas e porta enxertos 
são produzidas dentro de estufas, protegidas de fatores climáticos e de possíveis 
patógenos. 
Produção de Mudas Certificadas 
Há nos dias de hoje a produção em larga escala de mudas, feitas por 
grandes empresas viveiristas de citros, geralmente em áreas afastadas com espécies 
diferentes das de citros por perto, para evitar transmissão de patógenos, com 
instalações resguardadas. Para entrar nessas grandes estufas há um local chamado 
entre-sala, para a desinfecção das roupas das pessoas, há também pedilúvio. As 
bancadas nas estufas geralmente são elevadas, para não ter contato com o chão e 
facilitar o método da enxertia. As sementes do porta enxerto são retiradas do fruto, 
passada por um tratamento que tem de ser atendidos, após passar nos produtos 
necessários, é retirada a “testa” da semente que impediria ela de germinar 
facilmente. 
A semeadura do porta enxerto é feita em tubetes de 200 a 300 cm³, não se 
usa solo e sim substrato pois é isento de patógenos e para que a muda enraíze de 
forma mais eficaz, após isso essas mudas são passadas para os cavalinhos, até que 
ele vai atingir um determinado tamanho e será levado para o transplante para o saco 
maior. Então retira-se as plantas dos cavalinhos ou tubetes, que são desinfestados 
para serem reutilizados. 
Vídeo importante: Manejo do Cittrumelo Swingle – Preparo para enxerto 
 
O material de copa que será enxertado serão as borbulhas certificadas, e 
então a enxertia dos citros é em forma de T invertido, usando apenas uma gema, e 
depois protege essa gema com um fitilho, força o topo da muda para baixo para 
quebrar a dominância apical da planta (sem quebrar a planta pelo amor de deus), o 
fitilho pode ser tirado duas semanas depois. Quando completar mais ou menos um 
mês as brotações serão bem aparentes. Com o crescimento a parte enxertada se 
torna dominante e a parte do porta enxerto começa a definhar, e essa muda já está 
pronta para ir ao campo quando puder ser feito um desponde de 50cm a partir da 
base 
Vídeo importante: Enxerto para citros com resultados – método usado em 
viveiro 
Normas para a Produção de Mudas Certificadas de Citros 
Local: Drenagem, possuir antecâmara, tela de malha de 1mm nas laterais 
com cobertura de polietileno transparente, filme único de 150 micras. Distante de, 
no mínimo 20m de plantas cítricas 
Construção: Bancada de 30cm de altura; piso de pedra britada ou material 
similar, com camada mínima de 5cm; pedilúvio para desinfestação de calçados, 
instalado na entrada; águas invasoras. 
Procedimentos: Desinfestação do material e equipamentos utilizados nos 
viveiros, com formalina 2,5%, bem como a desinfestação de pisos, paredes e 
bancadas com hipoclorito de sódio a 1%, após a retirada das mudas do viveiro; 
Restringir o acesso a pessoas estranhas ao viveiro e manter a área limpa de detritos 
vegetais. 
Material e métodos de produção 
1. Porta enxerto: tubetes, bandejas ou embalagens definitivas; As 
sementes: tratamento térmico a 52ºC durante 10min. Recipiente para 
mudas: dimensões mínimas de 10x30cm 
2. O substrato: Deve ter boa porosidade e ser isento de nematoides, fungos 
do gênero Phytophthora e outros patógenos e pragas 
comprovadamente nocivos aos citros. 
3. Água de Irrigação: Clorada e isenta de nematoides, fungos do gênero 
Phytophthora e outros patógenos comprovadamente nocivos aos citros 
4. Exigências para a Liberação da muda: exames laboratoriais, realizados 
por órgãos credenciados pela secretaria e com coleta de material 
realizada por um técnico da defesa vegetal das seguintes pragas e 
doenças: análise de Phytophthora, análise de CVC, análise de 
nematoides. 
 
Práticas relacionadas com porta-enxertos 
Tipos: 
• Subenxertia: é a troca do porta enxerto, que pode ser feita no 
campo ou em viveiros; É feita quando há indícios de que a planta 
esteja com Morte súbita dos Citros 
• Interenxertia: quando já temos um porta enxerto de Swingle, por 
exemplo, e enxertamos ele com Valência, e depois enxertamos a 
valência com outro enxerto 
• Sobre-enxertia: é a troca da copa da planta, e se faz quando a copa 
está obsoleta, ou surgiu um material mais interessante no mercado 
• Afrancamento: é tornar uma planta enxertada como se ela fosse de 
pé franco, ou seja, você deixará a base do porta enxerto rente ao 
solo, porém isso pode causar um problema que ela perderá a 
resistência a phytophtora pois a copa enraizará. O limão Tahiti e a 
lima ácida são susceptíveis a phytophtora 
 
Questão de prova: porque não é indicado comercialmente produzir 
mudas propagadas vegetativamente/micropropagada de lima acida 
tahiti? Porque essa muda tem de ser enxertada, tem de usar o porta 
enxerto para ela se tornar mais resistente a algumas doenças. 
(questão de prova) 
Incompatibilidade de porta enxertos: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tabela retirada do slide do professor de fruticultura- Luis Aurélio Peres 
Martelleto