A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
Cenários Econômicos - Microeconomia - Descomplica

Pré-visualização | Página 1 de 9

MICROECONOMIA
CENÁRIOS ECONÔMICOS
Conceitos Iniciais - Problema da escassez De acordo com Mankiw
(2005), escassez significa que a sociedade tem recursos limitados, logo, não se
pode produzir todos os bens e serviços que são desejados pelas pessoas. A
Economia, segundo o autor, tem o papel de “ensinar “como a sociedade pode
administrar esses recursos escassos. 
Escolhas Como tratado no tópico anterior, a Economia é a ciência que ensina
como a população deve administrar os recursos, dado que os mesmos são
escassos. Portanto, a sociedade (tanto poder público, quanto privado), deve
examinar as alternativas e decidir quais delas se adequam aos seus desejos e
necessidades. 
Custo de Oportunidade Custo de oportunidade, em Economia, de acordo
com Mochón (2014) é: para produzir um bem A, necessariamente, teria de
produzir menos do produto B. 
Fatores de Produção De acordo com Mochón (2014), os fatores de produção
são empregados para a produção de bens e serviços, que podem ter a
finalidade de consumo ou da produção de outros bens e serviços. Considera-se
fator produtivo a terra ou recursos naturais, a mão de obra dos trabalhadores e
o capital investido. 
O princípio “Ceteris Paribus” O princípio ceteris paribus indica que todas as
variáveis são mantidas constantes, menos aquela que está sendo estudada.
Deste modo, segundo Mankiw (2005), a expressão, do ponto de vista da Lei da
Demanda, trata que, preços menores indicam uma maior quantidade
demandada. 
Fronteira de Possibilidade de Produção (FPP) Conforme Mochón (2014), a
fronteira de possibilidade de produção demonstra a quantidade máxima de
combinações de produtos que a economia pode produzir, utilizando todos os
fatores de produção disponíveis. Além disso, ela evidencia o custo de
oportunidade da economia, ou seja, o dilema de: para produzir um produto A,eu
terei que produzir menos de B. 
Outro ponto que pode ser destacado, segundo o autor, é que, a fronteira de
possibilidade de produção (FPP) nos indica a eficiência da economia, porque, nos
mostra a produção de dois produtos, dados os fatores de produção disponíveis.
Desta forma, através do gráfico 1, podemos identificar se a economia está
eficiente, ineficiente ou inalcançável: 
 Gráfico 1 : Possibilidade de Produção entre televisão e celular 
elaboração própria
Os pontos encima da fronteira eficiente (E, D,C,B, A) indicam posições nas quais
a economia é eficiente do ponto de vista produtivo, pois, os fatores de
produção estão sendo utilizados em sua totalidade. O ponto F indica
ineficiência da economia, por não ter os fatores de produção utilizados em
sua totalidade. Este fato mostra que há recursos ociosos, seja de tecnologia,
mão de obra ou até matéria prima, e que poderiam ser utilizados para aumentar
a produção de televisão ou de celular. Por fim, o ponto G, indica o ponto
inalcançável, a curto prazo, da economia, pois não há, recursos suficientes
para atingi-lo. Contudo, a longo prazo, este ponto pode ser atingido, através do
avanço da tecnologia, aumento do volume de capital, aumento da força de
trabalho e descoberta de novos recursos naturais ou combustíveis.
Demanda Segundo Mochón (2014), a demanda de um bem se refere ao o
consumidor deseja e pode comprar. A demanda reflete a intenção do
consumidor, enquanto o ato da compra, constitui a sua ação. Com relação a
função de demanda por um bem, pode-se perceber que esta é igual à
quantidade desse bem que os compradores desejam e podem comprar em
função de diferentes preços. A Lei da Demanda afirma que, com tudo o mais
constante (ceteris paribus), a quantidade demandada de um bem
aumenta quando o preço do bem se reduz e vice-versa.
Alternativamente, podemos dizer que existe uma relação inversa entre o
preço de um bem e sua quantidade demandada. Da mesma forma,
quando o preço de um bem aumenta, a quantidade demandada
diminui. Existem dois motivos para que se tenha essa relação inversa na
demanda: o primeiro é que com o aumento do preço do bem, alguns
consumidores deixarão de consumi-los ou comprarão em menor quantidade, o
substituindo por outro. Neste caso observamos o efeito de substituição. O
segundo motivo é que ao ficar mais caro, os consumidores demandarão menos
determinado produto, por ter tido uma queda no seu poder aquisitivo, não
permitindo assim, que tivessem o mesmo nível de consumo de antes. Desta
forma, pode-se observar o efeito da renda. 
 Curva de Demanda Podemos dizer que a curva de demanda é uma reta
negativamente inclinada, ou seja, decrescente. Este fato é relacionado a lei de
demanda, na qual, quando o preço de um bem sobe, a quantidade demandada
pelo mesmo diminui e vice-versa. 
Abaixo, é possível identificar um exemplo de tabela e curva de demanda de um
vinho:
 Tabela 1: Tabela de demanda do vinho
elaboração própria
Gráfico 2: Curva de demanda do vinh
 
Conforme pode se observar no gráfico, quando o preço do vinho passa de R$ 
10,00 para R$ 20,00, a quantidade demandada pela bebida, diminui de 10 
unidades para 7 unidades, confirmando assim a lei da demanda.
Função de Demanda
De acordo com Mankiw (2005), a função de demanda é uma relação 
matemática que é influenciada diretamente pelo preço desse bem (P^a)(Pa), 
renda (Y) preço de outros bens (P^B )(PB), gosto ou preferência dos 
consumidores ( G ) e pelo tamanho do mercado ( N ). Deste modo a quantidade 
demandada de um bem (Q^A )(QA) sofre influência dos seguintes fatores :
(1) Q_{A}=D( P_{A},Y,P_{B},G, N)QA=D(PA,Y,PB,G,N)
No próximo tópico os fatores de influência serão tratados na forma em como
podem alterar ou não a curva da demanda. 
 Deslocamentos da Curva de Demanda 
Como observado no tópico anterior, a curva de demanda é influenciada
pelo preço do bem, preço de outros bens, pela renda, preferência dos
consumidores e o tamanho de mercado. Contudo, conforme será demonstrado a
seguir, cada um impactará de forma diferente. 
No gráfico 3 abaixo, é possível observar o deslocamento da curva da
demanda para direita (aumento da demanda ou expansão da curva de
demanda ) e para a esquerda ( redução da demanda ou contração da curva de
demanda). Estes fatos ocorrem somente com influência da renda, do preço de
outros bens, da mudança de preferência ou gosto dos consumidores e por fim,
pelo tamanho de mercado. Deste modo, o aumento da renda, aumento do preço
de outros bens relacionados, mudança de forma positiva de preferência ou
gosto e o aumento do número de compradores, fazem com que haja um
deslocamento da curva da demanda para a direita. Já a diminuição da renda,
diminuição do preço de bens relacionados, mudança de forma negativa de
preferência ou gosto dos consumidores e diminuição do número de
compradores, causa uma retração da demanda, portanto, deslocando a curva
para a esquerda. 
 
Gráfico 3: deslocamento da curva de demanda
elaboração própria
No que tange ao deslocamento ao longo da curva de demanda, este só se dá
quando há um aumento ou diminuição no preço do próprio bem. O gráfico 4 nos
mostra , no ponto B, o que ocorre quando o preço sai de P P2 e o ponto C , o1
que ocorre quando o preço sai de P P3.1 
 
Gráfico 4: deslocamento ao longo da curva de demanda 
elaboração própria
Considere as afirmativas abaixo:
I. Os aumentos de preço dos fatores de produção geram um deslocamento da 
curva de demanda para baixo
II. O aumento da renda provoca um deslocamento da curva de demanda para 
cima (CORRETO)
III. O aumento de preço de um bem provoca deslocamento de um ponto sobre a 
mesma curva de demanda, indicando diminuição na quantidade procurada. 
Quanto aos demais bens, dos quais é substituto, a curva de demanda desloca-se 
para a esquerda
Marque a alternativa correta:
a - I e II estão corretas
b - I e III estão corretas
c - II e III estão corretas
d - Somente a II