A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Administrativo 1

Pré-visualização | Página 1 de 2

Disc.: DIREITO ADMINISTRATIVO I   
	
	
	Acertos: 1,8 de 2,0
	17/03/2021
		1
          Questão
	Acerto: 0,2  / 0,2
	
	O diretor-geral de determinado órgão público federal exarou despacho concessivo de aposentadoria a um servidor em cuja contagem do tempo de serviço fora utilizada certidão de tempo de contribuição do INSS, falsificada pelo próprio beneficiário. Descoberta a fraude alguns meses mais tarde, a referida autoridade tornou sem efeito o ato de aposentadoria. Na situação hipotética considerada, o princípio administrativo aplicável ao ato que tornou sem efeito o ato de aposentadoria praticado é o da
		
	
	D) razoabilidade das decisões administrativas.
	
	B) indisponibilidade dos bens públicos.
	 
	A) autotutela. Comentários Um dos mais importantes corolários do princípio da legalidade é a autotutela, que vem a ser um princípio informativo do Direito Administrativo de fácil entendimento, vez que já traz em sua própria nomenclatura a noção básica de seu significado, qual seja: se tutela é sinônimo de controle, logo, quando se fala em autotutela, fala-se em autocontrole. Daí partindo, autotutela administrativa significa o controle interno que a Administração Pública exerce sobre a sua própria atuação, sobre os seus próprios atos. Em sendo assim, por ser o Estado o guardião da legalidade, ao se deparar com algum vício de legitimidade, seja uma ilegalidade expressa, seja um vício de moralidade, ou até mesmo um equívoco de interpretação da lei, não pode a Administração Pública andar de braços dados com a ilegalidade, ou ficar de braços cruzados, se assim se preferir dizer, sob pena de ferir o art. 37 da Constituição Federal. Cabe ressaltar, porém, que o princípio da autotutela não está explícito na Constituição; ele é um conceito doutrinário que, construído pela jurisprudência, acabou consagrado, no Brasil, na Súmula nº 473 do Supremo Tribunal Federal, a qual dispõe, in verbis: Esta previsão, vale salientar, encontra-se positivada na Lei nº 9.784/99, que trata da autotutela em termos expressos no art. 53, que traz a mesma ideia e praticamente a mesma redação do Enunciado 473 do STF, e no art. 54, que fala dos efeitos de anulação e revogação. No que tange a questão, em relação ao INSS, que concedeu aposentadoria a uma pessoa e, posteriormente, a própria previdência percebeu que aquela tal pessoa está recebendo R$ 800,00 a mais do que deveria. No caso, o INSS pode diminuir o rendimento do aposentado? Sim, porque o princípio da autotutela é de caráter obrigatório, ou seja, sendo detectado um vício de legitimidade no ato, a Administração não pode perpetuá-lo, devendo assim anular o ato em decorrência do princípio da legalidade; portanto, não cabe direito adquirido diante de um ato anulado, diante do desfazimento daquele erro, porque a anulação produz efeitos ex tunc.
	
	C) segurança jurídica.
	
	E) impessoalidade.
	
		2
          Questão
	Acerto: 0,2  / 0,2
	
	Joaquim da Silva, agente de policia da Policia Civil do Distrito Federal, conduzia veículo oficial quando provocou acidente do qual resultaram, além de danos materiais, lesões corporais graves para as vítimas. O processo penal instaurado resultou na condenação de Joaquim da Silva pelo crime de lesões corporais graves. Em face da situação descrita, assinale a opção correta acerca da responsabilidade civil da Administração Pública, de acordo com as regras constantes na Constituição Federal e na Lei no 8.112/90.
		
	 
	a condenação penal do agente implicará o dever de a administração indenizar o prejuízo sofrido pela vitima. Em seguida, a administração deverá intentar ação regressiva contra o agente;
	
	em face da condenação penal do agente, a vítima não mais poderá demandar civilmente a Administração Pública, cabendo eventualmente ação cível contra Joaquim da Silva;
	
	tanto a responsabilidade da administração para com a vitima quanto a responsabilidade do agente em face da administração seguem a teoria da responsabilidade objetiva;
	
	a condenação criminal em nenhum aspecto vinculará a decisão judicial quanto ao dever de a administração indenizar a vítima;
	
	apenas a administração terá o dever de indenizar a vítima, não cabendo nenhum tipo de ação regressiva contra o agente em face de encontrar-se este no exercício de suas funções.
	
		3
          Questão
	Acerto: 0,2  / 0,2
	
	(TRT-23ª/ Juiz do Trabalho Substituto/ 2004) Associe corretamente e marque a alternativa correspondente: 1) Sistema de jurisdição única. 2) Faculdade que dispõe os chefes dos Poderes Executivos de explicar a lei para a sua correta aplicação. 3) Distribui e escalona as funções de seus órgãos, ordenando e revendo a atuação de seus agentes. Estabelece a relação de subordinação entre os servidores de quadro de pessoal. 4) Confere à autoridade administrativa ¿ ante certa circunstância ¿ escolher uma entre várias soluções possíveis. A) Poder hierárquico. B) Sistema judiciário. C) Poder discricionário. D) Poder regulamentar. A resposta correta se encontra em:
		
	
	1C 2A 3D 4B.
	
	1B 2C 3A 4D.
	
	1C 2D 3B 4A.
	 
	1B 2D 3A 4C.
	
	1D 2B 3A 4C.
	
		4
          Questão
	Acerto: 0,2  / 0,2
	
	(OAB CESPE) Por decorrência do poder hierárquico da Administração Pública, surge o instituto da delegação de competências. Assinale, entre as atividades abaixo, aquela que não pode ser delegada.
		
	 
	Decisão de recursos administrativos.
	
	Matéria de competência concorrente de órgão ou entidade.
	
	Homologação de processo licitatório.
	
	Edição de atos de nomeação de servidores.
	
		5
          Questão
	Acerto: 0,2  / 0,2
	
	No contexto da Administração Pública Federal, o que distingue e/ou assemelha os órgãos da Administração Direta em relação às entidades da administração Indireta, é que
		
	
	são todos dotados de personalidade jurídica de direito público.
	
	todos integram a estrutura orgânica da União.
	
	os primeiros são dotados de personalidade jurídica de direito público, as outras são de direito privado.
	 
	os primeiros integram a estrutura orgânica da União e as outras não.
	
	são todos dotados de personalidade jurídica de direito privado.
	
		6
          Questão
	Acerto: 0,0  / 0,2
	
	(OAB/FGV) - O fiscal de posturas de determinado município procedeu, às 3 horas da madrugada, ao imediato fechamento de uma boate, sob o fundamento de que o estabelecimento estaria vendendo bebidas alcoólicas a menores de idade. Com isso, os clientes da referida boate foram imediatamente retirados do local e as portas, lacradas. O responsável legal pela boate, indignado com a conduta do fiscal, alegou que os menores foram flagrados consumindo bebidas alcoólicas do lado de fora do estabelecimento e que não houve a devida autuação, conforme exigido pela lei e regência. Por outro lado, afirmou que a interdição se deu exclusivamente pelo fato de os agentes de segurança da boate terem impedido o referido fiscal de ingressar no local, com sua namorada, sem pagar. Ainda com relação à situação hipotética descrita no texto, assinale a opção correta acerca do controle dos atos administrativos e de sua anulação e revogação.
		
	
	A medida judicial apropriada para impugnar o referido ato, com fundamento na inexistência do fato, a ser provado com base no depoimento de testemunhas, é o mandado de segurança, o qual deverá ser impetrado no prazo decadencial de 120 dias, a contar da data da interdição.
	 
	A anulação do ato administrativo de interdição, fundado na sua ilegalidade, poderia ser feita, pela própria administração, no prazo decadencial de 5 anos, salvo má-fé, se fossem aplicáveis á espécie as mesmas regras da lei geral do processo administrativo da União.
	
	A administração poderia anular o ato administrativo concessivo do respectivo alvará de funcionamento do referido estabelecimento, com fundamento no interesse público.
	 
	A impugnação judicial do ato em tela submete-se à prescrição quinquenária, a contar da data de interdição.
	
		7
          Questão
	Acerto: 0,2  / 0,2
	
	A responsabilidade