A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Arquitetura da Segurança - Apol 1

Pré-visualização | Página 2 de 3

grandes cidades. Tradução de Carlos S. Mendes Rosa. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011, p. 31. 
 
Para que servem as ruas, o que existe nelas e para que elas existem? 
 
 
De acordo com os estudos realizados e a bibliografia básica indicada para esta 
disciplina, leia e analise as assertivas abaixo, identificando-as como verdadeiras 
(V) ou falsas (F) e depois assinale a alternativa que corresponde à 
sequência correta: 
( ) Antes do século XIX as ruas eram apenas linhas de comunicação, não serviam, 
ainda, como vias de transporte. 
( ) Séculos depois, as ruas passaram a servir ao fenômeno da circulação de 
mercadorias, de tráfego de automóveis e de pedestres. 
( ) A rua, portanto, é a possibilidade da cidade, é a reafirmação da cidade no seu sentido 
mais amplo: lugar do acontecimento, arena do inesperado, possibilidade do encontro, 
reconhecimento do outro, acolhimento da diferença. 
( ) Quando unidas aos demais elementos da cidade, as ruas tornam-se verdadeiras 
artérias na condução de vidas entre diferentes pontos. 
Nota: 10.0 
 
A V, V, F, V 
 
B V, V, V, V 
Você acertou! 
Todas as assertivas são verdadeiras 
Referência: KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e 
sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016, p. 32 e 33. 
 
C F, V, V, V 
 
D F, F, V, V 
 
E V, F, V, F 
 
Questão 7/10 - Arquitetura da Segurança 
Leia o texto abaixo e depois responda: 
“Em qualquer sociedade, a distribuição desigual do crime é percebida. Fatores como 
renda, escolaridade e local onde as pessoas habitam são riscos reais que influenciam 
na sua possível vitimização”. 
 
Fonte: KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016. 
Sobre o assunto e de acordo com os estudos realizados e a bibliografia básica 
indicada para esta disciplina, leia e analise as assertivas abaixo, identificando-as 
como verdadeiras (V) ou falsas (F) e depois assinale a alternativa que corresponde 
à sequência correta: 
( ) Observamos que a vitimização não tem estreito relacionamento com os hot spots e 
com a teoria das instalações de riscos e, portanto, não é um aspecto relativo à 
prevenção, fato que poderíamos deixar de tratar tranquilamente. 
( ) Quando nos referimos à vitimização, podemos afirmar que, conforme o dito popular, 
o raio não cai duas vezes no mesmo lugar. 
( ) Estudos desenvolvidos na Europa estimaram que 4% das vítimas experimentam 
44% de todos os crimes. Nos Estados Unidos, 10% das vítimas estão envolvidas em 
40% dos crimes. Essa vitimização repetida tem como principal fator as circunstâncias 
percebidas pelo infrator como favoráveis e que, se não forem alteradas, contribuem de 
maneira ímpar para a repetição dos delitos e da vitimização. 
Nota: 10.0 
 
A F, V, F. 
 
B V, V, V. 
 
C F, V, V. 
 
D V, V, F. 
 
E F, F, V. 
Você acertou! 
A assertiva III é verdadeira. 
As assertivas I e II são falsas. 
1. Observamos que a vitimização tem estreito relacionamento com os hot spots e com a teoria das instalações de 
riscos e, portanto, é um aspecto relativo à prevenção que não poderíamos deixar de tratar. 
2. Quando nos referimos à vitimização, podemos afirmar que, ao contrário do dito popular, o raio pode sim cair 
mais de uma vez no mesmo lugar. 
Referência: KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e 
sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016, p. 84. 
 
Questão 8/10 - Arquitetura da Segurança 
Leia o texto abaixo e depois responda: 
“O conceito de cidade foi se desdobrando e atraindo outros termos, (...): rua, praça, 
mercado, igreja, mercadorias, negócios. Há outros tantos que você pode imaginar, 
porém a maioria das palavras que devem ter vindo à sua cabeça, como 
estacionamentos comerciais, prédios, escolas, hospitais, não existiriam se não existisse 
a cidade, ou vice-versa, inclusive sem esquecer os atores principais, as pessoas”. 
 
Fonte: KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016, p. 30. 
Segundo Karpinski, esses elementos físicos e inanimados, agrupados e 
formando a urbe, são denominados: 
Nota: 10.0 
 
A Elementos da cultura da cidade. 
 
B Elementos estruturantes da cidade. 
Você acertou! 
Conforme o livro base, o autor explica acerca da urbe e exemplifica os elementos estruturantes. 
Referência: KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e 
sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016. p. 30. 
 
C Elementos arquitetônicos da cidade. 
 
D Elementos da engenharia social da cidade. 
 
E Elementos físicos da cidade. 
 
Questão 9/10 - Arquitetura da Segurança 
Leia o texto abaixo e depois responda: 
“Consideremos que as pessoas que estão propensas a delinquir não querem se 
observadas. Isto remete novamente a Janes Jacobs e à sua teoria dos olhos nas ruas, 
que faz aumentar a percepção de riscos por parte de quem comete os crimes”. 
 
Fonte: KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016. 
A vigilância natural pode aumentar o risco para o delinquente? 
De acordo com os estudos realizados e a bibliografia básica indicada para esta 
disciplina, em relação à vigilância natural, leia e analise as assertivas abaixo, 
identificando-as como verdadeiras (V) ou falsas (F), e depois assinale a 
alternativa que corresponde à sequência correta: 
( ) É possível aumentar a vigilância mediante diferentes técnicas, como a 
potencialização do uso dos espaços pelas atividades econômicas ou de lazer, inseridos 
em áreas com potencial para a ocorrência de crimes. 
( ) Empregar recursos adequados para a eliminação de barreiras visuais torna-se fator 
importante para melhorar o campo de observação a partir de edifícios. 
( ) Contudo, materiais transparentes, grades, janelas e uma boa iluminação podem 
comprometer a vigilância natural. 
Nota: 10.0 
 
A V, F, V 
 
B V, V, F 
Você acertou! 
A terceira assertiva é falsa: Materiais transparentes, grades, janelas e uma boa iluminação potencializam a 
vigilância natural. 
As demais assertivas são verdadeiras. 
Referência: KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e 
sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016, p. 108 e 109. 
 
C V, V, V 
 
D V, F, F 
 
E F, V, V 
 
Questão 10/10 - Arquitetura da Segurança 
Leia o texto abaixo e depois responda: 
“Para que possamos prevenir que um delito aconteça, temos de manter o equilíbrio entre 
os seguintes elementos: o ofensor motivado, o alvo apropriado e a ausência de um 
guardião capaz”. 
 
Fonte: KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016. 
Assinale a alternativa abaixo que apresenta a alternativa correta quanto aos 
outros três princípios que Torrente (citado por CARVALHO, 2005, p. 09) 
adiciona: 
Nota: 10.0 
 
A Diminuir o esforço necessário para cometer um delito, aumentar as recompensas do delito e diminuir as 
probabilidades de ser detectado. 
 
B Incrementar o esforço necessário para cometer um delito, minimizar as recompensas do delito e aumentar 
as probabilidades de ser detectado. 
Você acertou! 
Alternativa correta. 
Incrementar o esforço necessário para cometer um delito, minimizar as recompensas do delito e aumentar as 
probabilidades de ser detectado. 
Referência: KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade. 
Curitiba: InterSaberes, 2016, p. 93. 
 
C 
Para que possamos prevenis que um delito aconteça, temos de manter o equilíbrio entre os seguintes 
elementos: o ofensor motivad, o alvo apropriado e a ausência de uma guardião capaz. Sobre o 
mesmo assunto, Torrente (citado por Carvalho, 2005, p. 09), traz outros três princípios: iIncrementar 
o esforço necessário para cometer um delito,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.