A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
150 questões comentadas do SUS

Pré-visualização | Página 9 de 20

respiratória e traumatológica. 
b)As Unidades de Pronto Atendimento devem prestar o 
primeiro atendimento em casos agudos e agudizados de 
natureza clínica e primeiro atendimento nos traumas, 
excluindo-se casos de natureza cirúrgica. 
c)O componente hospitalar é constituído exclusivamente 
por Pronto-Socorro e UTI. 
d)Força Nacional do SUS, Unidades de Pronto atendimento 
e Atenção domiciliar integram a Rede de Atenção às 
Urgências. 
e)Acolhimento com classificação de risco constituem uma 
das bases dos fluxos assistenciais apenas das UPAs, 
Pronto-Socorro e SAMU. 
97.(IMPARH-2016) A Portaria nº 2488, de 21 de 
outubro de 2011, descreve as atribuições dos 
membros das equipes de atenção básica, sendo 
contribuição comum a todos os profissionais: 
a)realizar o cuidado da saúde da população adscrita, 
prioritariamente, no âmbito da unidade de saúde. 
b)planejar, gerenciar e avaliar as ações desenvolvidas 
pelos ACS em conjunto com os outros membros da equipe. 
c)participar do gerenciamento dos insumos necessários 
para o adequado funcionamento da UBS. 
d)cadastrar todas as pessoas de sua microárea e manter os 
cadastros atualizados. 
APERFEIÇOAR SAÚDE – PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS 
 
14 
MATERIAL ELABORADO PELA PROFESSORA ÉRICA OLIVEIRA 
Este curso é protegido por direitos autorais, nos termos da Lei n.º 9.610/1998. 
98.(UFPE 2009) Segundo legislação vigente, o processo 
de planejamento e orçamento no âmbito do SUS deve 
ser: 
A) Centralizado no nível federal. 
B) Centralizado no nível estadual. 
C) Centralizado no nível municipal. 
D) Descendente, do nível federal até o local. 
E) Ascendente, do nível local até o federal. 
99.(UFPE 2009) Recentemente, tem-se observado o 
empenho do Conselho Nacional de Saúde na luta pela 
regulamentação da Emenda Constitucional nº 29, 
aprovada desde 13 de setembro de 2000. Essa 
legislação: 
A) Determina os recursos mínimos, da União, Estados, 
Municípios e Distrito Federal, para o financiamento das 
ações e serviços públicos de saúde. 
B) Institui a Contribuição Social para a Saúde (CSS), que 
incidirá sobre a movimentação financeira realizada nos 
bancos pelas pessoas e empresas, para financiar as 
despesas com ações e serviços de saúde. 
C) Flexibiliza a Lei de Responsabilidade Fiscal para a área 
de saúde, de modo a garantir o direito à saúde em sua 
plenitude, criando para os gestores condições para superar 
a precarização do trabalho e qualificar a gestão. 
D) Institui o Serviço Civil em Saúde, estabelecendo que 
profissionais de saúde graduados em Universidades 
Públicas devem, após concluído o curso, trabalhar durante 
um determinado período no SUS, de acordo com as 
necessidades do sistema previamente diagnosticadas. 
100. (UFG 2013) A Lei n. 8.080, de 19 de setembro de 
1990, que dispõe sobre a organização do Sistema 
Único de Saúde (SUS), o planejamento da saúde, a 
assistência à saúde e a articulação interfederativa é 
regulamentada pelo: 
A) Decreto n. 5.886, de 6 de setembro de 2006. 
B) Decreto n. 6.378, 19 de fevereiro de 2008. 
C) Decreto n. 7.468, de 28 de abril de 2011. 
D) Decreto n. 7.508, de 28 de junho de 2011. 
101.(UFG 2010) Nos termos da Constituição Federal e 
da Lei Orgânica da Saúde, na organização do Sistema 
Único de Saúde NÃO se inclui o seguinte princípio: 
A) Universalidade do acesso aos serviços de saúde. 
B) Integralidade da assistência. 
C) Participação da comunidade. 
D) Modelo de atenção baseado no Programa de Saúde da 
Família. 
102.(UFGD 2012) O Distrito Sanitário pode ser 
definido como um modelo de organização de serviços 
– orientado para um espaço etnocultural dinâmico, 
geográfico, populacional e administrativo bem 
delimitado –, que contempla um conjunto de 
atividades técnicas, visando medidas de atenção à 
saúde, promovendo a reordenação da rede de saúde e 
das práticas sanitárias e desenvolvendo atividades 
administrativo- gerenciais necessárias à prestação da 
assistência, com controle social. Nesse sentido, a 
população, área geográfica com sua cultura, a 
disponibilidade de serviços, recursos humanos e 
infraestruturas associados definem: 
A) A comunidade. 
B) A rede de Saúde. 
C) A regional de Saúde. 
D) O território. 
103.(UFRN 2012) Em relação à participação da 
comunidade na gestão do SUS, em cada esfera de 
governo, foram instituídas as instâncias colegiadas do 
SUS. São elas: 
A) Conferência de Saúde e Secretaria de Saúde. 
B) Conferência de Saúde e Plano de Saúde. 
C) Conselho tutelar e Conselho Gestor. 
D) Conferência de Saúde e Conselho de Saúde 
104.(UFRN 2012) Quanto aos recursos para o 
financiamento do Sistema Único de Saúde, a 
normatização deu- se a partir da Emenda 
Constitucional nº 29, a qual estabeleceu que: 
A) O repasse dos recursos da esfera federal para a estadual 
e a municipal darse-á por dois critérios. O primeiro 
considera o número de habitantes (com 50% dos 
recursos) e o segundo critério, com os outros 50% dos 
recursos, toma como base os aspectos demográficos e 
epidemiológicos. 
B) Os estados devem destinar 25% de suas receitas e os 
municípios, 20% para o financiamento dos serviços de 
saúde enquanto as despesas da união serão baseadas nos 
gastos e na variação nominal anual do PIB. 
C) Os municípios devem destinar 15% de suas receitas e os 
estados, 12% para o financiamento dos serviços de saúde 
enquanto as despesas da união serão baseadas nos 
recursos utilizados em 2000, acrescidos da variação 
nominal anual do PIB. 
D) O repasse de recurso da esfera federal para a estadual e 
a municipal darse-á por meio de convênio a ser firmado 
entre os gestores, mediante algumas exigências como: 
formação de Conselhos de saúde, criação dos fundos de 
saúde e elaboração dos planos estaduais e municipais de 
saúde. 
105.(UFRN 2012) Atualmente, o Ministério da Saúde 
reconhece a Estratégia de Saúde da Família (ESF) 
como modelo substitutivo e reorganizador da Atenção 
Primária à Saúde, atribuindo-lhe, predominantemente 
a responsabilidade por colocar em prática os 
fundamentos desse nível de atenção. Um desses 
fundamentos é: 
A) Ter acesso universal e contínuo a serviços de saúde de 
qualidade e resolutivos, caracterizados como porta de 
entrada principal do sistema de saúde, em território 
adscrito. 
B) Desenvolver uma relação de vínculo entre as equipes e 
a população, garantindo o cuidado na atenção básica, 
referenciando e transferindo a responsabilidade da 
atenção secundária e terciária aos demais níveis de 
atenção. 
C) Prestar atendimento em todos os níveis de atenção 
(baixa, média e alta complexidade) de forma integral, 
focalizando os grupos de risco e as minorias. 
D) Promover a família como o núcleo básico da abordagem 
no atendimento à saúde da população, numa abordagem 
APERFEIÇOAR SAÚDE – PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS 
 
15 
MATERIAL ELABORADO PELA PROFESSORA ÉRICA OLIVEIRA 
Este curso é protegido por direitos autorais, nos termos da Lei n.º 9.610/1998. 
clínica e voltada para as principais doenças e agravos de 
importância epidemiológica. 
106.(UFRN 2012) De acordo com o Ministério da Saúde 
(2012), as mudanças das sociedades, caracterizadas 
pelas transições epidemiológica e demográfica, 
requerem uma necessária reformulação do modelo de 
atenção à saúde. Para que haja essa reformulação, o 
MS propõe a Atenção Domiciliar (AD), que se constitui 
em uma modalidade de atenção à saúde: 
A) Substitutiva ou complementar às existentes, 
caracterizada por um conjunto de ações de atenção básica 
(promoção à saúde e proteção específica) prestadas em 
domicílio, ou em instituições (abrigos, casas de apoio), 
com garantia de continuidade de cuidados e integrada às 
redes de atenção à saúde. 
B) Substitutiva ou complementar às existentes, 
caracterizada por um conjunto de ações de promoção à 
saúde, prevenção e tratamento de doenças e reabilitação 
prestadas