A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Revolução Inglesa

Pré-visualização | Página 1 de 1

Revolução Inglesa
Thales Rogério
✓ A Revolução Inglesa, ocorrida no século XVII, foi um dos principais acontecimentos da Idade Moderna. Foi
considerada a primeira das grandes revoluções burguesas, isto é, as revoluções encabeçadas por
lideranças da burguesia europeia, que havia se tornado expressivamente forte, do ponto de vista
econômico, ao longo dos séculos XVI e XVII, e que precisava alcançar legitimidade política.
Podemos dividir o processo histórico da Revolução Inglesa em quatro fases principais:
1) Revolução Puritana e a Guerra Civil;
2) República de Oliver Cromwell;
3) Restauração da dinastia dos Stuart;
4) Revolução Gloriosa.
Durante grande parte do século XVI, a burguesia inglesa esteve bem articulada com os nobres e os reis 
pertencentes à dinastia Tudor (Henrique VIII e sua filha Elizabeth), que consolidaram a Reforma Anglicana.
A reforma religiosa de Henrique VIII proporcionou grandes
benefícios financeiros tanto para nobres quanto para
burgueses da Inglaterra
Isso porque teve início o processo de conversão das
antigas terras feudais, de domínio da Igreja Católica, em
propriedades privadas, o que possibilitou a formação dos
cercamentos e dos arrendamentos que foram vendidos
aos burgueses que pretendiam explorar minas de carvão
ou praticar alguma atividade agrícola.
Além disso, a ruptura com a Igreja Católica (que não era apenas uma instituição com poder espiritual,
mas detentora de um poder político continental, ao qual boa parte das Coroas europeias estava ligada)
dispensou a Inglaterra de pagar tributos para Roma, bem como colocou a marinha inglesa em flagrante
rivalidade com os navios dos países católicos, sobretudo com os espanhóis.
O Parlamento contra o rei
✓ Elizabeth I, filha mais nova do rei Henrique VIII, reinou a
Grã-Bretanha por 40 anos, de 1558 a 1603.
✓ Por ter decidido que nunca se casaria, passou a ser
reconhecida como a Rainha Virgem, mesmo após a sua
morte.
✓ Foi o Rei da Escócia como Jaime VI e Rei da Inglaterra e Irlanda pela União das
Coroas como Jaime I.
✓ Ele reinou na Escócia desde 1567 e na Inglaterra a partir de 1603 até sua morte. Os
dois reinos eram estados soberanos individuais, cada um com seu próprio parlamento,
sistema judiciário e leis, governados por Jaime em união pessoal.
✓ Ele sucedeu ao trono escocês com apenas treze meses, logo após sua mãe Maria da
Escócia ter sido forçada a abdicar em seu favor. Quatro regentes governaram o país
durante sua menoridade, que encerrou-se oficialmente em 1578, apesar dele apenas
ter assumido total controle de seu governo em 1583.
➢ Carlos I assumiu o trono após a morte de seu pai Jaime I, em 1625.
Em 1628, foi obrigado pelo parlamento a assinar a Petição dos
Direitos, em que se via impedido de convocar o exército e criar
novas taxas sem a aprovação do parlamento.
➢ Um ano depois, após conseguir a aprovação de impostos que o
interessavam, Carlos I dissolveu o parlamento. Quase dez anos
depois, em 1640, foi obrigado a reconvocá-lo para obter fundos
necessários ao financiamento de uma ação militar contra rebeliões
que ocorriam na Escócia.
➢ Em 1641, Carlos I tentou novamente dissolver o parlamento para
ampliar seu poder. Essa medida desencadeou uma guerra civil na
Inglaterra, também conhecida como Revolução Puritana (1641-
1649).
➢ A crise forçou o rei a convocar o Parlamento em 1640. Este
destituiu a Câmara estrelada, despojou o rei de sua
autoridade e aprovou uma lei que tornava obrigatória a sua
convocação a cada três anos, independentemente de
determinação do monarca. No ano seguinte, uma revolta na
Irlanda católica foi o estopim da Revolução Inglesa.
➢ O Parlamento se recusou a entregar o comando do exército
destinado à reconquista da Irlanda a Carlos 1º. Este não se
conformou em perder o comando das forças armadas: com
um grupo de apoiadores, invadiu o Parlamento e tentou
prender os líderes da oposição.
➢ Em 1642 eclode a Guerra Civil Inglesa. O líder do Parlamento era Cromwell, que
convencido de ser um instrumento de Deus, encarou como essencialmente religioso o
conflito.
➢ Descontente com o Parlamento, por considerar seus membros corrutos e injustos,
Cromwelll o dissolveu em 1653, pela força, e convocou outro, composto por puritanos.
➢ Durante seu governo (1653-1658) Cromwell reorganizou a fazenda pública, fomentou a
liberalização do comércio, reformou a igreja nacional segundo princípios de tolerância,
embora perseguisse os católicos.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.