A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Sistema Reprodutor Masc e Fem

Pré-visualização | Página 1 de 1

Escroto: bolsa localizada posteriormente ao pênis
e sustentada pelo púbis. 
Pênis: órgão masculino, ligado às paredes anterior
e lateral do arco pubiano, na frente do escroto,
composto por três colunas longitudinais de tecido
erétil: 
- Corpo cavernoso: localizadas dorsalmente,
formando a maior parte do pênis; 
 - Corpo esponjoso: situado ventralmente, sendo
atravessada pela porção peniana da uretra;
O sistema genital masculino executa três funções:
produz, nutre e transporta os espermatozoides;
Ele também é responsável pela secreção de
hormônios e deposição dos espermatozoides no
trato genital feminino.
Testículos: são gônadas masculinas que
desempenham duas funções: produção
espermatozoides e secreção de testosterona.
Os dois testículos apresentam uma forma oval e
se localizam fora da cavidade abdominal,
contidos dentro da bolsa escrotal e envoltos por
uma cápsula resistente a túnica albugínea.
O interior é dividido em lóbulos (cerca de 250
unid.), cada um contendo túbulos seminíferos e
células intersticiais;
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
MasculinoMasculino
Órgãos ExternosÓrgãos Externos
Em sua parte distal, o corpo esponjoso expande-
se formando a glande do pênis, onde fica situada
o óstio de uretra.
Terminalmente a pele dobra-se interna e
dorsalmente, projetando-se sobre a glande,
formando o prepúcio.
Órgãos InternosÓrgãos Internos
TESTOSTERONA
2 corpos carvenosos e 1 corpo esponjoso. No
corpo esponjoso que se encotra a uretra.
- Túbulos seminíferos: produzem
espermatozoide;
- Células intersticiais de Leydig:
situadas dentro dos túbulos
seminíferos produzem
testosterona;
- Células de Sertoli: células
nutridoras de espermatozoides.
Epidídimo: primeira parte da via condutora de
gametas. Mede em torno de 6 metros de
comprimento; É extremamente enovelado e está
localizado sobre as faces superior e posterior do
testículo; No epidídimo os espermatozoides
amadurecem, ganham motilidade e tornam-se
férteis.
Ducto Deferente: continuação do epidídimo. 
 Ao percorrer a cavidade pélvica o ducto deferente
curva-se acima da bexiga urinária e une-se ao
ducto da vesícula seminal para formar o ducto
ejaculatório, os ductos ejaculatórios D e E
penetram na próstata e desembocam em um ducto
ímpar a uretra.
Uretra: permite a passagem da urina ou do sêmen,
nunca de ambos.
Vesículas Seminais: existem duas vesículas
seminais, bolsas membranosas, localizadas
posteriormente á bexiga, responsáveis por
secretar um líquido espesso e amarelado, rico em
Vit. C e prostaglandinas, essas substâncias
nutrem os espermatozoides enquanto eles
percorrem os ductos.
Próstata: glândula com forma aproximada de uma
noz, envolve a uretra prostática imediatamente
abaixo da bexiga. Secreta uma substância leitosa
e alcalina, com as funções de aumentar a
motilidade dos espermatozoides e de neutralizar
o ambiente ácido da vagina, protegendo-os na
ocasião de entrada no corpo feminino. 
Glândulas Bulbouretrais: produzem muco que é
lançado na uretra esponjosa, servindo como
lubrificante no ato sexual.
Vias Condutoras de
Gametas
Vias
Gametas
Condutoras de
Glândulas AnexasGlândulas Anexas
Sêmen: mistura dos espermatozoides e das
secreções das glândulas anexas, a quantidade de
sêmen por ejaculação é de cerca de 2 a 6ml, com
aproximadamente 50 a 100 milhões de
espermatozoides. 
FemininoFeminino
O sistema genital feminino produz óvulos,
secreta hormônios, nutre e protege o
desenvolvimento do bebê durante os nove meses
de gestação.
Vulva: os órgãos reprodutores femininos externos
são em conjunto conhecidos como vulva, que
inclui: 
 Monte púbico: elevação firme e acolchoada de
tecido adiposo recoberto de pelos; 
 Lábios maiores: duas pregas arredondadas de
tecido adiposo recoberto de pele, superfícies
externa tem pelos e internas folículos sebáceos,
sendo lisas e umedecidas – são homólogos ao
escroto do homem; 
 Lábios menores: duas pregas de tecido localizadas
medialmente ao lábios maiores; 
 Vestíbulo: fenda entre os pequenos lábios,
situado no interior da fenda do vestíbulo estão o
hímen, o óstio da vagina, o óstio externo da uretra
e as aberturas das glândulas vestibulares maiores; 
Clitóris: projeção com forma de ervilha, de tecido
erétil, com nervos e vasos sanguíneos, importante
na excitação sexual e homólogo do pênis; 
 Hímen: delgada prega de membrana mucosa,
vascularizadas que separa a vagina do vestíbulo.
Períneo: região inferior a pelve delimitada
anteriormente pela sínfise púbica, antero-
lateralmente pelos ramos inferiores do púbis e
pela tuberosidades isquiáticas, e posteriormente,
pela extremidade do osso cóccix.
Vagina: tubo muscular com cerca de 10 cm de
comprimento, que se estende desde o colo do
útero até o óstio da vagina, no períneo. A parte
superior da vagina recebe o nome de colo de
útero. 
A mucosa de revestimento vaginal dispõe-se em
pregas capazes de se expandir.
A população bacteriana da vagina (normal) cria
uma ambiente ácido que inibe o crescimento de
patógenos.
Útero: tem formato de pera de cabeça pra baixo,
e está localizado entre a bexiga urinária e o reto.
A principal função do útero é proporcionar um
ambiente seguro e nutritivo para o crescimento
do novo ser;
O útero tem 3 partes:
↳ Fundo: que é a região superior, situado acima
da entrada das tubas uterinas; 
↳ Corpo: região central;
↳ Colo: região inferior estreitada que se abre na
vagina.
Órgãos ExternosÓrgãos Externos Órgãos InternosÓrgãos Internos
Tubas uterinas: trompas de Falópio, dois tubos
musculares flexíveis, que se estendem do fundo
do útero a cada lado até o ovário.
Prende-se ao ligamento largo do útero pelo
mesovário, prega peritoneal, e é ancorado ao
útero pelo ligamento próprio do ovário.
Ovários: gônadas femininas, duas estruturas
ovuladas de cerca de 4 cm de comprimento,
localizados na porção superior da cavidade
pélvica, um de cada lado do útero.
Os contraceptivos hormonais, em sua maioria
compostos por estrogênio e progesterona sintéticos,
agem sobrepujando os hormônios que desencadeiam a
ovulação. Estes anticoncepcionais têm a função de
manter níveis constantes de progesterona e
estrogênio, que inibem a secreção hipofisária de LH e
FSH através de um mecanismo chamado de “feedback”
(ou retroalimentação), mantendo os óvulos
"adormecidos" e impedindo a ovulação. 
A pílula do dia seguinte pode ser utilizada após o ato
sexual para impedir uma gravidez antes de começar. As
pílulas do dia seguinte usam a progestina para impedir
que os ovários liberem um óvulo. A eficácia delas é
maior quando ingeridas dentro de 72 horas (três dias)
após ato sexual sem proteção, mas continua por até
cinco dias para ajudar a evitar a gravidez. A eficácia
diminui com o tempo, por isso é melhor tomá-la o mais
cedo possível.
AnticoncepcionaisAnticoncepcionais
A fecundação acontece
na porção medial da
tuba uterina
Pílula do Dia SeguintePílula do Dia Seguinte