A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
simulado CRISE DE 1929

Pré-visualização | Página 3 de 6

seus acordos para com todos os seus 
vizinhos do mundo inteiro”. 
Discurso de posse de Franklin D. Roosevelt, em 1933. 
 
Fonte: http://educaterra.terra.com.br/voltaire/mundo/eua_vizinhanca.htm 
 
a) Apresente dois objetivos da política de Roosevelt, relacionando-os ao contexto mundial do entre-
guerras. 
b) Identifique dois efeitos da política inaugurada por esse discurso para as relações entre os países 
americanos no contexto da Segunda Guerra Mundial. 
 
15. (Fgvrj 2012) O período entre as duas grandes guerras mundiais, de 1918 a 1939, caracterizou-se por 
uma intensa polarização ideológica e política. Assinale a alternativa que apresenta somente elementos 
vinculados a esse período: 
 
 
VICTOR RYSOVAS DEZDEHISTORIA.COM.BR 
@DEZDEHISTORIA 10 
 
a) New Deal; Globalização; Guerra do Vietnã. 
b) Guerra do Vietnã; Revolução Cubana; Muro de Berlim. 
c) Guerra Civil Espanhola; Nazifascismo; Quebra da Bolsa de Nova York. 
d) Nazifascismo; New Deal; Crise dos Mísseis. 
e) Doutrina Truman; República de Weimar; Revolução Sandinista. 
 
16. (Ufsj 2012) “Na política, ele aplicou o princípio do Nunca mais. Com tantos pobres, com tantos famintos nos 
Estados Unidos, nunca mais o mercado como fator exclusivo de obtenção de recursos. Por isso, decidiu realizar sua 
política do pleno emprego. E desse modo não somente atenuou os efeitos sociais da crise como seus eventuais 
efeitos políticos de fascistização com base no medo massivo. O sistema de pleno emprego não modificou a raiz da 
sociedade, mas funcionou durante décadas. Funcionou razoavelmente bem nos Estados Unidos, funcionou na 
França, produziu a inclusão social de muita gente, baseou-se no bem-estar combinado com uma economia mista que 
teve resultados muito razoáveis [...]. Alguns Estados foram mais sistemáticos, como a França, que implantou o 
capitalismo dirigido, mas em geral as economias eram mistas e o Estado estava presente de um modo ou de outro.” 
 
Fonte: Entrevista do historiador Eric Hobsbawm, argentino, p. 12. Disponível em: 
<www.vermelho.org.br/base.asp?texto=53413>. 
 
O texto faz referência às iniciativas do presidente norte-americano Franklin Roosevelt e remete 
a) à política protecionista implantada em quase todos os países industrializados em resposta ao 
crescimento da rivalidade internacional e à crise econômica das décadas de 1870 e 1880, quando 
apenas a Grã-Bretanha, na ocasião a maior potência mundial, insistiu na política de livre comércio. 
b) ao conjunto de medidas liberais tomadas na Europa e nos Estados Unidos durante as décadas de 1980 
e 1990, que visavam a diminuir o papel do Estado na economia, a desregulamentar a circulação do 
capital financeiro e a diminuir os direitos sociais dos trabalhadores. 
c) ao New Deal implantado nos Estados Unidos na década de 1930, um conjunto de políticas públicas que 
visavam a responder à crise econômica iniciada em 1929 e que influenciou a política de bem-estar 
social verificável em alguns países da Europa após a Segunda Guerra Mundial. 
d) às medidas de recuperação da economia europeia implantadas logo após a Primeira Guerra Mundial, 
recuperação impulsionada pelo vertiginoso crescimento da economia norte-americana até a crise 
global de 1929. 
 
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: 
Leia o texto a seguir. 
 
A história dos vinte anos após 1973 é a de um mundo que perdeu suas referências e resvalou para a 
instabilidade e a crise. Só no início da década de 1990 encontramos o reconhecimento de que os 
problemas econômicos eram de fato piores que os da década de 1930. Em muitos aspectos, isso era 
intrigante. Por que deveria a economia mundial ter-se tornado menos estável? 
 
 
VICTOR RYSOVAS DEZDEHISTORIA.COM.BR 
@DEZDEHISTORIA 11 
 
 
(Eric Hobsbawm. Era dos extremos, 1995. Adaptado.) 
 
 
17. (Unesp 2012) Os problemas econômicos da década de 1930, citados no texto, derivaram, entre outros 
fatores, 
a) dos fortes movimentos sociais e mobilizações revolucionárias na América Latina, em especial no México, 
que impediram a exportação de produtos industrializados norte-americanos para a região. 
b) do conjunto de reformas financeiras e sociais realizadas na União Soviética após a Revolução de 1917, 
que fechou os mercados do bloco socialista aos países capitalistas do Ocidente. 
c) da ascensão do nazismo alemão e dos regimes fascistas na Itália, Espanha e Portugal, que provocaram 
a Segunda Guerra Mundial e paralisaram a produção industrial europeia. 
d) de uma ampla crise do liberalismo, que ganhou contornos mais nítidos após a Primeira Guerra Mundial e 
desembocou na quebra da Bolsa de Valores de Nova York, em 1929. 
e) do forte crescimento econômico da Alemanha na passagem do século XIX para o XX e da acirrada 
competição comercial e naval deste país com a Grã-Bretanha e a França. 
 
18. (Uerj 2011) Durante os últimos três meses, visitei uns vinte estados deste belo país extraordinariamente 
rico. As estradas do oeste e do sudoeste pululam de pessoas famintas pedindo carona. As fogueiras dos 
acampamentos dos desabrigados são visíveis ao longo de todas as estradas de ferro. Os fazendeiros estão 
sendo pauperizados pela pobreza das populações industriais, e as populações industriais, pauperizadas 
pela pobreza dos fazendeiros. Nenhum deles tem dinheiro para comprar o produto do outro; 
consequentemente há excesso de produção e carência de consumo, ao mesmo tempo e no mesmo país. 
 
Relato feito em 1932 por Oscar Ameringer à Câmara dos Representantes dos Estados Unidos. 
Adaptado de MARQUES, A. M. et al. História contemporânea através de textos. São Paulo: Contexto, 1990. 
 
O depoimento acima faz referência a efeitos da Crise de 1929 para a sociedade norte-americana. 
Apresente dois fatores que contribuíram para deflagrar essa crise e cite seu principal desdobramento para 
a economia europeia naquele momento. 
 
19. (G1 - ifsp 2011) O período entre guerras (1918-1939) foi marcado: 
a) pela vitória das ideias liberais, pelas democracias na Europa, pela crise econômica nos EUA, 
devido aos grandes gastos com a Primeira Guerra Mundial. 
b) pela rápida recuperação da Alemanha, uma das nações perdedoras na Primeira Guerra Mundial, 
 
 
VICTOR RYSOVAS DEZDEHISTORIA.COM.BR 
@DEZDEHISTORIA 12 
 
graças ao Plano Marshall implantado pelos Estados Unidos. 
c) pelo gangsterismo nos EUA devido à Lei Seca, pelo surgimento de regimes totalitários, como o 
Nazismo e o Fascismo, pelo crescimento da intolerância e do racismo. 
d) pelo grande crescimento científico ocorrido principalmente com a Primeira Guerra Mundial. O 
homem descobriu novos remédios, como a penicilina, e a força atômica, usada pela Alemanha na 
Segunda Guerra Mundial. 
e) pela “belle époque”, os chamados anos dourados, pela vida luxuosa da burguesia europeia, 
enriquecida com a Primeira Guerra Mundial. Ao mesmo tempo, a miséria devastava a Rússia, o 
que a levou à 1ª revolução socialista da História. 
 
20. (Unifesp 2011) Numa quinta-feira, 24 de outubro de 1929, 12.894.650 ações mudaram de mãos, foram 
vendidas na Bolsa de Nova Iorque. Na terça-feira, 29 de outubro do mesmo ano, o dia mais devastador da 
história das bolsas de valores, 16.410.030 ações foram negociadas a preços que destruíam os sonhos de 
rápido enriquecimento de milhares dos seus proprietários. A crise da economia capitalista norte-americana 
estendeu-se no tempo e no espaço. As economias da Europa e da América Latina foram duramente 
atingidas. Franklin Delano Roosevelt, eleito presidente dos Estados Unidos em 1932, procurou combater a 
crise e os seus efeitos sociais por meio de um programa político conhecido como New Deal. 
 
a) Identifique dois motivos da rápida expansão da crise para fora da economia norte-americana. 
b) Caracterize de maneira geral o New Deal e apresente uma de suas medidas de combate à crise. 
 
21. (Ifsp 2011) Em seu discurso de posse, em 1933, o presidente dos EUA, Franklin Delano Roosevelt,