A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
exercícios CONGRESSO DE VIENA ERA NAPOLEÔNICA COMUNA DE PARIS

Pré-visualização | Página 5 de 6

napoleônica, o Congresso de Viena garantiu a formação da Santa Aliança e o 
processo de Restauração na Europa, num claro processo contrarrevolucionário francês. A Restauração 
garantiu a volta ao poder das dinastias que haviam sido destituídas por Bonaparte. 
 
Resposta da questão 12: 
 [C] 
 
O Congresso de Viena foi uma reação conservadora que visou recompor o mapa político da Europa 
frente às mudanças impostas pelo império Napoleônico. 
Com a derrota de Napoleão foi formada a Santa Aliança que buscava barrar as ideias liberais e restituir o 
equilíbrio entre as grandes potências europeias. 
 
Resposta da questão 13: 
 a) No leste da Europa, as guerras napoleônicas levaram os ideais de liberalismo e nacionalismo que 
auxiliaram na transformação dos regimes monárquicos existentes nesta região. 
b) No continente americano, as guerras napoleônicas influenciaram em especial a história do Brasil, que 
ao receber a corte portuguesa, fugindo das tropas napoleônicas, vai precipitar a transformação da vida 
na colônia, agora elevada à categoria de Reino Unido de Portugal e Algarves, o que lhe trouxe inúmeros 
privilégios que como colônia não conheceria. 
 
Resposta da questão 14: 
 [A] 
 
A Comuna de Paris foi uma sublevação popular que tentou formar um governo do povo para comandar a 
França. Por conta dessa característica, foi combatida por todas as outras correntes políticas. 
 
 
VICTOR RYSOVAS DEZDEHISTORIA.COM.BR 
@DEZDEHISTORIA 18 
 
 
Resposta da questão 15: 
 a) Qualquer ideia de unidade territorial e política-administrativa prévia entre as distintas províncias 
brasílicas, sem vínculos entre si, dependia necessariamente da submissão e obediência direta a Lisboa. 
Tal situação viu-se transformada quando, com a vinda da Corte para o Brasil, a unidade do ponto de 
vista político-administrativo foi transferida de Lisboa para a nova sede da colônia, no Rio de Janeiro. 
Assim, o estudante poderá citar quaisquer medidas que tenham contribuído, direta ou indiretamente, 
para fortalecer essa tentativa de manter as províncias e seus territórios unidos sob o domínio português 
no Brasil. Por exemplo: 
- a transferência para a nova capital das Secretarias de Estado (Conselho do Estado, Mesas do 
Desembargo do paço e da Consciência e Ordens, Conselho Supremo Militar e Conselho da Fazenda); 
- a abertura dos portos às nações amigas; 
- a revogação do Alvará de 1785 que proibia a instalação de manufaturas no Brasil; 
- a criação do banco do Brasil e a instalação da Junta de Comércio; 
- a elevação do Brasil em 1815 à condição de Reino Unido a Portugal e Algarves; 
- a criação da imprensa régia; 
- a transformação da cidade do Rio de Janeiro em sede da Corte; e, 
- as práticas de concessão de terras e títulos de nobreza. 
Mais diretamente ligados à ideia da expansão territorial, o candidato poderá citar: 
- a invasão de Caiena (Guiana Francesa), em 1809, mantendo-a sob domínio português até 1815; 
- a invasão da região do Rio da Prata, em 1811 pela primeira vez e depois em 1816, quando foi anexada 
a Banda Oriental (atual Uruguai), com o nome de Província Cisplatina. 
b) Quanto às características comuns entre as independências da América ibérica, pode-se mencionar: 
- o fato de tanto a América espanhola como a portuguesa partilharem da mesma conjuntura política 
europeia como ponto de partida – isto é, o Bloqueio napoleônico e a guerra e invasão das respectivas 
metrópoles; 
- a intensa luta pela autonomia das províncias, observadas nos dois casos: com esfacelamento dos vice-
reinos hispânicos (iniciado grosso modo em 1810 e estendendo-se até 1825) e com o a independência 
proclamada por D. Pedro no Rio de Janeiro, em 1822; e, 
- o importante papel exercido pelos britânicos no auxílio às guerras para a criação dos novos estados-
nação independentes e, logo, na manutenção e expansão do comércio com as demais nações 
europeias. 
 
Resposta da questão 16: 
 [C] 
 
 
VICTOR RYSOVAS DEZDEHISTORIA.COM.BR 
@DEZDEHISTORIA 19 
 
 
O governo de Napoleão representou a continuidade da Revolução Francesa e da defesa dos interesses 
econômicos da burguesia. Apesar de iniciar uma ditadura, contrariando o princípio de liberdade política, 
seu governo preservou os ideais e as instituições sob a ótica burguesa, eliminando as concepções que 
valorizassem as tradições da nobreza ou da Igreja. 
 
Resposta da questão 17: 
 a) O estudante deverá relacionar os processos revolucionários na América espanhola ao bloqueio continental 
determinado pela França sobre a Inglaterra e às invasões napoleônicas de 1808, que, na Espanha, levaram à 
renúncia forçada de Fernando VII, e a um vazio de poder posteriormente preenchido pelas juntas de Governo. 
b) O estudante deverá avaliar a independência como um processo construído ao longo dos anos de 1810 
a 1816, quando a independência política das Províncias Unidas do Rio da Prata foi formalmente 
declarada em 9 de julho de 1816. Assim, o estudante deverá identificar as diferenças entre dois textos 
citados: o primeiro, moderado, e, o segundo, radical. O primeiro aponta para a possibilidade da Província 
do Rio Prata permanecer como parte integrante do Império Espanhol. No segundo texto, o estudante 
deverá identificar um ataque ao absolutismo com a dissolução dos títulos de nobreza e o fato da Espanha 
ser considerada como inimiga. 
 
Resposta da questão 18: 
 [C] 
 
As áreas dominadas por Napoleão concentravam-se na Europa e não eram necessariamente produtoras 
de matérias-primas; além disso, dos países vencedores, apenas a Inglaterra possuía uma economia 
industrial, claramente capitalista e preocupada com a obtenção de matérias-primas. As demais nações 
europeias preocuparam-se em ampliar as áreas de influência e reproduzir nas áreas incorporadas as 
relações de poder e de privilégios da nobreza. 
A supremacia inglesa nos mares foi garantida pela obtenção da Ilha de Malta, da Colônia do cabo e do 
Ceilão. 
 
Resposta da questão 19: 
 [E] 
 
A política expansionista francesa tinha como grande objetivo ampliar seus mercados na Europa, como 
uma das bases para sua industrialização e, nesse sentido, após a derrota na tentativa de invadir a 
Inglaterra, a política de Napoleão Bonaparte pretendeu isolar a Inglaterra e estrangular sua economia. 
 
Resposta da questão 20: 
 [A] 
 
 
VICTOR RYSOVAS DEZDEHISTORIA.COM.BR 
@DEZDEHISTORIA 20 
 
 
A famosa obra de Goya retrata o fuzilamento de populares em Madri, que resistiram à ocupação francesa 
promovida por tropas napoleônicas. A invasão francesa foi responsável por derrubar o absolutismo na 
Espanha, mas mesmo assim encontrou forte resistência popular que se organizou e lutou pela libertação 
do país. 
 
Resposta da questão 21: 
 No início do século XIX existiam diferenças políticas e econômicas entre Inglaterra e França. A Inglaterra 
era uma monarquia constitucional e liberal, enquanto que a França era caracterizada pela ditadura de 
Napoleão Bonaparte. Do ponto de vista econômico, a Inglaterra era um país industrializado, que havia 
expandido seus mercados e promovia forte acumulação de capitais, enquanto a França desenvolvia uma 
política industrialista e possuía poucos mercados, percebendo a concorrência inglesa como principal 
obstáculo ao seu desenvolvimento. O Decreto Napoleônico reforça a política expansionista francesa, do 
ponto de vista militar, como elemento de contenção à política expansionista inglesa, do ponto de vista 
econômico. 
 
Resposta da questão 22: 
 [D] 
 
A questão se torna mais difícil por se tratar de um assunto pouco abordado nas aulas de História: o 
movimento operário e as ideias sociais e políticas do século XIX. Comuna de Paris, I Internacional, greves 
de 1918 no Brasil, anarquismo e socialismo são exemplos de luta operária nesse período. A alternativa [D] 
está totalmente equivocada: primeiro porque o fordismo foi um modelo de exploração da classe 
trabalhadora, pois desenvolveu a linha de montagem e tornou o operário mais preso à máquina;