A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Aula 2 - Leucograma

Pré-visualização | Página 1 de 2

Letícia Brito 2021.1 – CESMAC 
Interpretação Clínico Laboratorial do Hemograma 
Leucograma 
▪ Contagem global de leucócitos, chamada também de WBC, pode variar de 5.000 a 10.000 ou de 4.500 a 11.000 ou 
também 5.000 a 11.000. Essa variação acontece, pois, cada aparelho tem sua calibração. 
▪ Uma contagem global de leucócitos nem sempre quer dizer que o paciente esteja normal, por isso é importante 
associar a clínica do paciente. 
▪ Quando se ver Leucopenia → o que pensar? 
o Infecção Viral 
▪ Quando tem um valor muito aumentado de leucócitos → pensar em leucemia 
▪ Contagem diferencial: ela diz o quando em um percentual total de 100%, no total de 100 células contadas, quantas 
células tem em comparação ao valor total. 
▪ Valores absolutos: Nº de leucócitos totais x A porcentagem da contagem diferencial / 100 
Hematopoese 
 
▪ A célula tronco é capaz de originar dois progenitores um linfoide, dando origem as células T e células B, e um 
mieloide que dá origem a todas as outras células. 
 
Caso 1: 
 
▪ Leucócitos Totais: 24.300 
Letícia Brito 2021.1 – CESMAC 
▪ Nº de bastonetes muito aumentado → gerando uma neutrofilia 
▪ Linfócitos baixos → linfopenia ou linfocitopenia → é relativa pois não possui os valores absolutos 
▪ Neutrófilos Mielócitos → não devem ser encontrados no sangue periférico, e sim na medula óssea. 
▪ Hipóteses diagnósticas 
o Infecção bacteriana aguda 
 
▪ Mieloblasto é a célula mais jovem da série que vai dar origem ao neutrófilo 
▪ O mieloblasto vai amadurecer dentro de um período de diferenciação que ele passa, vai começar a ter um excesso 
de granulações primárias e secundárias e querendo ter um formato riniforme → dando origem ao promielocito 
▪ Promielocitos → perde suas granulações secundárias, ficando apenas com a primária → continua querendo ficar 
com forma riniforme → dando origem ao mielócito → metamielócito → bastão → sofre segmentação → 
neutrófilo segmentado 
Maturação da Linhagem Neutrofílica 
 
 
▪ Mieloblasto → promielócito → mielócito → metamielócito → bastão → neutrófilo segmentado 
▪ Bastão de Auer se encontrado → pensar em leucemia mieloide 
▪ Desvio a esquerda escalonado 
o Aparecimento de células mais imaturas do que o neutrófilo segmentado 
▪ Pergunta de prova: quando a célula pular de mieloblasto para bastão ou neutrófilo segmentado, ela não seguiu a 
ordem escalonada, ocorrendo assim um hiato leucêmico. 
o DIFERENÇA DE HIATO LEUCÊMICO E REAÇÃO LEUCEMOIDE 
 
 
Letícia Brito 2021.1 – CESMAC 
Processo Infeccioso Agudo 
▪ Fase Neutrofílica ou luta 
o A primeira célula que chega para fagocitar é o neutrófilo 
▪ Fase Monocitáira ou defensiva 
o Macrófago consegue englobar mais agentes infecciosos maior do que o neutrófilo, tem um maior poder 
de fagocitose 
▪ Fase Linfocitária ou cura 
o Aumenta, pois produz citocinas que vão atuar a distância 
Fase Neutrofílica ou de Luta 
Leucocitose 
▪ Neutrofilia 
▪ Desvio à esquerda 
▪ Eosinopenia 
▪ Linfopenia 
Fase Monocitária ou defensiva 
Leucocitose 
▪ Neutrofilia ou normal 
▪ Monocitose 
▪ Eusinopenia 
▪ Linfopenia 
Fase Linfocitária ou de cura 
▪ Leucócitos normais / aumentados 
▪ Neutropenia 
▪ Ausência do desvio à esquerda 
▪ Linfocitose 
▪ Eosinófilos normais / aumentados 
Mecanismos Fisiopatológicos das Neutrofilias 
▪ Aumento da produção aumento da liberação 
▪ Desmarginalização 
▪ Diminuição do egresso dos neutrófilos do sangue para os tecidos 
▪ Diminuição dos neutrófilos normalmente retidos no baço (encarceramento esplênico) 
▪ Descargas adrenérgicas 
▪ Doses farmacológicas de corticoides 
▪ Processos infecciosos agudos 
▪ Vírus: raiva, poliomielite, herpes zoster 
▪ Estimulação da medula 
▪ Acidoses 
▪ Doenças hematológicas 
▪ Exemplos 
o Meningites, Endocardites, Artrites, Infecções faríngeas e amigdalianas 
o Difteria, Angina Estreptocócica, Escarlatina 
Abdome Agudo Cirúrgico 
▪ Neutrofilia e desvio à esquerda precoces 
Letícia Brito 2021.1 – CESMAC 
▪ Eosinopenia 
▪ Linfopenia 
▪ Monócitos normais 
Causas de neutrofilia e mecanismos 
▪ Congênitas 
o Hereditária: aumento de produção e liberação na medula 
o Deficiência de proteínas ou marcadores: neutrofilia por falta de marginalização dos neutrófilos ao 
endotélio vascular, o que diminui sua diapedese e egresso para os tecidos 
▪ Adquiridas 
o Primárias ou clonais: aumento da produção de neutrófilos na medula óssea como característica própria e 
independente de um clone de células progenitoras mieloides defeituosas 
o Secundárias ou reacionais: é uma resposta decorrente de determinados estados clínicos ou patológicos 
▪ Infecções, inflamações, câncer ou danos teciduais 
▪ Por drogas, hormônios ou toxinas 
▪ Desordens metabólicas 
▪ Hemorragias agudas 
▪ Hemólises agudas 
▪ Estresse súbito 
▪ Gestação e neonatos 
▪ Terapia com corticosteroides ou endotoxinas 
▪ Terapia com citocinas 
OBS: PESQUISAR: COMO SE COMPORTA O HEMOGRAMA NA COVID-19 
OBS: Aumento de linfócito → Viral. Aumento de Neutrófilo → Bacteriano 
Alterações Qualitativas dos neutrófilos 
▪ Neutrófilos com granulações reacionais → granulações tóxicas → é um estímulo a mais para tentar combater o 
agente infeccioso 
▪ Corpo de dollen → mancha reacional 
▪ Pelguer huet → é uma anomalia → aparece como neutrófilos hiposegmentados 
▪ Vacúolos citoplasmáticos 
▪ Hipersegmentação Neutrofílica 
▪ Neutrófilo em degeneração 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Letícia Brito 2021.1 – CESMAC 
Classificação fisiopatológica das neutropenias 
▪ Baixa produção: há falha na proliferação ou maturação celular dos neutrófilos na medula óssea, ou memo por 
fagocitose intramedular. 
▪ Falha na proliferação: há falência na proliferação da linhagem granulocítica na medula óssea, ou seja, a 
granulopoiese Neutrofílica está diminuída. Há casos em que são encontradas apenas escassos mieloblastos e 
promielócitos na medula. 
o Congênitas: são síndromes raras da infância com hipoplasia neutrofila na medula: 
▪ Neutropenia congênita 
▪ Síndrome de Shwachman-Diamond 
▪ Síndrome de Chédiak-Higashi 
▪ Disgenesia reticular 
▪ Neutropenias que cursam com imunoglobulinas anormias 
▪ Síndrome de hipoplasia de pelos e cartilagens 
▪ Anemia de Fanconi 
▪ Entre outras. 
o Adquiridas 
▪ Neutropenia aguda por drogas citotóxicas ou hipoplasiantes, produtos químicos ou agentes físicos 
▪ Que ocorrem em todos os indivíduos quando em altas intensidades ou doses: radiação, benzeno, 
mostardas nitrogenadas, antimetabólicos, derivados da vinca, antraciclinas, colchicina etc. 
▪ Independe da dose 
▪ Infecções 
o Todos os tipos de infecções de péssimo prognóstico em pacientes debilitados e com baixa resistência, 
como nas fases finais de septicemias, tuberculose miliar, etc. 
o Virais: HCV, estados mais avançados da infecção pelo HIV, parvovírus B19 
o Bacterianas: febres tifóide e paratifóide (Salmonelose), alguns casos de tuberculose e raros casos de 
tularemia. 
o Riquetsioses: varíola por riquétsia, tifo, febre maculosa 
o Protozoários: malária, calazar e tripanossomíase 
o Fungos: Histoplasmose 
▪ Falha na maturação: há abundancia na linhagem granilocítica na medula óssea, mas que apresenta assincronismos 
maturativos núcleo/citoplasma (displasia – disgranulopoiese) e destruição excessiva dos neutrófilos dentro da 
própria medula (granulopoiese ineficaz). Isso leva à granulopoiese neutrófila diminuída 
o Congênitas 
▪ Deficiência de transcobalamina II: há pancitopenia da anemia megaloblástica 
▪ Neutropenias congênitas com disgranulocitopoiese 
o Adquiridas 
▪ Anemias megaloblásticas adquiridas 
▪ Mielodisplasias 
▪ Por destruição (fagocitose) intramedular: 
o Síndromes hemofagocitárias: destruição pelos macrófagos ou outras células do sistema retículo-
endotelial. 
▪ Aumento da destruição periférica ou do consumo: há diminuição da sobrevida dos neutrófilos por