A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Controle Humoral da P A

Pré-visualização|Página 1 de 1

Controle Humoral da P.A.

-O corpo também possui mecanismos poderosos de regulação da pressão sanguínea a longo prazo, que estão intimamente relacionados com o controle do volume de líquidos corporais pelos rins – um mecanismo conhecido como sistema de feedback renal e de líquidos corporais. 

-Quando a pressão arterial se eleva excessivamente, os rins excretam quantidades maiores de sódio e água em decorrência da natriurese por pressão e da diurese por pressão, respectivamente. Como resultado do aumento da excreção renal, o volume de líquido extracelular e de sangue é reduzido até a pressão sanguínea ser normalizada e os rins voltarem a excretar quantidades normais de sódio e água.

-Ao contrário, quando a pressão arterial cai a níveis excessivamente baixos, os níveis renais de sódio e a excreção de água são reduzidos. No decorrer de algumas horas ou dias, se o indivíduo beber água e ingerir sal em quantidades suficientes para aumentar o volume sanguíneo, a pressão arterial voltará aos níveis normais. 

-À medida que a pressão arterial eleva-se, ocorrem aumentos importantes no débito de volume (diurese por pressão) e de sódio (natriurese por pressão). Observa-se que, enquanto a pressão arterial permanece acima do ponto de equilíbrio normal, o débito renal excede a ingestão de sal e água, resultando em declínio progressivo do volume de líquido extracelular. Porém, se a pressão sanguínea cai e atinge níveis inferiores ao ponto de equilíbrio, o débito renal de água e sal se torna menor do que a ingestão, com consequente aumento progressivo do volume de líquido extracelular. O único ponto da curva em que pode haver equilíbrio entre o débito renal e a ingestão de sal e água é na pressão arterial normal (ponto de equilíbrio).

  1. -Controle humoral da PA – Vasopressina ou ADH
  2. - Hipófise produz Vasopressina ou ADH (hormônioantidiurético):
  3. • ADH promove reabsorção de H2O (abrindo aquaporinas) no ducto coletor
  4. • PA baixa, baixa volemia à ↑ ADH no sangue ↑ reabsorção de H2O:
  5. • ↑ volemia
  6. • Urina mais concentrada.

Túbulo coletor

• Urina mais ou menos diluída.

• ADH(+) à urina concentrada.

• ADH(-) à urina diluída.

Controle hormonal da PA - RAA

  1. ↓ PA (detectado pelas arteríolas aferentes renais);
  2. Células da justaglomerulares detectam e secretam enzima renina);
  3. Angiotensinogênio (produzida no \gado) é catalisado pela renina, tornando-se angiotensina-I;
  4. No endotélio, a angiotensina-I será convertida em angiotensina-II pela enzima conversora da angiotensina (ECA).
  5. Angiotensina induz as supras renais secretam aldosterona;

Peptídeo natriurético atrial (PNA)

  1. • Distensão atrial, ↑ PA ou sobrecarga de líquidos à Átrios liberam
  2. • PNA promove natriurese (secreção de sódio) à diurese
  3. • ↑ taxa de filtração glomerular
  4. • Inibe reabsorção de sódio nos túbulos à água eliminada na urina

“Onde o sódio vai a água vai atrás”

*Alto PA: a perda de líquidos não cessa até a pressão arterial diminuir e atingir o ponto de equilíbrio. Por outro lado, se a pressão sanguínea alcançar níveis inferiores ao ponto de equilíbrio, os rins reduzem a excreção de sal e água a níveis inferiores à ingestão, provocando acúmulo de líquidos e elevando o volume sanguíneo até que a pressão arterial retorna ao ponto de equilíbrio. Como há pouco ou nenhum erro remanescente na pressão arterial após a correção completa, esse sistema de feedback apresenta praticamente ganho infinito.

*Adrenalina/Epinefrina: receptor alfa 1: aumenta PA vasoconstrição-arteriolas,digestorios e rins

Receptor beta 2: diminui PA vasodilatação,arteriolas,coração e m.esquelético