A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
SISTEMA ENDÓCRINO

Pré-visualização | Página 1 de 2

SISTEMA ENDÓCRINO
[Esse assunto costuma cair mais que o sistema nervoso no ENEM].
O QUE É UM HORMÔNIO?!
Hormônio é uma molécula naturalmente produzida por um ser vivo que atua nele alterando o funcionamento de células. Esse hormônio pode atuar apenas localmente (local hormone) ou pode alcançar maiores distâncias (circulating hormone) – na imagem acima, há hormônios que tem efeitos sistêmicos e aqueles com efeitos locais. OBS: os hormônios não são produzidos de forma constante.
A mudança provocada nas células-alvo geralmente ocorre de duas maneiras:
· Interferindo na expressão gênica #inibindo, intensificando, ativando...
· Afetando a afinidade de uma enzima com o seu substrato.
OBS: o mesmo hormônio, em diferentes células, pode provocar efeitos diferentes. Ex: a adrenalina provoca nos vasos sanguíneos vasoconstrição e vasodilatação – depende do vaso. 
	A ação hormonal, quando comparada a uma ação nervosa, visa exercer um controle das nossas atividades corporais. Essas ações apresentam duas diferenças principais:
· Tempo para começar a atuar
· Hormonal: demora
· Nervosa: rápida
· Tempo de duração da ação
· Hormonal: longa
· Nervosa: curta
Assim, enquanto a ação nervosa é rápida e pouca duradoura, a ação hormonal é lenta e muito duradoura.
A célula-alvo, na sua superfície, tem um receptor hormonal que precisa interagir com um hormônio para que determinado efeito seja executado.
SENSIBILIDADE A UM HORMÔNIO
 	A sensibilidade a um hormônio é algo muito importante. Vamos entender o porquê disso e para isso tomemos como exemplo o hormônio insulina:
· Sensibilidade reduzida: o corpo tende a reagir produzindo o hormônio em excesso para que seu efeito continue acontecendo de forma adequada. Na maioria das vezes, quando essa sensibilidade fica baixa por muito tempo, há uma diminuição da responsividade.
· Concentração da glicose e a concentração da insulina, pois se baseando nesses dois fatores, saberemos se o corpo está bom em controlar a glicemia ou se algum problema está em curso.
· Responsividade (efeito) reduzida: o corpo tende a produzir menos o hormônio. Normalmente, quando ela acontece, não conseguimos mais fazê-la voltar ao normal.
NA GLÂNDULA PINEAL...
· Região do tálamo
· Participa da produção dos hormônios:
MELATONINA
NO HIPOTÁLAMO
· Região do nosso encéfalo extremamente importante para o sistema endócrino. 
OCITOCINA
HORMÔNIO ANTIDIURÉTICO (ADH) OU VASOPRESSINA
· Hormônios secretados na hipófase (neuroipófase);
· Quando chegam na circulação sanguínea, se espalham pelo nosso corpo atuando em diferentes locais
· Ocitocina
· Apego #todos;
· Contração do miométrio (o músculo do útero) #só mulheres
· Essa contração diminui a intensidade da hemorragia após o parto
· Ejeção do leite #só mulheres 
· ADH
· Interfere na diurese (produção de urina);
· Nos faz economizar água;
· OBS: promove a reabsorção de água que ocorre durante a diurese.
· OBS2: não se relaciona ao controle glicêmico, mas a não produção ou a produção inadequada de ADH – isso faz com que o portador dessa doença urine muito.
· Variáveis para a produção adequada de ADH:
· Osmolaridade sanguínea: quanto maior, maior é a produção de ADH, causando a sensação de sede
· Frio: quanto maior, maior a produção de ADH e, consequentemente, de urina;
· Etanol: ele inibe a produção de ADH e, por isso, é correto dizer que a ingestão de bebida alcoólica desidrata o corpo.
· Promove a vasoconstrição.
FATORES OU HORMÔNIOS HIPOTALÂMICOS:
	Esses hormônios hipotalâmicos agem na adenoipófase.
· Hormônios liberadores ou fatores hipotalâmicos de liberação. Ex: GnRH, TRH, CRH...
· Hormônios inibidores ou fatores hipotalâmicos de inibição. Ex: somatostina.
OBS: feedback ou retroalimentação é um mecanismo de controle – o feedback positivo estimula uma ação acontecer, enquanto que o feedback negativo inibe.
OBS2: sistema porta-hipofisário.
HORMÔNIO DO CRESCIMENTO OU STH OU GH OU SOMATROFINA OU SOMATROPINA #hormônio adenoipofisário
· Um dos raros hormônios proteicos que produzimos;
· Como todo HORMÔNIO TRÓFICO, promove o crescimento de forma INDIRETA – agem em uma determinada célula para estimulá-la a produzir determinado hormônio;
· Sua maior produção se dá durante o sono;
· Promove uma boa síntese de proteínas;
· Favorece o uso de ácido graxo como substrato energético (lipólise);
· Distúrbios vinculados ao STH:
· Gigantismo.
· Nanismo.
PROLACTINA #hormônio adenoipofisário
· Induz a lactação. OBS: ocitocina NÃO induz a lactação, mas a saída do leite pelos canais da glândula mamária.
· Sensibilidade insulínica 
· Quanto maior a concentração de prolactina, maiores as chances de desenvolver resistência insulínica.
ADRENOCORTICOTROPINA OU HORMÔNIO ADRENOCORTICOTRÓFICO (ACTH) #hormônio adenoipofisário e trófico
· Produz hormônios corticoides, como o cortisol.
TIREOTROPINA OU HORMÔNIO TIREOIDE ESTIMULANTE (TSH) #hormônio adenoipofisário 
· Atua na glândula tireoide produzindo hormônios iodados (T3 e T4 – apenas o T3 é verdadeiramente um hormônio, pois o T4 é como se fosse uma espécie de reserva de T3)
· OBS: problemas nos receptores de TSH podem causar uma série de problemas, inclusive no desenvolvimento do indivíduo.
· OBS2: hipotireoidismo
· #Facilidade para engordar, sono
· OBS3: hipertireoidismo 
· #Calor, dificuldade para engordar, “pilhada”/energética
· OBS4: bócio- carência de iodo no corpo ou neoplasias. 
· OBS5: o cretinismo é o nome dado para o mau funcionamento da glândula tireoide.
HORMÔNIO FOLÍCULO ESTIMULANTE (FSH) #hormônio adenoipofisário
· Gonadotrofina.
HORMÔNIO LUTEINIZANTE (LH) OU HORMÔNIO ESTIMULANTE DAS CÉLULAS INTERSTICAIS (ICSH) #hormônio adenoipofisário
· Gonadotrofina.
HORMÔNIO MELANÓCITO ESTIMULANTE (MSH) #hormônio adenoipofisário
· Efeitos no encéfalo.
CALCITONINA #hormônio tireoidiano 
· Calcemia é a concentração de cálcio no sangue
· Normocalcemia
· Hipercalcemia
· Hipocalcemia
· Causa efeitos hipocalcemiantes.
NAS GLÂNDULAS PARATIREOIDAIS...
	Essas glândulas recebem esse nome por localizarem-se paralelamente uma em relação a outra – elas ocorrem na região posterior da tireoide e são estimuladas quando a calcemia está abaixo do normal.
PARATORMÔNIO OU PTH
· Produzido e secretado pelas glândulas paratireoidais quando a calcemia está em níveis mais baixos;
· Promove efeitos hipercalcemiantes;
· NOS RINS 
· Estimula uma enzima que possibilita a ativação da vitamina D, que promove a absorção intestinal do íon de cálcio (Ca2+).
· NOS OSSOS
· Promove a reabsorção óssea de cálcio.
· OBS: note que PTH e calcitonina possuem efeitos antagônicos.
NAS GLÂNDULAS ADRENAIS OU GLÂNDULAS SUPRARRENAIS...
· Cada uma delas são, na verdade, duas glândulas diferentes – originam-se de tecidos embrionários distintos.
NORADRENALINA OU NOREPINEFRINA E ADRENALINA OU EPINEFRINA 
· Esses hormônios, também chamados de catecolaminas, são secretados quando a medula da glândula adrenal é estimulada 
· Quando ações simpáticas começam a se intensificar, a tendência é que se intensifiquem mais, porque um dos efeitos disso é estimular as glândulas adrenais a secretar noradrenalina e adrenalina.
· Quanto maior a concentração de catecolaminas, maior é a glicemia – esse alto nível de glicemia é importante para um melhor funcionamento nervoso e vascular.
· Adrenorreceptores 
· Alfa – um dos seus efeitos é a vasoconstrição
· Beta – um dos seus efeitos é a vasodilatação.
· OBS: os leitos vasculares nobres tendem a aumentar seu calibre em situações de fuga ou luta, ao contrário dos leitos não nobres.
· OBS2: remédios beta-bloqueadores x atletas x ansiedade.
NO CÓRTEX ADRENAL...
· O córtex das adrenais é estimulado pelo hormônio adrenocorticotrópico (ACTH);
· Estimula a produção dos hormônios corticoides, derivados do colesterol. Esses hormônios são classificados em 
1) GLICOCORTICOIDES
a. Afetam o metabolismo da glicose, interferindo na glicemia;
b. Promovem efeitos hiperglicemiantes;
c. CORTISOL, o hormônio do estresse
i. Inibe o sono;
ii. Ação anti-inflamatória;
iii. Quanto mais intenso o estresse, maior o nível de cortisol.
2) MINERALICORTICOIDES
a. ALDOSTERONA