Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Crise Social e Ética paradigma econômico, social e ambiental

Pré-visualização | Página 1 de 1

Crise Social e Ética: 
paradigma econômico, social e ambiental
Toda questão do desenvolvimento sustentável no âmbito internacional passa pelas instituições públicas e privadas como assunto da mais alta importância. 
Assim, nós temos que conhecer o conceito de instituição, e a que melhor se adequa aqui é a de Veblen (1998), que diz ser instituição um conjunto de normas, valores, regras e sua evolução. 
As instituições públicas são aquelas que guardam e protegem os interesses, por meio das normas, dos valores e das regras, o que é de interesse público, ou seja, o que é de interesse de todos. E essas regras, valores e normas vão evoluindo conforme a evolução de uma sociedade determinada. Já as instituições privadas têm a mesma finalidade de guardar e proteger interesses. Contudo, esse interesse é de cada um, ou seja, individual, particular. Muito embora as empresas privadas zelem por seus próprios interesses, quando tratamos de meio ambiente, podemos perceber que estas possuem um compromisso com os recursos naturais e a sociedade, que estão intimamente relacionados. 
Diante deste compromisso e, por ele, as instituições privadas podem também ser entendidas como instituições públicas, pois o assunto é de interesse de todos, principalmente se o assunto for meio ambiente e, por esse compromisso com o meio ambiente, a empresa passa a ter compromisso com a sociedade e com a economia. 
Assim, pelo caráter público do meio ambiente e pela sua importância para a humanidade, ele é de pauta internacional. A lei de um país só vale para o país que a promulgou e para as pessoas que nele vive. Por isso que cada país tem a legislação da forma que melhor lhe convier. 
Contudo, os países entre si disciplinam os seus interesses, principalmente o econômico, por meio de regras em suas relações. E, quando não há regra internacional a ser seguida, os países devem agir de acordo com a ética. Estamos falando aqui de relação entre país-país, relação internacional pública.
· Economia é a administração dos recursos, sejam eles abundantes ou escassos. Por isso, a economia é demasiadamente importante para a sociedade. 
· E no meio ambiente há recursos que são escassos e que devem, pelo bem da humanidade, ser preservados. 
· A ética é quem determina a transparência e a cooperação nas relações econômicas entre países ou empresas.
Sobre transparência, podemos destacar o conceito de Tapscott (2003):
O conceito (transparência) significa acesso crescente à informação sobre todo e qualquer faceta do comportamento empresarial por parte de todo o espectro de “stakeholders”, ou seja, dos agentes econômicos e sociais relacionados com a empresa.
Entenda que stakeholders são os agentes que exercem pressão, geralmente, por intermédio dos veículos de comunicação. 
A cooperação deve ser entendida como toda e qualquer ação em favor de ambas as partes. 
A criação de projetos que visem ao equilíbrio e à sustentabilidade e que promovam a aproximação e cooperação entre os países é medida de urgência para o bem do planeta. E tem que contar com as empresas para isso, que devem, pelo compromisso com o meio ambiente, agir como instituições públicas que são. Isso para evitar a crise social e ética com paradigma econômico, social e ambiental. 
O desenvolvimento sustentável e a sustentabilidade social, por meio das empresas, partem de princípios éticos e objetivos bem definidos que venham a convergir em seu favor e é importante a sua propagação. Trata-se da discussão das questões sociais e éticas relacionadas ao capitalismo e à gestão ambiental com um viés no paradigma econômico, social e ambiental que nos leva a investigar a crise social e ética. 
E o que é ética? No Ocidente, podemos destacar Aristóteles com a Ética das Virtudes; Kant com a Ética das Normas, e Habermas com a Ética do Discurso ou do Consenso. Entre elas, destacamos Kant, que diz que toda ação deve ser tomada com senso de responsabilidade, ditado pela razão, e afirma que uma pessoa deve agir numa situação da mesma forma que espera que todas as outras pessoas ajam. Acreditamos que as empresas que estão inseridas nesse universo devem primar pela transparência de seus atos, portanto, pela ética. Neste caso, a postura ética deverá se unir à economia, à sociedade e ao meio ambiente para sustentar as responsabilidades sociais e ambientais, porque as leis dos países variam de acordo com o seu conhecimento e desenvolvimento. 
Mesmo que a lei seja amena, por uma questão ética, deve-se deixar clara a natureza da exploração econômica e os impactos ao meio ambiente. 
Assim, a postura ética de uma empresa traduzirá na sua confiabilidade no mercado nacional e estrangeiro. 
Refletindo sobre isto, a BM&FBOVESPA criou o Índice de Sustentabilidade Empresarial – ISE –, que teve o seu início na tendência mundial dos investidores de procurarem empresas para aplicação de seus recursos financeiros que, além de rentáveis, sejam socialmente responsáveis. Explica BM&FBOVESPA que tais recursos se tornam aplicações e essas aplicações, que se denominam “investimentos socialmente responsáveis – SRI”, consideram que as empresas sustentáveis geram valor ao acionista a longo prazo, pois acredita-se que estão mais preparadas para enfrentar riscos econômicos. 
O desenvolvimento econômico depende diretamente do desenvolvimento sustentável e a conduta ética entre os países torna-se um marco importante para se fortalecer o papel de institucional da empresa que tem caráter público pelo compromisso firmado com a sociedade para desenvolvimento de sua atividade lucrativa. 
Devemos observar que muitos países (Estados) são dominados pelos interesses das empresas (grupos econômicos, corporações, organizações) com vistas exclusivas no lucro, excluindo, totalmente, a defesa do meio ambiente, da sociedade e da economia. 
Neste sentido, Macêdo (2015) destaca que: “A origem de toda a corrupção está na tomada do Estado por grupos econômicos, que garantem a satisfação de seus interesses específicos em detrimento da sociedade como um todo”. As crises experimentadas nos países, seja de que continente for, sempre estão ligadas à sociedade e aos valores éticos, ou melhor dizendo, à ausência deles, que afeta diretamente a economia, a sociedade e o meio ambiente, ou seja, crise social e ética com paradigma econômico, social e ambiental.
ASSIMILE
· A crise social e ética tem origem no desequilíbrio promovido pelas empresas que não se comprometem com a sociedade e tampouco com o meio ambiente.
· São empresas que agem com falta de transparência e são antiéticas, tendo em vista que a ética se refere a toda ação que deve ser tomada com senso de responsabilidade.
Referência: Responsabilidade social e ambiental - Benedita de Fátima Delbono