A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Atividade complementar

Pré-visualização|Página 1 de 1

A.C: 2 horas

Disciplina: Atividade: Incentivo à leitura

Livro: Pedagogia da Autonomia

Sinopse da Atividade:

Neste livro o autor introduz sua problemática instigando o professor a entender-se como parte de um processo de construção do conhecimento pedagógico, provoca o professor a pensar criticamente sobre sua atuação frente aos seus alunos. Destaca a necessidade de uma relação dual onde quem ensina deve estar preparado para aprender e repudia a simples transmissão de conhecimento. Salienta a valorização dos saberes do educando, assim como a compreensão das suas diferenças podem despertar em si, como educador a capacidade de perceber e contextualizar cada teoria estudada a realidade vivida do discente. Convoca o educador a refletir sobre uma real interdependência entre ensinar e aprender, entre educador e educando, entre os sujeitos e o conhecimento.

Com este “cenário” Freire desarma o pedagogo que busca em seu livro a solução para as suas dificuldades e limitações frente ao educando, pois diferentemente do que possa parecer, este livro aparece como um raciocínio amplo repleto de embasamentos sociológicos, políticos e psicológicos. Com um raciocínio coeso, insiste, e por vezes repetidamente convoca o educador a buscar mais, ser cada dia mais ético, mais metódico, curioso e criativo.

Considerações finais: Esse livro é de mera importância para minha formação acadêmica e minha vida profissional, dando me subsídios para saber lidar com minha carreira e com alunos.

Podendo propiciar o que for significativo para os alunos, sabendo que o aluno não é um mero receptor da aprendizagem, é um coletivo, onde ambos aprendem juntos. Tornando assim uma aprendizagem qualitativa.

Freire aprofunda seu raciocínio acerca da diferença entre adaptar-se a uma situação e inserir-se na mesma situação ou ambiente, Não podemos nos assumir como sujeitos da procura, da decisão, da ruptura, da opção, como sujeitos históricos, transformadores, a não ser assumindo-nos como sujeitos éticos (...) É por esta ética inseparável da prática educativa, não importa se trabalhamos com crianças, jovens ou com adultos.

Foi de grande aprendizagem poder ler este livro.