A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Estudo dirigido - UROCHORDATA E CEPHALOCHORDATA - ZOOLOGIA

Pré-visualização | Página 1 de 3

01. Defina três autoapomorfias de Urochordata e Cephalochordata e duas sinapomorfias
destes dois grupos compartilhadas com Vertebrata.
Urochordata Cephalohordata
Autapo
morfias
1. Corpo coberto por uma
túnica composta de um
polissacarídeo semelhante a
celulose (tunicina)
2. Sistema circulatório
simples, com fluxo
bidirecional
3. Perda secundária do celoma
1. Mancha ocelar/ocelos
2. Complexo oral, que
envolve órgãos
relacionados à alimentação
(órgão da roda, véu e
tentáculo velar)
3. Ceco hepático
Sinapo
morfias
1. Notocorda dorsal (em alguma fase da vida)
2. Endóstilo faríngeo endodérmico
02. Como é definido um animal Cordado?
A característica principal deste filo é que durante a fase embrionária todos apresentam
tubo nervoso dorsal, notocorda, cauda pós-anal. Em algum estágio do desenvolvimento,
apresentem fendas faríngeas.
Além disso, são animais triblásticos, enterocelomados, metamerizados, deuterostômios,
com simetria lateral e apresentam sistema digestório completo.
03. Quais são as bases para a inclusão de Cephalochordata como grupo irmão de um
clado entre Urochordata + Chordata?
A sustentação de Cephalochordata como grupo irmão dos Olfactores, que é
formado por Urochordata e Vertebrata, se dá por dados moleculares que
demonstram que o segundo grupo tem maior proximidade evolutiva entre si. As
similaridades anatômicas entre Urochordata e Vertebrata são poucas, como
algumas células migratórias do primeiro grupo semelhante às células migratórias
da crista neural em vertebrados. A real proximidade, que possibilita a formação
dos Olfactores está nos genes Hox e na homologia entre os placoides
ectodérmicos de Vertebrata e Urochordata que também sustenta Olfactores. Por
último, essa relação que coloca os tunicados e os craniados como grupo-irmão,
reforça que os caracteres compartilhados por Chephalochordata e craniados,
como blocos de musculares dispostos em segmentos, poderiam ser ancestral a
todo grupo Chordata.
04. O que são Ascídeas? A que Filo pertencem e como se relacionam com os
vertebrados?
Um dos representantes mais conhecidos do subfilo Urochordata, filo Cordata, são as
Ascídias, cordados marinhos que podem viver isolados ou formando colônias. Uma das
formas isoladas muito encontrada nas praias brasileiras lembra, no adulto, um pedaço
de piche de aproximadamente 8 cm de altura, preso por uma de suas extremidades ao
substrato (rochas, cascos de navios etc.)
Os ovos fertilizados geram larvas, de pequeno tamanho. A larva, mostrada acima,
parece muito com a larva de sapo (girino) o que sugere forte parentesco com os
vertebrados. A larva das ascídias é livre natante e os adultos são fixos. Na larva dos
tunicados, a notocorda restringe-se à cauda.
A classe Ascidiacea está dentro do subfilo Tunicata, e esse por sua vez, é grupo irmão
de Vertebrata, com quem forma o grupo dos Olfactores. As ascídias são hermafroditas.
A fecundação é externa. Os gametas são levados pela água através do sifão exalante.
05. Quais os dois grupos de Urochordata, o que os define e como eles se relacionam entre
si?
Na verdade, Urochordata é dividido em 3 grupos:
1. Ascidiacea
• São geralmente divididos em 2 ordens. Normalmente são sésseis, bentônicos,
coloniais, que apresentam uma túnica individual ou composta, com um sifão
exalante.
• Ficam aderidos ao substrato consolidados ou fixados em fundos arenosos ou
lodosospor filamentos ou pedúnculos.
• Apresentam coloração que varia de acordo com pigmento da túnica (vermelho,
azul, roxo, amarelo).
2. Thaliacea
• São animais plantônicos, livre natantes. Ocupam oceanos abertos tropicais e
sub-tropicais. Túnica de tecido conjuntivo gelantinoso, geralmente transparente.
Se assemelham com Ascídea, mas seus sifões inalantes exalantes se abrem de
lado oposto do corpo (água entra pelo sifão oral, é impulsionada por
musculatura para região posterior e é eliminada no átrio pelo sifão atrial,
gerando uma locomoção por jatopropulsão)
• Apresentam órgãos luminescentes na faringe
• Algumas ordens: Pyrosomida, Doliolida e Salpida
3. Appendicularia
• É também chamado de Larvacea (referente a manutenção no corpo
adulto de uma cauda muscular com notocorda)
• Formas neotênicas - retém cauda longa com notocorda e corpo girinóide
na fase adulta
• São geralmente solitárias
• Muco gelatinoso (mucopolissacarídeo) reveste corpo - casa (reposição
frequente) -> proteção e alimentação, tem orifício de escape por onde
animal pode sair e entra
• Sifão exalante substituído por fendas branquiais ventrais
• Tronco contém os principais órgãos Tubo digestivo em U e ânus abre
diretamente para fora do corpo (sem cavidade atrial)
• Produz complexa corrente de água pelo batimento da cauda trazendo
alimento para boca Água que sai fornece força locomotora Fecundação
externa - larva girinóide - adultos larviformes
Os Appendicularia são monofilético e grupo-irmão dos demais Tunicata. Ascidiacea são
parafilético em relação a Thaliacea, que é um grupo monofilético e grupo irmão de
algumas das ordens de Ascidiacea, o que demonstra que as relações filogenéticas
desses animais não estão bem resolvidas.
06. O que é endóstilo, qual sua função e quais grupos eles ocorrem?
Endóstilo é um sulco ciliado, longitudinal, situado na parede ventral da faringe, com
glândulas que produzem muco, que serve para agregar partículas alimentares. É
encontrado nos urocordados e nos cefalocordados e nas larvas das lampreias. Ajuda no
transporte de comida para o esôfago. Vale ressaltar que a glândula tireoide dos
vertebrados é homóloga ao endóstilo, e nesse grupo de metazoários é responsável por
captar iodo e secretar os hormônios T3 e T4, que além de controlar o metabolismo, tem
fundamental papel no desenvolvimento pós-embrionário e metamorfose, como em
peixes e anfíbio
07. Desenhe um cladograma envolvendo feiticeiras, lampreias e gnathostomata e discuta a
atual polêmica cyclostomata/vertebrata ou craniata/vertebrata.
As relações filogenéticas entre os Agnatha e Gnathostomata, podem ser entendidas
com base em dois caracteres (presença de crânio e vertebras). Com isso, tem se a
teoria Craniata, na qual os três grupos coroa do cladograma da foto estariam incluídos
em Craniata, pois todos apresentam um crânio, seja ósseo ou cartilaginoso. Ainda
nessa teoria, forma-se o clado Vertebrata, que inclui Gnathostomata e os
Petromyzontiformes, onde o carácter principal é a presença de vertebras formando
uma coluna dorsal. Desse modo, Mixiniformes é grupo irmão de Vertebrata. Entretanto,
a teoria Cyclostomata tem ganhado forte sustentação, especialmente molecular, mas
também por morfologia. As relações filogenéticas, nessa teoria, das lampreias, são
muito mais próximas das feiticeiras do que com os Gnathostomados, como era
anteriormente apresentado pela teoria Craniata. Agora, Petromyzontiformes e
Mixiniformes formam um grupo denominado Cyclostomata. Caso essa relação for
verdadeira, a relação craniata x vertebrata não faz sentido, já que as lampreias
apresentam vertebras, mas estão dentro de Cyclostomata. Dessa forma, pode-se
interpretar que as vertebras seriam o carácter basal, mas perdido nas feiticeiras. Os
dados que sustentam Cyclostomata como um grupo monofilético são filogenias
moleculares. Além disso, alguns estudos têm demonstrado a existência de elementos
vertebrais em Myxiniformes. Outrossim, há trabalhos que sugerem a existência de
homologias entre estruturas morfológicas dos peixes-bruxas e lampreias, como
cartilagens e músculos da boca. Assim, considerando cyclostomata monofilético, as
separações antigas vertebrata x craniata caem por terra, e Vertebrata = Craniata.
08. Defina as principais diferenças entre lampreias e peixes bruxas;
As lampreias apresentam dentes córneos raspadores no funil bucal e na língua, o que
permite perfurarem a pele de outros animais e se alimentarem sugando o sangue e
outros tecidos moles. Os peixes-bruxa apresentam uma boca mordedora e eversível e
alimentam-se de invertebrados, peixes doentes ou mortos que se encontram no fundo
do mar.
A fecundação é externa.