A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
202 pág.
livro

Pré-visualização | Página 10 de 44

ou micro.
- Dispositivo de segurança contra sobrecarga.
- Células de carga.
- Dispositivos especiais de pega.
- Dispositivos sonoros.
- Controle remoto.
•	 Caminhão: atualmente é o equipamento de movimentação de carga mais 
utilizado e conhecido, sendo assim, existem vários tipos de caminhões, ou 
melhor, para cada tipo de carga ou trajeto existe um caminhão específico e mais 
adequado à sua movimentação, como por exemplo:
- Caminhão para carga a granel (graneleiro).
- Caminhão para carga líquida.
- Caminhão para carga de contêineres.
- Caminhão-baú.
- Caminhão aberto, entre outros.
•	 Guindaste em geral: é um equipamento usado para erguer, movimentar, 
levantar e baixar materiais pesados. Um guindaste é feito de uma torre equipada 
com cabos e roldanas e é muito usado na construção civil e na indústria de 
equipamentos pesados. 
 
A movimentação de material, quanto à execução de suas operações, deverá 
considerar os seguintes fatores:
•	 dimensão, peso e tipo de embalagens dos materiais;
•	 distância entre pontos de carga e descarga, incluindo vias de acesso às áreas de 
circulação;
•	 método adequado às operações: manual, mecanizado ou combinado.
O dimensionamento de equipamentos mecânicos deve estar voltado para 
sua máxima utilização e flexibilidade, sendo selecionado em função de seus custos 
totais e não somente do investimento inicial ou dos custos de manutenção, dentro 
de uma determinada padronização.
UNIDADE 1 | ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
38
Os equipamentos de movimentação de material são divididos genericamente 
em duas categorias:
● Viatura automotora: equipamento montado sobre rodas com propulsão 
própria, apto a utilizar diretamente ou por adaptação, diferentes acessórios 
ou implementos. Como viaturas automotoras, estão incluídas: empilhadeiras, 
guindaste automotor, carro pórtico, trator de armazém.
FONTE: Moura (2003, p. 39)
FIGURA 21 – EMPILHADEIRA DE MASTRO RETRÁTIL 
FONTE: Moura (2003, p. 39)
FIGURA 22 – EMPILHADEIRA DE MASTRO RETRÁTIL
TÓPICO 2 | EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE CARGA
39
Fonte: Moura (2003, p. 39)
FONTE: Moura (2003, p. 39)
FIGURA 23 – EMPILHADEIRA PONTOGRÁFICA
FIGURA 24 – EMPILHADEIRA PONTOGRÁFICA DE DUPLA PROFUNDIDADE
UNIDADE 1 | ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
40
FONTE: Moura (2003, p. 96)
FIGURA 25 – EMPILHADEIRAS
•	 Equipamento industrial: equipamento montado sobre rodas, monotrilhos, 
vigas, colunas e/ou rodízios, com movimentação de carga manual, motorizado 
ou por ação da gravidade. Como equipamentos industriais, estão incluídos: 
empilhadeira manual, ponte-rolante e pórtico, talha, elevador de material, 
transportadores de rodízios, transportadores de esteira, carros de tração 
manual.
FONTE: Moura (2003, p. 81)
FIGURA 26 – PONTE ROLANTE DE VIGA DUPLA
TÓPICO 2 | EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE CARGA
41
FONTE: Moura (2003, p. 81)
FONTE: Moura (2003, p. 25)
FONTE: Moura (2003, p. 25)
FIGURA 27 – PONTE-ROLANTE APOIADA SOBRE ESTRUTURA 
CIRCULAR
FIGURA 28 – CARRINHO PORTA-PALETES DE ACIONAMENTO 
HIDRÁULICO
FIGURA 29 – CARRINHO PORTA-PALETES DE ACIONAMENTO 
MANUAL
UNIDADE 1 | ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
42
FONTE: Moura (2003, p. 25)
Provavelmente o veículo de movimentação interno mais utilizado é a 
empilhadeira mecânica com garfos. É normalmente utilizada em conjunto com 
estrados e paletes.
FIGURA 30 – CARRINHO HIDRÁULICO PARA MOVIMENTAÇÃO DE 
CARGAS UNITIZADAS
Existem vários tipos de equipamentos de movimentação de cargas e são de 
grande importância para a armazenagem. Por isso, devem ser bem selecionados e estar 
adequados ao tipo de volume a ser transportado.
O manuseio dos diversos materiais de um armazém pode ser efetuado:
•	 Manualmente: trata-se do manuseio mais simples e comum, efetuado pelo 
esforço físico de funcionários.
•	 Por meio de carrinhos manuais: trata-se de manuseio efetuado por meio de 
carrinhos impulsionados manualmente.
•	 Por meio de empilhadeiras: trata-se de um dos equipamentos mais versáteis 
para o manuseio de materiais. Não possui limitação de direção, movimentando-
se horizontal e verticalmente e podendo ser elétrica ou com motores a gás, diesel 
ou gasolina, nos quais pode ser adaptada uma série de acessórios que os tornam 
mais funcionais. É evidente que a utilização dos diversos tipos de empilhadeiras 
existentes depende fundamentalmente da disposição dos corredores internos 
no armazém e da natureza dos materiais a movimentar, além de seus acessórios, 
os quais, acoplados, facilitam a movimentação.
•	 Por meio de paleteiras: trata-se de um tipo de empilhadeira manual, que 
pode ser mecânica, hidráulica ou elétrica, estando, por conseguinte, limitada a 
manuseios horizontais.
NOTA
TÓPICO 2 | EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE CARGA
43
•	 Por meio de pontes rolantes: trata-se de equipamento constituído de estrutura 
metálica, sustentada por duas vigas, ao longo das quais a ponte rolante se 
movimenta; entre as duas vigas, sustentado pela estrutura, corre um carrinho 
com um gancho.
Segundo Gurgel (1996), os equipamentos de movimentação devem ser 
selecionados obedecendo a um plano de administração do fluxo de materiais 
e de produtos, para que, no final dos investimentos, se tenha um conjunto 
de equipamentos que atendam adequadamente às necessidades de toda a 
empresa. Por outro lado, a aquisição isolada de equipamentos visando a atender 
a uma determinada área poderá ocasionar ociosidade dos equipamentos e não 
padronização dos mesmos.
Para uma boa seleção dos equipamentos de movimentação e armazenagem 
interna, deve ser analisado o sistema como um todo, para se obter máxima eficiência 
dos equipamentos e trazer bons resultados para a empresa.
LEITURA COMPLEMENTAR
SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM - O CASE TV GLOBO
A TV Globo possui um centro de distribuição no Rio de Janeiro que contém 
cerca de 20.000 itens entre figurinos, peças de vestimenta com pesos e volumes 
variados e estocados em diferentes sistemas de armazenagem. Este CD-Mãe atende 
as operações do Rio de Janeiro, outros 11 almoxarifados fixos em várias cidades do 
Brasil, além de pontos itinerantes ligados a eventos ao longo do ano. 
O crescimento do volume de requisições e a necessidade de aumentar a 
velocidade de seleção e consolidação de pedidos levou a empresa a implementar 
um sistema de roteirização capaz de reduzir o caminho percorrido pelos 
almoxarifes no momento da seleção dos diversos itens. A solução baseou-se em 
vários parâmetros como área e sistema de armazenagem, características dos 
itens, materiais, layout, equipamentos de movimentação, além de algoritmos para 
definição e agrupamento de rotas, sempre buscando o melhor percurso. 
A solução de otimização foi amplamente testada e instalada em computador 
localizado no centro de distribuição para receber os dados do ERP da TV Globo e 
definir os roteiros para picking. Dentre os objetivos alcançados pelo projeto, temos 
significativo incremento de eficiência das atividades de coleta, redução de 72% na 
distância percorrida pelos atendentes, redistribuição de mão de obra para outras 
atividades do CD e revisão de todos os pesos e volumes de itens cadastrados.
FONTE: Disponível em: <http://www.cartadelogistica.com.br/website/text.asp?txtCode=28234&txt 
Date=20070919000000>. Acesso em: 25 mar. 2008.
UNIDADE 1 | ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
44
Intralogística: a logística interna da movimentação e armazenagem 
Já que a logística se tornou sinônimo de transporte externo e a maioria critica 
as condições de infraestrutura no Brasil, bem como colapso nos portos e estradas, 
muitos estão se esquecendo’ de olhar para dentro de suas instalações e ver a origem 
de tudo isso, a chamada intralogística, o setor de movimentação de materiais. 
Mesmo com várias soluções automatizadas e até sofisticadas, ainda 
prevalece na intralogística a solução básica ou trivial. Ao contrário do que 
muitos pensam, a movimentação e armazenagem de materiais (MAM) não se 
tornou importante

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.