A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Ficha - Brasil no comércio mundial

Pré-visualização | Página 1 de 2

Ficha complementar – O Brasil no comércio mundial
O comércio multidirecional do Brasil 
• Produção de café do Brasil já 
correspondeu a 80% da cafeicultura 
mundial. Atualmente essa participação 
corresponde a 35%, o Brasil ainda continua 
sendo o maior exportador e produtor 
mundial de café. 
• Primeira etapa da industrialização 
brasileira correspondeu a substituição de 
importação, ou seja, a produção industrial 
era voltada para atender as demandas do 
mercado interno. 
• Dentre os principais produtos exportados 
pelo Brasil, estão a Soja, minérios, 
petróleo e combustíveis, material de 
transporte, carnes, químicos, produtos 
metalúrgicos, açúcar e etanol, máquinas e 
equipamentos, papel e celulose. 
• Dentre os principais produtos importados 
estão os combustíveis e lubrificantes, 
equipamentos mecânicos, equipamentos 
eletrônicos, automóveis, químicos, 
plásticos e obras, fertilizantes, ferro, aço, 
farmacêuticos, instrumentos ópticos e 
precisão. 
• Brasil se estabeleceu como um grande 
exportador de produtos agropecuários no 
mundo globalizado. 
• A abertura gradual da economia com as 
medidas neoliberais ampliou o 
multilateralismo do país, possibilitando 
um crescimento nas exportações e 
importações. 
• O Brasil passa a ampliar as relações 
econômicas com os países asiáticos, em 
especial com a China, que vem se 
tornando o principal parceiro comercial do 
Brasil. 
• O setor agropecuário, impulsionado pelo 
desenvolvimento de pesquisas, é 
responsável por projetar o Brasil no 
mercado mundial de produtos 
agropecuários. As commodities agrícolas e 
os minérios fazem uma diferença 
significativa na composição das 
exportações. O setor de manufaturados 
permanece estagnado. 
• Entre os planos do Brasil, está o desejo de 
ampliar os parceiros comerciais. Uma 
dificuldade que retarda o crescimento 
econômico e a participação do Brasil no 
comércio internacional é a infraestrutura 
de transportes do país: a necessidade da 
utilização de rodovias, a infraestrutura 
deficitária dos portos e ferrovias 
encarecem ainda mais o preço final dos 
produtos. 
• Commodities tem valor menor do que os 
produtos industrializados. Aumentar a 
capacidade nacional de bens 
manufaturados é necessário para 
caminhar rumo ao desenvolvimento 
econômico. 
 
O Brasil no Mercosul 
• Criado a partir do Tratado de Assunção, 
assinado entre Brasil, Argentina, Uruguai e 
 
Paraguai, em 1991, surge o Mercosul, 
como resultado do aumento das relações 
comerciais entre esses países. 
• Posteriormente entraram Venezuela e 
Bolívia, em 2015. 
• Nesse bloco econômico residem 
aproximadamente 295 milhões de psoas, e 
um PIB de cerca de U$ 3, 2 trilhões. 
• Integração maior ocorre nos países 
inseridos na Bacia Platina, que banha parte 
dos territórios de quatro dos cinco países 
do bloco: Brasil, Paraguai, Argentina e 
Uruguai, os rios Paraná, Paraguai e 
Uruguai são bastante utilizados para 
escoamento de mercadorias. 
• Maior concentração populacional está no 
eixo Mercosul-Chile, que é um dos dez 
eixos da iniciativa de integração da 
infraestrutura regional Sul-Americana 
(IIIRSA). 
• A união comercial que envolve os países 
membros do Mercosul prevê a 
implantação de uma política de alíquotas 
de importação comum para não membros. 
Isso significa que tem de ser atribuída aos 
produtos importados de fora do bloco a 
mesma taxa de impostos, a TEC – Tarifa 
Externa Comum. 
• A integração entre os países do Mercosul 
não se deu apenas no campo da economia. 
Em áreas como cultura, educação, justiça, 
integração de sistema intermodal de 
transportes, também se firmaram 
acordos, como o de reconhecimento de 
títulos universitários, a revalidação de 
diplomas e um maior intercâmbio cultural 
entre os países . 
 
O Brasil na OMC 
• Caso ocorreu em 1997 e 2007 entre a 
empresa Embraer e a canadense 
Bombardier, com acordo firmado ao final 
das tratativas, ficou determinado que 
todos os fabricantes operassem sobre as 
mesmas regras, condições previsíveis e 
iguais. 
 
O Brasil no G- 20 e o IBAS 
• Brasil integra o G- 20, grupo criado em 
1999 e conta com a participação das 
principais economias do planeta. 
• Em 2003 três dos cinco integrantes do 
BRICS passaram a integrar o IBAS, que 
atualmente conta com três vertentes: 
• Coordenação política 
• Cooperação setorial 
• Fundo IBAS 
 
Política externa brasileira 
• O Brasil vem ganhando destaque no 
cenário internacional, devido 
principalmente a participação em 
determinadas situações de conflitos 
políticos, na mediação e condução de 
negociações, como as missões de paz no 
Timor Leste e no Haiti. 
 
A missão de paz no Haiti 
 
• Generais brasileiros tem exercido o 
comando militar das tropas de 19 países 
que compõem o MINUSTAH. Em 10 anos, 
13 mil militares brasileiros serviram no 
Haiti. 
 
A mediação brasileira na questão nuclear 
do Ira 
• Brasil atuou na mediação entre o Ira e a 
Turquia, na situação o Ira forneceria 1,2 mil 
quilos de Uranio para Turquia, que 
estocaria o material enquanto França e 
Rússia enriqueceriam em 20%, tratamento 
suficiente para uso militar, mas suficiente 
também para fins pacíficos. 
 
O Brasil e a geopolítica ambiental 
• Um dos grandes dilemas do Brasil tem 
sido a conciliação dos interesses do 
desenvolvimento econômico e a 
conservação das paisagens naturais, 
vários cientistas e administradores 
defendem que o modo mais inteligente é 
o desenvolvimento de uma economia 
sustentável. No Brasil, dois eventos 
ganharam destaque: 
• Rio 92 – Também conhecida como 
ECO 92 tem como destaque a 
elaboração da Agenda 21, que foi 
uma das principais contribuições 
do evento. Na oportunidade, 
compareceram 116 chefes de 
estado, além das organizações não 
governamentais. 
• Rio +20 – Teve como destaque a 
elaboração do documento final 
intitulado O futuro que queremos, 
com objetivos de superação da 
pobreza que configurou o 
principal desafio assumido pelos 
países. 
• As conferencias de meio ambiente tem 
motivado discussões a respeito da 
velocidade de degradação das florestas 
naturais, extinção de espécies da fauna e 
da flora, poluição da água e da atmosfera 
e contribuem com a definição de metas de 
redução de várias formas de poluição e 
para reformulação da legislação 
ambiental. 
• Protocolo de Kyoto, 1997 – Primeira 
conferencia na qual foram discutidos os 
problemas associados a emissão de gases 
do efeito estufa e a sua contribuição para 
o aquecimento do Planeta Terra. 
 
Para fixar o conteúdo 
 
Q1. Nas últimas décadas, as instituições 
financeiras se tornaram extremamente 
importantes para a economia global. Uma 
delas é a Organização Mundial do 
Comércio (OMC), que atua 
 
a) no gerenciamento do euro e das 
políticas econômicas da União Europeia. 
 
 
b) na concessão de financiamentos para 
promover o desenvolvimento 
socioeconômico. 
c) na regulação do comércio para o 
cumprimento dos acordos multilaterais. 
d) na regulamentação das relações de 
trabalho no mundo. 
e) na disponibilização de recursos 
financeiros para equilibrar as balanças 
comerciais. 
 
Q 2. Na América do Sul, a principal 
orientação dos investimentos nas últimas 
décadas foi direcionada para aumentar a 
oferta de commodities agropecuárias e 
minerais no mercado mundial. Grande 
parte dessas commodities está sendo 
consumida na China e na Índia, que são 
países que apresentam um rápido 
crescimento urbano com um substancial 
mudança da distribuição territorial de suas 
numerosas populações. Soja, minério de 
ferro, alumínio, petróleo e, mais 
recentemente, biocombustíveis integram 
a pauta de exportações das nações sul-
americanas. 
 
EGLER, C. G. Crise, mudanças globais e inserção da América 
do Sul na economia mundial. In: VIDEIRA, S. L.; COSTA, P. 
A.; FAJARDO, S. (Org.).Geografia econômica: (re)leituras 
contemporâneas. Rio de Janeiro: Letra Capital,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.