A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
31 pág.
Biblioteca_2105861 (1)

Pré-visualização | Página 1 de 3

LOGÍSTICA 4.0
Gestão de Operações e Logística 
1
2
Iniciada na década de 70, a ascensão dos Tigres asiáticos aumentou a participação dos países integrantes do bloco no valor agregado industrial global. Com o modelo denominado ioE – industrialização orientada para Exportação – para bens duráveis e, principalmente produtos eletrônicos, a indústria de manufatura dos países desenvolvidos moveu-se para o oriente (Figura 1). A migração da produção desses países para outras partes do mundo, principalmente com a introdução da China à produção mundial, iniciou o processo de desindustrialização desses países, enquanto o setor de serviços deslanchava.
Como surgiu a indústria 4.0?
3
A indústria 4.0 foi cunhada em 2011 por uma iniciativa alemã do Governo Federal com universidades e empresas privadas. Foi um programa estratégico para desenvolver sistemas avançados de produção com o objetivo de aumentar a produtividade e a eficiência da indústria nacional (Kagermann et al., 2013).
4
	O MODELO ALEMÃO
 Indústria 4.0	O MODELO AMERICANO 
Advanced Manufacturing Partership AMP	O MODELO CHINÊS
Made in China 2025
	 As preferências políticas na Alemanha tendem a favorecer políticas do lado da demanda, serviços públicos, desenvolvimento científico e técnico e políticos.
Em 2011 a Alemanha anuncia a INDUSTRIA 4.0 teve com a intenção de elevar o nível da fabricação alemã através da aplicação de novas tecnologias, como a Internet das Coisas. Em 2013 promoveu o INDUSTRIA 4.0 , na esperança de desenvolver uma nova geração de tecnologia de fabricação integrada de realidade virtual e manter as vantagens da Alemanha no setor de fabricação global. 
A Alemanha, embora em segundo lugar na exportação de manufatura, tem um custo de fabricação muito mais alto do que outros países. 
	A orientação política dos EUA tende a favorecer políticas do lado da demanda, serviços públicos, políticos e políticas de educação e treinamento.
Anunciado em 2011, é um esforço nacional para unir indústria, universidades e o governo federal para investimento em tecnologias emergentes que criarão mão de obra altamente qualificada para as fábricas, aumentando a competitividade global dos EUA. Em outubro de 2014, os EUA lança o AMP2.0, esperando continuar promovendo a inovação, o treinamento de pessoal e a modelagem do ambiente industrial. 
Os EUA têm a vantagem de custos de energia mais baixos, produtividade e apenas um pequeno aumento na remuneração da mão-de-obra. 	A China tem orientação política do lado ambiental, políticas, legais, regulatórias e de serviço público.
Anunciado em 2015 e inspirado no projeto alemão "industrie 4.0", é um programa estratégico para atualizar a indústria do país, tornando-a mais eficiente e integrada, visando aumentar a participação estratégica do país na cadeia global de produção. 
China ocupa o primeiro lugar na exportação de manufatura, mas seus salários e custos de energia estão aumentando substancialmente.
5
FONTE: https://noticias.portaldaindustria.com.br/noticias/inovacao-e-tecnologia/brasil-melhora-cinco-posicoes-no-indice-global-de-inovacao-e-chega-ao-64o-lugar/
6
PANORAMA DA INDÚSTRIA 4.0 NO BRASIL:
O panorama da Indústria 4.0 e os impactos previstos no cenário industrial chama atenção para desafios do Brasil. Segundo consenso de especialistas, a indústria nacional ainda se encontra em grande parte na transição do que seria a Indústria 2.0 (caracterizada pela utilização de linhas de montagem e energia elétrica) para a Indústria 3.0 (que aplica automação através da eletrônica, robótica e programação). Apesar de transversal a todos os setores industriais, de acordo com um dos maiores especialistas em Indústria 4.0 no Brasil , o setor mais adiantado para receber essa nova onda de produção no país é a indústria automotiva.
7
8
Indústria 4.0 é um termo recente que explica a aplicação das novas tecnologias nos principais processos industriais. Entre as características mais marcantes deste conceito, estão a automação de tarefas e o controle de dados e informações. (Haddara et al. 2015)
À recente disseminação por centros de pesquisa, universidades e companhias, e constantes melhorias incrementais; a falta de padronização faz com que os termos envolvendo a indústria 4.0 não possuam conceitos definidos. Assim, ainda não foram estabelecidas definições claras para as tecnologias que envolvem a indústria 4.0. (Hermann, Pentek e Otto - 2016) 
10
OS COMPONENTES-CHAVE DA INDÚSTRIA 4.0
Segundo Hermann, Pentek & Otto (2015), existem quatro componentes-chave para a formação da Indústria 4.0:
III) Internet of Services (IoS)
I) Cyber Physical Systems – (CPS)
IV) Fábricas Inteligentes (Smart Factories)
GERMANY TRADE & INVEST. INDUSTRIE 4.0 SMART MANUFACTURING FOR THE FUTURE
II) Internet das Coisas (Internet of Things – IoT)
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios: 
11
OS SEIS REQUISITOS DA INDÚSTRIA 4.0
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios:
I) INTEROPERABILIDADE: Permiti que todos os CPS de uma fábrica ou ambiente industrial, mesmo que descendentes de diversos fornecedores, possam se comunicar através das redes;
IOT –  INTERNET DAS COISAS
BIG DATA E DATA ANALYTICS
COMPUTAÇÃO EM NUVEM
Segundo o estudo alemão da Technische Universitat Dortmund, além dos componentes-chave, foram identificados seis requisitos para a implementação da Indústria 4.0
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios:
12
OS SEIS REQUISITOS DA INDÚSTRIA 4.0
II) VIRTUALIZAÇÃO: Possibilita que os dados obtidos dos CPS nos produtos e equipamentos físicos sejam transmitidos aos modelos virtuais e em simulações, espelhando comportamentos reais no ambiente virtual; 
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios:
VISÃO ARTIFICIAL
 
REALIDADE AUMENTADA
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios:
13
OS SEIS REQUISITOS DA INDÚSTRIA 4.0
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios:
III) DESCENTRALIZAÇÃO dos controles dos processos produtivos, uma vez que os computadores embarcados em conjunto com a internet das coisas gerarão produtos com tomadas de decisões na manufatura e nos processos de produção em tempo real;
ROBÔ COLABORATIVO
CRIPTOGRAFIA AVANÇADA
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios:
14
OS SEIS REQUISITOS DA INDÚSTRIA 4.0
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios:
IV) ADAPTAÇÃO DA PRODUÇÃO EM TEMPO REAL: uma vez que os dados serão analisados no instante em que são coletados, permitindo que a produção seja alterada ou transferida para outros silos em caso de falhas ou na produção de bens customizados; 
Rastreabilidade
A rastreabilidade na Industria 4.0 é definida como a capacidade de usar a Tecnologia da Informação para acompanhar os movimentos do produto, o que implica na aplicação de dispositivos digitais ao gerenciamento de ciclo de vida de produtos e transações, resultando em maior eficiência, funcionalidade de implantação de produtos e racionalização de gerenciamento de produção corporativa. (HERMANN,2016)
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios:
15
OS SEIS REQUISITOS DA INDÚSTRIA 4.0
HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios:
V) ORIENTAÇÃO A SERVIÇOS: Dados e serviços serão disponibilizados em rede aberta, tornando a Internet of Service ainda mais robusta. Dessa forma, a customização de processos de produção e operação terá maior flexibilidade de adaptação de acordo com as especificações dos clientes
Sistemas de Manufatura Flexíveis (SMF) - ou Flexible Manufacturing System (FMS) em inglês -, são, basicamente, sistemas de produção altamente automatizados, capazes de produzir uma grande variedade de peças e produtos por meio de um único equipamento e software. Eles fornecem uma série de benefícios de produção e ajudam