A maior rede de estudos do Brasil

Disserte sobre a tese do estado constitucional.

Qual ou quais as suas origens e suas funções ou função ?


3 resposta(s)

User badge image

Yapone

Há mais de um mês

>  Iniciando essa pergunta com uma explicação breve do que seria Um Estado Constituicional.

O Estado Constitucional cuida-se de um sistema normativo fundamental do Estado Moderno, surgido paralelamente ao Estado Democrático.

è Foi o Estado Constitucional fruto da evolução natural das idéias democráticas que surgiram na Europa e América do Norte, consolidando os direitos dos homens e cidadãos e a forma e funções do Estado em um texto que servisse de pilar de toda ordem jurídica, social e política de um Estado.

Segunido está linha de raciocínio com relação a constuição do mesmo para alguns juristas esta idéia de Constituição já se faz presente desde a Antigüidade, pois se percebe, pelas notícias históricas, a presença de certa legislação que serviam de organização do Poder e do Estado. Sendo que essa ideia desapareceu após a queda do Império Romano, surgindo apenas no Estado Moderno. 

O Constitucionalismo tem suas raízes no surgimento do Estado Moderno, passando por uma evolução que geraria, no séc. XVIII, os documentos legislativos que se denominou Constituição, como empregado para designar o corpo de regras que definem a organização do Estado.

Pode-se dizer que o constitucionalismo surgiu a partir de 1215, quando os barões da Inglaterra obrigam o Rei João Sem Terra a assinar a Carta Magna, jurando obedecê-la e respeitar os limites de seus poderes.

 A Revolução Inglesa de 1689, quando se consagra a supremacia do Parlamento como órgão legislativo, chegando próximo à idéia de que o Estado deve ser “um governo de lei e não de homens”.

Influência do Jusnaturalismo dotado do direito natural, Luta contra o absolutismo;ð influência do iluminismo e da razão. Estes três objetivos iriam resultar no constitucionalismo.
A revolução de pensamentos desacadeou o surgimento de algumas Constituições:

Constituição de Virgínia de 1776,

ð Constituição dos E.U. A., de 1787 

ð Constituição Francesa de 1789

 

Foi, então, que se passou a verificar que todos os Estados começam a elaborar constituições, como Lei Suprema de seu ordenamento jurídico, e passou a Ciência do Direito a estudar estas normas, através da própria evolução da Teoria Geral do Estado e da especificação destes princípios em um determinado Estado.

Pelas características de implantação da Constituição, vemos que o constitucionalismo teve sempre um aspecto revolucionário, pois, buscando a restrição de poderes do monarca, sempre o fez contra a vontade destes e necessitando implantar uma nova ordem, propugnando pelo estabelecimento de texto escrito para definir melhor as novas condições políticas, pelos seguintes motivos:

 

ð tendo o Estado , por origem, um contrato, a Constituição seria a expressão deste pacto;

ð a clareza e firmeza da lei escrita sobre a costumeira;

ð a constituição escrita é mais solene, tem mais garantias e é mais fácil de ser conhecida;

ðé um meio de educação política para um povo[1]

[1] Queirós Lima – Teoria do Estado, p. 303.

 

>  Iniciando essa pergunta com uma explicação breve do que seria Um Estado Constituicional.

O Estado Constitucional cuida-se de um sistema normativo fundamental do Estado Moderno, surgido paralelamente ao Estado Democrático.

è Foi o Estado Constitucional fruto da evolução natural das idéias democráticas que surgiram na Europa e América do Norte, consolidando os direitos dos homens e cidadãos e a forma e funções do Estado em um texto que servisse de pilar de toda ordem jurídica, social e política de um Estado.

Segunido está linha de raciocínio com relação a constuição do mesmo para alguns juristas esta idéia de Constituição já se faz presente desde a Antigüidade, pois se percebe, pelas notícias históricas, a presença de certa legislação que serviam de organização do Poder e do Estado. Sendo que essa ideia desapareceu após a queda do Império Romano, surgindo apenas no Estado Moderno. 

O Constitucionalismo tem suas raízes no surgimento do Estado Moderno, passando por uma evolução que geraria, no séc. XVIII, os documentos legislativos que se denominou Constituição, como empregado para designar o corpo de regras que definem a organização do Estado.

Pode-se dizer que o constitucionalismo surgiu a partir de 1215, quando os barões da Inglaterra obrigam o Rei João Sem Terra a assinar a Carta Magna, jurando obedecê-la e respeitar os limites de seus poderes.

 A Revolução Inglesa de 1689, quando se consagra a supremacia do Parlamento como órgão legislativo, chegando próximo à idéia de que o Estado deve ser “um governo de lei e não de homens”.

Influência do Jusnaturalismo dotado do direito natural, Luta contra o absolutismo;ð influência do iluminismo e da razão. Estes três objetivos iriam resultar no constitucionalismo.
A revolução de pensamentos desacadeou o surgimento de algumas Constituições:

Constituição de Virgínia de 1776,

ð Constituição dos E.U. A., de 1787 

ð Constituição Francesa de 1789

 

Foi, então, que se passou a verificar que todos os Estados começam a elaborar constituições, como Lei Suprema de seu ordenamento jurídico, e passou a Ciência do Direito a estudar estas normas, através da própria evolução da Teoria Geral do Estado e da especificação destes princípios em um determinado Estado.

Pelas características de implantação da Constituição, vemos que o constitucionalismo teve sempre um aspecto revolucionário, pois, buscando a restrição de poderes do monarca, sempre o fez contra a vontade destes e necessitando implantar uma nova ordem, propugnando pelo estabelecimento de texto escrito para definir melhor as novas condições políticas, pelos seguintes motivos:

 

ð tendo o Estado , por origem, um contrato, a Constituição seria a expressão deste pacto;

ð a clareza e firmeza da lei escrita sobre a costumeira;

ð a constituição escrita é mais solene, tem mais garantias e é mais fácil de ser conhecida;

ðé um meio de educação política para um povo[1]

[1] Queirós Lima – Teoria do Estado, p. 303.

 

User badge image

Euclydes

Há mais de um mês

O estado constitucional de direito deve estar como a democracia é para o direito, o estado constitucional é para a democracia.

Basta conferir os direitos demócraticos no artigo 5º da constituição de 1998.

Entre os direitos sobejados pelo estado democratico está a liberdade de expressão, a igualdade , o respeito ao trabalhador com direitos como a aposentadoria,etc..

User badge image

Gilmara

Há mais de um mês

O Estado constitucional surgiu juntamente com o Estado democrático, sendo inspirado também pelos mesmos princípios.

Vale dizer que ambos surgem em virtude da ruptura dos sistemas antigos, se erguendo sobretudo a partir do século XVIII, por influencia das revoluções burguesas.

O Estado constitucional seria aquele em que um conjunto de leis, todas reunidas em um único instrumento, iria exercer influencia num determinado local e sobre um determinado povo, e principalmente, sobre o governante, que estaria restrito ao cumprimento da lei.

Assim, a primeira manifestação de um instrumento com essa finalidade ocorreu na Inglaterra, por volta do ano de 1215. Mais tarde, na própria Inglaterra, o Estado constitucional se tornaria mais forte, sobretudo pela ocorrência da Revolução Inglesa.

Mas, em todo o mundo, o Estado constitucional foi estruturado a partir do século XVIII, com os ideais das revoluções.

As revoluções preconizavam princípios naturais inerentes à condição humana, e que deveriam ser protegidos pelo Estado e, para isso, deveria ser limitado o poder do Estado, para evitar que este ultrapasse suas funções e acabe por prejudicar os direitos individuais de cada um.

Outro aspecto é que, com o advento do iluminismo e os ideais de racionalidade por ele disseminados, ficou cada vez mais evidente que seria necessário que o poder do Estado fosse organizado, racionalizado.

Assim, pode-se dizer que os três grandes motivos que ensejaram o surgimento dos Estados constitucionais foram princípios da valorização humana, limitação do poder do Estado e a racionalização do poder.

Vale dizer que na maior parte das vezes a criação de um Estado constitucional se deu num processo revolucionário, afinal, os governantes tiveram de se render à limitação de seus poderes por meio de leis.

Assim, a maioria dessas constituições seria escrita, pois uma vez estipuladas delimitaria corretamente as funções e os poderes de cada órgão do Estado, impedindo, dessa forma, qualquer mudança repentina no curso das coisas.

É importante lembrar, ainda, que o surgimento de cada Estado constitucional se deu de uma forma diferenciada, podendo ser mais ou menos revolucionário dependendo das características do local em que ocorreu.

Em virtude disso, com o constitucionalismo, muitos Estados acabaram por optar por outro sistema de governo, distinto da monarquia, por terem as duas ideologias se tornado incompatíveis. Mas há casos também, em que houve a manutenção da monarquia, mas que iria funcionar sob outro fundamento, baseado em lei, e não na vontade do monarca.

Vale dizer que o poder constituinte sempre emana do povo, e assim, será considerada ilegítima as constituições que se prendam, tão somente, aos interesses de determinados grupos ou indivíduos, e não de toda a sociedade.

Ressalta-se que a constituição, por seus valores e preceitos fundamentais, deverá estar no topo de qualquer ordenamento jurídico, ou seja, nenhuma norma poderá estar conflitando com ela, nem possuir uma hierarquia superior, pois é a própria constituição quem fornece toda a organização e coerência de todo o ordenamento jurídico.

Fonte: Curso de Teoria Geral do Estado 

O Estado Constitucional

Portal JurisWay

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes