A maior rede de estudos do Brasil

Dúvida!!

“A”, em viagem de ônibus que fazia, ofereceu uma laranja
para “B”, pessoa que conheceu naquele coletivo. No
entanto, quando “B” chupou a laranja, entrou em sono
profundo, haja vista conter a fruta narcótico injetado por
“A”, que assim agiu para subtrair os pertences daquele. Dito
e feito. Após “B” dormir, “A” subtraiu para si, vários objetos
que estavam na bagagem do mesmo. Não obstante, “B” era
alérgico à substância injetada na fruta (situação
desconhecida por “A”) e, em razão de tal fato, acabou
morrendo.
Tipifique a conduta de “A” com relação ao crime perpetrado
contra o patrimônio de “B”.

Direito Penal IVictorio E Abrozino C E Prof Ef M Prof

2 resposta(s)

User badge image

Caroline

Há mais de um mês

"A" agiu com dolo quando queria subtrair os pertences de "B", portanto não previa o resultado mais danoso, no caso "B" ser alérgico ao narcótico e vir a óbito. (A intenção de "A" era apenas subtrair os pertences pois o efeito almejado do narcótico era apenas o de adormecer "B". Porém, a morte de "B" será culposa, pois foi acidental. (O agente quis praticar um crime porém acaba excedendo-se e produzindo culposamente um resultado mais gravoso do que o desejado).

"A" agiu com dolo quando queria subtrair os pertences de "B", portanto não previa o resultado mais danoso, no caso "B" ser alérgico ao narcótico e vir a óbito. (A intenção de "A" era apenas subtrair os pertences pois o efeito almejado do narcótico era apenas o de adormecer "B". Porém, a morte de "B" será culposa, pois foi acidental. (O agente quis praticar um crime porém acaba excedendo-se e produzindo culposamente um resultado mais gravoso do que o desejado).

User badge image

Jhenifer

Há mais de um mês

B teve o dolo direto de matar A, no entanto, devido ter injetado narcótico na fruta agiu com culpa inconsciente. 

Sendo assim trata-se de crime preterdoloso que  caracteriza-se quando o agente pratica uma conduta dolosa, menos grave porém detém um resultado danoso mais grave do que o pretendido, na forma culposa. 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes