A maior rede de estudos do Brasil

- O que é importante saber sobre eletrogênese ?

- A matéria de eletrogênese e bem complicada , mas o que realmente importa saber para a fisiologia !


3 resposta(s)

User badge image

Rômulo

Há mais de um mês

Em se tratando de fisiologia humana, a importância da eletrogênese está principalmente em dois dentre os mais nobres orgãos do corpo humano: o cérebro e o coração.

Eletrogênese no Cérebro

A eletrogênese cerebral sofre grande influência do grau de atividade cortical; altera de acordo com o nível de alerta (atenção) e consciência do indivíduo (vigília, sono, coma). Na maior parte do tempo, as ondas cerebrais são irregulares no eletroencefalograma, porém em algumas situações aparecem padrões distintos, sendo alguns deles fisiológicos (ondas alfa, beta, teta e delta) e outros característicos de anormalidades específicas.

A eletrogênese cerebral depende da homeostasia metabólica, assim, quaisquer quadros associados a distúrbios hidroeletrolíticos e metabólicos podem afetar o funcionamento do sistema nervoso e sua atividade elétrica.

A influência da alteração da eletrogênese cerebral sobre funções cognitivas ganhou impulso com a observação dessas funções em pacientes epilépticos; sabe-se que esses pacientes têm duas vezes mais possibilidades de apresentarem problemas cognitivo-comportamentais que indivíduos com outras doenças crônicas.

O ser humano está vivo, quando está em atividade biológica, física, química, elétrica e eletromagnética. Estes fenômenos trabalham em conjunto para que a vida possa existir e tanto é assim que para definirmos a morte de um indivíduo, determinamos se há ou não morte cerebral, insvestigando com auxílio da semiologia e de exames subsidiários quais são as condições da vascularização cerebral, atividade reflexa de tronco cerebral e atividade elétrica cerebral.

Eletrogênese no Coração

Uma vez conseguida a ativação de uma única célula, a inversão de potencial ocorrida age como estímulo para as células vizinhas. Isso é decorrente do fluxo de correntes elétricas (iônicas) locais, através dos discos intercalares (gap junctions) que unem as células ativadas às demais. Basta, portanto, um estímulo capaz de despolarizar uma célula cardíaca para que todo o coração receba o estímulo elétrico.

Esse estímulo é originado no nódulo sinusal, possui células com capacidade de auto-estímulo, isto é, possuem automatismo sendo chamadas de células marcapasso. Esse fenômeno ocorre porque, nas células marcapasso, o potencial de repouso (fase 4) não se mantém estável despolarizando-se lentamente de forma espontânea, até que seja atingido potencial limiar, produzindo ali, espontaneamente, um potencial de ação.

Além das células do nódulo sinusal, também são células marcapasso as porção distal do nódulo Atrio Ventricular, as situadas em certas regiões próximas aos anéis mitral e tricúspide e o feixe de Purkinje. Mas a freqüência natural e marcapassos é progressivamente mais baixa na direção nó sinusal-ventrícular. Tais marcapassos secundários acham-se normalmente dominados pelo marcapasso sinusal que determina a freqüência cardíaca.

Outros Fatores:

Dentre estes mencionados e outros aspectos correlacionados à eletrogênese, vale ressaltar também a bomba sódio-potássio, sistema nervoso central e periférico, membrana plasmática, íon, etc.; o assunto é realmente bem diversificado em termos de fisiologia humana. Porém penso que este roteiro possa ajuda-lo a desenvolver sua metodologia de estudos e quando tiver lançado seu artigo compartilhe conosco!

Abçs

Em se tratando de fisiologia humana, a importância da eletrogênese está principalmente em dois dentre os mais nobres orgãos do corpo humano: o cérebro e o coração.

Eletrogênese no Cérebro

A eletrogênese cerebral sofre grande influência do grau de atividade cortical; altera de acordo com o nível de alerta (atenção) e consciência do indivíduo (vigília, sono, coma). Na maior parte do tempo, as ondas cerebrais são irregulares no eletroencefalograma, porém em algumas situações aparecem padrões distintos, sendo alguns deles fisiológicos (ondas alfa, beta, teta e delta) e outros característicos de anormalidades específicas.

A eletrogênese cerebral depende da homeostasia metabólica, assim, quaisquer quadros associados a distúrbios hidroeletrolíticos e metabólicos podem afetar o funcionamento do sistema nervoso e sua atividade elétrica.

A influência da alteração da eletrogênese cerebral sobre funções cognitivas ganhou impulso com a observação dessas funções em pacientes epilépticos; sabe-se que esses pacientes têm duas vezes mais possibilidades de apresentarem problemas cognitivo-comportamentais que indivíduos com outras doenças crônicas.

O ser humano está vivo, quando está em atividade biológica, física, química, elétrica e eletromagnética. Estes fenômenos trabalham em conjunto para que a vida possa existir e tanto é assim que para definirmos a morte de um indivíduo, determinamos se há ou não morte cerebral, insvestigando com auxílio da semiologia e de exames subsidiários quais são as condições da vascularização cerebral, atividade reflexa de tronco cerebral e atividade elétrica cerebral.

Eletrogênese no Coração

Uma vez conseguida a ativação de uma única célula, a inversão de potencial ocorrida age como estímulo para as células vizinhas. Isso é decorrente do fluxo de correntes elétricas (iônicas) locais, através dos discos intercalares (gap junctions) que unem as células ativadas às demais. Basta, portanto, um estímulo capaz de despolarizar uma célula cardíaca para que todo o coração receba o estímulo elétrico.

Esse estímulo é originado no nódulo sinusal, possui células com capacidade de auto-estímulo, isto é, possuem automatismo sendo chamadas de células marcapasso. Esse fenômeno ocorre porque, nas células marcapasso, o potencial de repouso (fase 4) não se mantém estável despolarizando-se lentamente de forma espontânea, até que seja atingido potencial limiar, produzindo ali, espontaneamente, um potencial de ação.

Além das células do nódulo sinusal, também são células marcapasso as porção distal do nódulo Atrio Ventricular, as situadas em certas regiões próximas aos anéis mitral e tricúspide e o feixe de Purkinje. Mas a freqüência natural e marcapassos é progressivamente mais baixa na direção nó sinusal-ventrícular. Tais marcapassos secundários acham-se normalmente dominados pelo marcapasso sinusal que determina a freqüência cardíaca.

Outros Fatores:

Dentre estes mencionados e outros aspectos correlacionados à eletrogênese, vale ressaltar também a bomba sódio-potássio, sistema nervoso central e periférico, membrana plasmática, íon, etc.; o assunto é realmente bem diversificado em termos de fisiologia humana. Porém penso que este roteiro possa ajuda-lo a desenvolver sua metodologia de estudos e quando tiver lançado seu artigo compartilhe conosco!

Abçs

User badge image

Israel

Há mais de um mês

Muito Obrigado !!!!

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes