A maior rede de estudos do Brasil

Qual a diferença entra a parte geral e a parte especial do Código Civil


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Júnior Oliveira Verified user icon

Há mais de um mês

O Código Civil é a lei geral que regula as relações privadas. 

Composto por  2.046 artigos, o CC é divido em duas partes, quais sejam, Parte Geral e Parte Especial.

 

 Na Parte Geral, subdividida em 3 Livros, o legislador tratou de disciplinar temas de maior abrangência:

  • Pessoas (Naturais e Jurídicas);
  • Dos Bens (Quanto a Classificação) e
  • Dos Fatos Jurídicos (Negócios Jurídicos, Atos Jurídicos Lícitos e Ilícitos e da Prova).

 

Noutro giro, temos a Parte Especial, com Livros, dispondo acerca de:

  • Obrigações (Modalidades, Transmissão, Quitação e Extinção das Obrigações, Inadimplemento, Contratos em Geral, Espécies de Contratos, Atos Unilaterais, Títulos de Crédito, Responsabilidade Civil e Preferências e Privilégios Creditórios);
  • Direito da Empresa (Do Empresário, Da Sociedade, Do Estabelecimento, dos Institutos das Coisas);
  • Direito das Coisas (Posse, Direitos Reais, Propriedade, Superfície, Servidões, Usufruto, Uso, Habitação, Direito do Promitente Comprador, Penhor, Hipoteca e da Anticrese);
  • Direito da Família(Direito Pessoal, Direito Patrimonial, Da União Estável, Da Tutela e da Curatela) e
  •  Sucessões (Sucessões em Geral, Sucessão Legitima, Sucessão Testamentária, Inventário e Partilha).

Alem disso, o Código conta ainda com 1 Livro complementar (das Disposições Finais e Transitórias), dispondo acerca das regras de transição entre o Código de 1916 e o Código de 2002.

O Código Civil é a lei geral que regula as relações privadas. 

Composto por  2.046 artigos, o CC é divido em duas partes, quais sejam, Parte Geral e Parte Especial.

 

 Na Parte Geral, subdividida em 3 Livros, o legislador tratou de disciplinar temas de maior abrangência:

  • Pessoas (Naturais e Jurídicas);
  • Dos Bens (Quanto a Classificação) e
  • Dos Fatos Jurídicos (Negócios Jurídicos, Atos Jurídicos Lícitos e Ilícitos e da Prova).

 

Noutro giro, temos a Parte Especial, com Livros, dispondo acerca de:

  • Obrigações (Modalidades, Transmissão, Quitação e Extinção das Obrigações, Inadimplemento, Contratos em Geral, Espécies de Contratos, Atos Unilaterais, Títulos de Crédito, Responsabilidade Civil e Preferências e Privilégios Creditórios);
  • Direito da Empresa (Do Empresário, Da Sociedade, Do Estabelecimento, dos Institutos das Coisas);
  • Direito das Coisas (Posse, Direitos Reais, Propriedade, Superfície, Servidões, Usufruto, Uso, Habitação, Direito do Promitente Comprador, Penhor, Hipoteca e da Anticrese);
  • Direito da Família(Direito Pessoal, Direito Patrimonial, Da União Estável, Da Tutela e da Curatela) e
  •  Sucessões (Sucessões em Geral, Sucessão Legitima, Sucessão Testamentária, Inventário e Partilha).

Alem disso, o Código conta ainda com 1 Livro complementar (das Disposições Finais e Transitórias), dispondo acerca das regras de transição entre o Código de 1916 e o Código de 2002.

User badge image

Wanderson

Há mais de um mês

a Parte Geral vem trazendo os preceitos que devem ser seguidos pela Parte Especial como regra geral. A Parte Geral traz as bases que devem ser admitidas e usadas na Parte Especial, ela "dita as regras".

Exemplo : O instituto da usucapião está previsto na Parte Especial do Código Civil. Este instituto também é chamado de prescrição aquisitiva. Como a Parte Geral indica, em seu artigo 198, I, que não correrá prescrição contra os absolutamente incapazes, a usucapião não se opera em propriedades de pessoas que estejam nessa situação.

Portanto, a Parte Geral serve de base para a parte especial.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas