A maior rede de estudos do Brasil

Qual a função do plasmogênio na bainha de mielina e nas membranas do músculo cardíaco?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

A Bainha de Mielina é uma capa de tecido adiposo que protege suas células nervosas. Estas células são parte do seu sistema nervoso central, que transporta mensagens entre o seu cérebro e o resto do seu corpo.


A bainha de mielina envolve as fibras que são a parte longa em forma de fio de uma célula nervosa. A bainha protege essas fibras, conhecidas como axônios, muito parecido com o isolamento em torno de um fio elétrico.


O Inibidor do ativador do plasminogênio (Tipo 1), PAI-1 é uma proteína de 48 kD que inibe a conversão de plasminogênio em plasmina. Ele é o principal inibidor dos ativadores de plasminogênio t-PA e u-PA. O ativador do plasminogênio tecidual (tPA) é uma protease sérica secretada que converte a proenzima plasminogênio em plasmina. O t-PA e o PAI agem no sistema fibrinolítico, que leva à degradação do coágulo de fibrina em produtos solúveis.

A Bainha de Mielina é uma capa de tecido adiposo que protege suas células nervosas. Estas células são parte do seu sistema nervoso central, que transporta mensagens entre o seu cérebro e o resto do seu corpo.


A bainha de mielina envolve as fibras que são a parte longa em forma de fio de uma célula nervosa. A bainha protege essas fibras, conhecidas como axônios, muito parecido com o isolamento em torno de um fio elétrico.


O Inibidor do ativador do plasminogênio (Tipo 1), PAI-1 é uma proteína de 48 kD que inibe a conversão de plasminogênio em plasmina. Ele é o principal inibidor dos ativadores de plasminogênio t-PA e u-PA. O ativador do plasminogênio tecidual (tPA) é uma protease sérica secretada que converte a proenzima plasminogênio em plasmina. O t-PA e o PAI agem no sistema fibrinolítico, que leva à degradação do coágulo de fibrina em produtos solúveis.

User badge image

Taty

Há mais de um mês

Plasmina é uma importante enzima presente no sangue que degrada muitas proteínas do plasma sanguineo, mais notavelmente os coágulos de fibrina. A degradação da fibrina é chamada de fibrinólise.Ela é uma protease serina que é liberada como plasminogênio na circulação e ativada pelo ativador de plasminogênio tecidual (AP-t), ativador de plasminogênio uroquinase (uPA), trombina, fibrina e fator XII. É inativada pela antiplasmina-alfa 2, um inibidor de protease serina.

A deficiência de plasmina pode gerar um trombose, já que os coágulos não são degradados adequadamente.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas