A maior rede de estudos do Brasil

Qual a diferença entre direitos fundamentais e Direitos humanos ? E qual a diferença entre direitos fundamentais e garantias fundamentais ?

Direito constitucional I. Livro " Afirmação histórica dos Direitos Humanos" 


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Gabriela Gattulli Verified user icon

Há mais de um mês

Para fins de conceituação dos direitos humanos, são direitos inerentes à condição humana e anteriores ao reconhecimento do direito positivo. São direitos oriundos de consequências ou de reivindicações geradas por situações de injustiça ou de agressão a bens fundamentais do ser humano. Neste sentido, compreendem direitos da pessoa humana, pela sua natureza, que transcendem os direitos fundamentais, em decorrência de o seu conteúdo ser dotado de uma ordem de princípios universais, válidos em todos os lugares e em todos os tempos, para todos os povos, independentemente de mera positivação.

Assim sendo, no momento em que os direitos humanos são incorporados pela Constituição de um país, eles ganham o status de direitos fundamentais, haja vista que o constituinte originário é livre para eleger, em um elenco de direitos humanos, aqueles que serão constitucionalizados por um Estado ou nação. Somente a partir de então, eles serão tidos como direitos fundamentais. Logo, os direitos fundamentais têm como antecedente o reconhecimento dos direitos humanos.

No que tange a diferença entre Direitos e Garantias fundamentais, cabe destacar:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes.

Direitos são normas que declaram a existência de interesse, portanto, são normas declaratórias. Garantias são normas que asseguram o exercício do interesse, portanto, são normas assecuratórias.Ressalte-se que garantias não podem ser confundidas com remédio constitucional, pois esse é instrumento processual que tem por objetivo assegurar o exercício de um direito. Logo, todo remédio constitucional é uma garantia, mas nem toda garantia é um remédio constitucional.

Para fins de conceituação dos direitos humanos, são direitos inerentes à condição humana e anteriores ao reconhecimento do direito positivo. São direitos oriundos de consequências ou de reivindicações geradas por situações de injustiça ou de agressão a bens fundamentais do ser humano. Neste sentido, compreendem direitos da pessoa humana, pela sua natureza, que transcendem os direitos fundamentais, em decorrência de o seu conteúdo ser dotado de uma ordem de princípios universais, válidos em todos os lugares e em todos os tempos, para todos os povos, independentemente de mera positivação.

Assim sendo, no momento em que os direitos humanos são incorporados pela Constituição de um país, eles ganham o status de direitos fundamentais, haja vista que o constituinte originário é livre para eleger, em um elenco de direitos humanos, aqueles que serão constitucionalizados por um Estado ou nação. Somente a partir de então, eles serão tidos como direitos fundamentais. Logo, os direitos fundamentais têm como antecedente o reconhecimento dos direitos humanos.

No que tange a diferença entre Direitos e Garantias fundamentais, cabe destacar:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes.

Direitos são normas que declaram a existência de interesse, portanto, são normas declaratórias. Garantias são normas que asseguram o exercício do interesse, portanto, são normas assecuratórias.Ressalte-se que garantias não podem ser confundidas com remédio constitucional, pois esse é instrumento processual que tem por objetivo assegurar o exercício de um direito. Logo, todo remédio constitucional é uma garantia, mas nem toda garantia é um remédio constitucional.

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Olá Filipe,

Os Direitos Fundamentais constituem-se na ratificação dos Direitos Humanos dentro da legislação de um Estado, como ocorre por exemplo com o artigo 5º da nossa Constituição Federal, o qual versa especificamente sobre diversos aspectos relevantes às proteções e garantias fundamentais praticadas em favor do povo brasileiro, ganhando com isso força legislatória, isto é, força de lei.

Os Direito Humanos possuem algumas características diferenciadas, não na proteção e amparo da pessoa humana, mas sim em sua consideração absoluta ou literal, ou seja, os Direitos Humanos pertencem basicamente aos tratados internacionais, cabendo aos Estados a decisão de ser signatário ou não de determinados acordos, isto é, embora tenham por objeto a proteção integral do ser humano, só se tornam relevantes segundo o expoente legal quando devidamente amparados pelo Estado.

Os Direitos Fundamentais são aqueles que se destinam ao auxílio e proteção da dignidade da pessoa humana, como o Direito à vida, por exemplo, está em grande parte intimamente conectado ao que se chama de Jusnaturalismo, Direito Natural da pessoa. Visam o amparo e proteção básicos do ser humano, desde seu nascimento até a sua morte.

As Garantias Fundamentais são as possibilidades que deverá um Estado fornecer ao seu povo para que este consiga se desenvolver, evoluir ou até mesmo progredir no ambiente social e territorial em que está inserido, como por exemplo a garantia de que o estado concederá escolaridade gratuita e obrigatória até o final do ensino médio. As garantias fundamentais se relacionam com as condições providas ao ser humano para o seu desenvolvimento e dignidade como pessoa.

Espero ter-lhe ajudado, boa sorte.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas