A maior rede de estudos do Brasil

Aula 6.1   Extinção do contrato   Rafael Tonassivideo play button

Transcrição


Olá, meus Amigos do complexo de Ensino Renato Saravia do portal Exame de Ordem Vamos lá, nossa terceira aula de trabalho Décimo Quarto Exame Unificado passando por todo o nosso conteúdo programático, objetivando fazer você gabaritar essa a prova na área trabalhista, ajudando você a impulsionar a sua segunda fase e juntos lá na segunda fase. Certeza do sucesso pessoal no nosso o último encontro dessa aula. Três Agora eu vou começar falando com vocês sobre um tema muito comum em prova conhecido por todos, a famosa a extinção do contrato de trabalho. Existem inúmeras formas de um contrato de trabalho consisting. Eu posso olhar para você e de dispensar sem dizer porque Brasil, o empregador tem o direito ponto Está ativo de romper o pacto laboral a qualquer hora. Então depois de vinte e oito anos de empresas de dedicação de suor de uma vida, pode o empregador acordar de mau humor e manda embora. É também uma forma que o empregador pode olhar para você eles pensar Você pode olhar para mim, pede demissão, pode a ruptura do contrato. Ela pode ser tanto iniciativa do empregador quanto à iniciativa do empregado. Se eu, o empregador não quiser mais ficar com você. Não preciso fundamentar diferentes legislações alienígenas próximas na Europa, que é o berço do dia do trabalho, onde a dispensa deve ser motivada. No Brasil, você pode perder seu emprego a qualquer momento, só que eu tenho que te indenizar. Na medida que não quero mais ficar com você, eu preciso pagar suas férias proporcionais. Décimo terceiro proporcional o aviso prévio a multa de quarenta por cento sobre o FGTS Liberais guias para você sacar o fundo de garantia depositado liberais dias para que você possa dar entrada no seguro desemprego, o empregador deve pagar todas as verbas da rescisão. Agora, quando você que pede demissão, aí a consequência jurídica diferente, se você, meus amigos que não quer trabalhar mais, não tem por que o governo lhe pagar seguro desemprego. E você que não quer trabalhar o trabalho está aí. Se a você que não quer trabalhar não pode movimentar o seu fundo de garantia é você quem tem intimidade do prédio? Não eu lhe conceder a consequência jurídica. Quando eu dispenso empregado xixi e a consequência jurídica quando ele pede demissão e se ele comete uma falta grave quando ele comete uma falta grave eu vou dispensar por justa causa. Esse é o pior cenário porque um trabalhador pode visualizar a dispensa por justa causa. Ele não recebe nada a título de verbas indenizatórias, não recebe multa de quarenta por cento, não recebemos do prédio, não recebe férias proporcionais, não recebe o décimo terceiro proporcional. Não pode sacar o fundo não pode dar entrada no seguro desemprego. Pode, tudo nossas ficará recebe nesta causa. Os dias que trabalham no mês que nós chamamos de saldo de salário, e se existirem férias vencidas, que não foram usadas, as férias vencidas, de resto não é separada, mas um contrato senhores é feito de direitos e obrigações. Da mesma forma que o empregado tem direitos, ele tem deveres e, para o empregador, a mesma coisa, é uma via de mão dupla. O empregador, quando o trabalhador não cumpre as funções dele, dá uma justa causa. O trabalhador, agora um empregado também pode dar uma justa causa da empresa, porque a empresa tem obrigações de pagar o seu salário, de tratar, com respeito de fornecer o equipamento de proteção individual. Caso haja necessidade nessas hipóteses, é o empregado que dá uma justa causa da empresa. O nome técnico disso a rescisão indireta do contrato de trabalho. A justa causa está no artigo quatro oito dois a rescisão indireta do contrato de trabalho, no artigo quatro oito três E se os dois forem culpados. Se os dois forem culpados, aí nós temos o artigo quatro, oito, quatro da série O que chamamos de culpa recíproca. O juiz, após analisar o processo, percebeu que os dois tiveram culpa. Houve uma briga. Um empregador agrediu o empregado e o empregado não ajuda de uma defesa, não foi na sala do empregador e agrediu o empregador. Então, o juiz entende que os dois tiveram culpa na ruptura do contrato. Que é que o juiz faz determina a culpa recíproca, artigo quatro adequados. E se houver uma catástrofe natural, uma enchente, um deslizamento e a empresa ficou soterrada, ninguém morreu, mas o empresário perdeu tudo. Uma vida inteira de trabalho está sentado no meio fio, não sabe nem como recomeçar. Ele ainda vai ter que indenizar os empregados. Vai pela metade. O artigo quinze dois força maior E se o estado meus amigos quiser desapropriar a sua fábrica, o Estado pode desapropriar pode, porque o interesse coletivo sobrepõe o interesse individual. É o princípio da supremacia do interesse público sobre o interesse particular, ele pode. Só que todos os empregados perderam seus empregos e o Estado. Quem vai indenizar ocorreu factum, príncipes, Artigo quatro, oito Meia, porque eu quero mostrar para vocês é que existem tantas formas de um contrato de trabalho acabar e você precisa conhecer todas elas em prova. Qualquer uma dessas modalidades pode ser objeto de uma questão que você tem que conhecer a dispensa sem justa causa, a dispensa por justa causa, culpa recíproca ou força maior, saber as características de cada uma delas e quando o que vai ocorrer, cada uma delas a que mais caem. Prova mais cobrada, é a famosa justa causa, Até porque é a mais rica em detalhes. Vamos começar por ela como os analisaram. Esta causa verificar o que pode ser cobrado em provas sobre esta causa. E depois vamos passar para as outras hipóteses de ruptura contratual. Falando um pouco sobre justa causa a primeira pergunta que pode ser feita você em prova acerca das hipóteses de justa causa. Ele pode fazer uma pergunta assim objetiva, são consideradas justas causas. De acordo com a nossa seletiva, ele vai trazer quatro objetivos, onde três delas ele criou hipóteses que não são considerados falta grave. Nenhuma das alíneas tem justamente só esse pode ser justa causa ou algumas delas. Então o primeiro passo você conhece bem o artigo quatro oito dois. O artigo quatro dois fala que configura justa causa o trabalhador, a ocorrência de improbidade, incontinência de conduta, mau procedimento, negociação habitual por conta própria, causando prejuízo ao empregador sem a doença deixa condenação criminal transitada em julgado, sem ter havido a suspensão da pena desídia. Embriaguez a serviço, embriaguez habitual Violação seguiu da empresa indisciplina e insubordinação abandono de emprego, ato lesivo da onda, boa forma praticado contra qualquer pessoa em serviço, inclusive ofensas físicas, salvo em legítima defesa própria e de outro, a mesma coisa contra superior Iraque e prática constante os jogos. Já sabe se conhece o artigo quatro a um professor. Claro que não assinou o seu falou não tem precisa, eu não tenho a utopia de achar que você vai ter que decorar se eleita inteira. Mas eu preciso que você tenha lido esse artigo algumas vezes, porque quando caiu uma questão em prova você vai olhar essa assertiva. Val num convite falar nisso abell Nunca ouvi falar nisso a cem. Todas essas hipóteses aqui eu lembro de já ter vendido e a detém uma coisa que não convém falar. Você vai ficar com a ser. Eu não quero que você esteja ao ponto de declamar a Selic como se fosse um poema. Não dá tempo e muita coisa para ajudar São inúmeras outras matérias, mas eu preciso que você tenha uma noção do dispositivo e essa noção familiaridade com o dispositivo. Nós vamos ganhando na medida que vamos passando os olhos. Então é importante sempre que você puder passar nos olhos os artigos mais importantes, fazendo treinando algumas questões dessas você entende que já seria capaz de acertar e se quer uma queixa justa causa, pode ser que você na prova porque? Porque existe um outro formato de questão de justa causa que costuma cair? Existe esse primeiro. E é isso que vou falar que agora, Nesta segunda hipótese, o que o examinador faz ele narra uma conduta faltosa praticada pelo empregado, afirma que esta conduta faltosa é uma justa causa e pergunta você no caso eu vou aplicar? Qual, das alíneas da CLT? Um trab