A Contração Muscular (Parte 2 de 4) - biomecanica

A Contração Muscular (Parte 2 de 4)

https://img.youtube.com/vi/0aRXFrQY5Yw/sddefault.jpg
A contração do musculo se da por controle voluntario. Cada célula muscular, é inervada por um ramo de motoneuronio (nervos que suprem a fibra muscular). Os potenciais de ação se propagam ao logo do axônio do motoneuronio, levando a liberação de Acetilcolina na junção neuro muscular, despolarizando a placa motora e e gerando potencial de ação na fibra muscular. O potencial de ação no sarcolema (membrana da fibra muscular) é propagado pelo túbulo T, por meio de correntes locais, transportando a despolarização para o seu interior. A despolarização produz alteração conformacional no receptor de diidropiridina, que é voltagem sensível. Essa alteração abre os canais de Ca2+ (receptores de rianodina) no reticulo sarcoplasmático e liberado para o liquido intracelular da fibra muscular. Na unidade contrátil (sarcomero) existem: Miosina: filamento grosso Actina: filamento fino Tropomiosina: Proteina, cuja função é bloquear o sitio fixador da miosina da actina durante o repouso. Troponina: Proteina formada de • Troponina T = fixa à tropomiosina • Troponina I = junto com a Tropomiosina inibe a interação da actina com a miosina, por cobrir o sitio fixador de miosina da actina • Troponina C = fixadora de Ca2+, tem participação essencial na contração. O Ca2+ se liga à Troponina C, que pode fixar até 4 ions de Ca2+. Dessa forma ocorre a alteração conformacional da troponina, o que faz com que a Tropomiosina seja deslocada, liberando o canal de interação da miosina com a actina e inicie os ciclos das pontes cruzadas. A actina e a miosina se fixam para formar as pontes cruzadas. Quando ocorre a fixação as cabeças da miosina das pontes cruzadas se dobram; esse movimento impele o deslizamento dos filamentos finos e grossos uns sobre os outros , produzindo tensão (evento mecânico chamado de abalo) A tensão desenvolvida pela fibra muscular é chamada de tensão do Abalo, que é proporcional a numero de pontes cruzadas formadas. Durante a fixação o ATP é hidrolisado a ADP e Pi. Por fim, quando as pontes cruzadas se desfazem, uma nova molécula de ATP se fixa à cabeça da Miosina, dando começo ao um novo ciclo. Os ciclos continuam até que o Ca2+ esteja ligada à Troponina C. Ocorre o relaxamento quando a concentração de Ca2+ abaixa e não há quantidade suficiente do mesmo para se ligar à Troponina C. Ocorre a alteração conformacional reversa, recobrindo o sitio fixador da miosina, na actina.
@biomecanica UNIP

Ainda não temos comentários aqui
Seja o primeiro!