Uma breve passagem sobre o Feminicídio, o provável novo qualif

Uma breve passagem sobre o Feminicídio, o provável novo qualificante do artigo 121

https://img.youtube.com/vi/17WeuM8l03s/sddefault.jpg
Senado Federal aprova proposta que criminaliza o feminicídio. Propostor Thiago Pierobom fala sobre a proposta. Acompanhe matéria da TV Senado sobre o tema.
@direito-penal-iii UNIRV
Antônio Filho fez um comentário
  • Então de que adiante lei sem compromisso das autoridades?
    • 0 aprovações
    Antônio Filho fez um comentário
  • De fato o estado é omisso quando não atende as queixas das vítimas que em sua maioria logo após são mortas ou espancadas. Tornar o crime contra a mulher hediondo tem efeito positivo, agora, o que não leva a nada é a pena ser agravada e as queixas não servirem de nada. A pena de morte por exemplo, muitos são contra, mas ela tem seu efeito positivo embora seja em meu ponto de vista desnecessária diante do descaso que vivemos no Brasil, milhares de pessoas são condenadas inocentemente.... Veja mais
    • 0 aprovações
  • Positivar crime comum como crime hediondo não leva a nada, pois esta positivação não se traduz em uma maior eficiência do estado. Transferir para o Juiz poderes e amplitude cada vez maiores sempre que este ficar omisso frente ao que realmente nos interessa é ser bom moço, confundindo e mascarando o seu despreparo para a harmonia da sociedade. Antes da qualificação para os crimes em âmbito domiciliar contra a mulher, era preciso primeiro dar suporte a estas quando fizessem queixas, mas suporte na prática e não na teoria, assegurando-lhes direitos trabalhistas, escolta, prisão preventiva por parte do cônjuge ou companheiro e outra série de fatores que poderiam ser citados aqui. O crime hediondo no Brasil foi criado em 1992, e desde lá nunca registramos uma queda nos homicídios, pelo contrário, eles têm se mostrado cada vez mais frequentes e aqueles que matam muitas vezes ainda "chacotam" da nossa cara dizendo que não vai dar nada. Lamentável!... Veja mais
    • 5 aprovações
    Carregar mais