A maior rede de estudos do Brasil

Transcrição


anteriormente em Caminhos da humanidade. O Império Acádio ano havia dominado da Mesopotâmia até o Mediterrâneo, mas com as invasões dos botes, uma era de trevas tomou a planície entre o Tigre e o Eufrates. Esta foi a oportunidade para o renascimento sumério e o momento mais brilhante de sua história, no qual podemos conhecer a vida quotidiana na antiga Idade do Bronze. Usar a meus ancestrais dos sírios entre suas várias cidades tinham principal reino em mar grande rival do reino comercial da cidade de Ébola, nas fronteiras das cidades sumérias. O período islamita antigo estava no final da primeira dinastia. Os clubes habitavam que hoje é o Curdistão do Iraque de um mundo. Golfo Pérsico era um entreposto comercial em contato com lugares distantes, como a Índia em dois mil e cem antes de Cristo. A China e a Índia tinham civilizações prósperas e eram referências a centenas de quilômetros ao redor de si. Creta estava cada vez mais poderosa comercializando com todo o Mediterrâneo. O Antigo Egito tinha suas pirâmides pelo menos quinhentos anos, enquanto a Europa estava entrando na era do bronze. O resto do mundo, caça, pesca e alguma agricultura era a rotina de populações pequenas que vivem da terra, mas na Mesopotâmia, após séculos de guerra, a Suméria, o berço das civilizações, estava para renascer em dois mil e cinquenta antes de Cristo. O turno legal liderou a rebelião das cidades sumérias contra o rei Guti Sirigu, que depois de vencido, consentiu em deixar a Suméria e Hutu. Regal reinou por sete anos, até que morreu num acidente. O namoro assumiu e reino de dois mil cento e doze a dois mil e noventa e cinco antes de Cristo. Iniciou a construção do famoso Grande Zigurate, descoberto em mil e novecentos e vinte pelo inglês Leonardo Vôlei. É bom lembrar que os semitas viviam na Suméria nesta época, mas os sumérios não eram semitas. O pai de Abrão, conforme dito na Bíblia em Josué, Capítulo vinte e quatro versos dois, serviu outros deuses além do Eufrates e sendo um semita, certamente como babilônios. Há sírios e a cada anos estava envolvido com a astrologia. Sim, Nome semita ou nana O nome sumério era o deus dos adivinhos. Era uma atividade chave na ciência da astrologia praticada no topo do zigurate, onde ele era representado pelo número trinta da fase lunar ou como um velho de barbas esvoaçante montado sobre um touro herdado de seu país no Rio, o deus do vento. Nana e sua esposa Mingau tinham como filhos do Sol o chamado de luto ou chamar. Vivemos a Deus, aí nana, também chamada de estar. Seus principais santuários são outra evidência histórica que comprovam a historicidade do relato da Bíblia, pois o texto diz que Abraão e sua família saíram de uso e foram para a área que é exatamente nestes dois lugares encontramos outro santuário lunar correspondente à cultura de ouro. Em repor, descobriu se o mais antigo código de leis do mundo, ainda mais antigo que as leis de Hamurabi. O código inicia descrevendo como os deuses favoreceram urna para colocar o reino em ordem e padronizar medidas. São leis casuísticas do tipo multas por compensação, indenizações em casos de danos morais e físicos e penas de morte em caso de assassinato, assalto e estupro através de centenas de tabletes comerciais. Sabemos como era a vida social de uso. Viver em uma cidade como de Abraão tinha um preço a sujeição ao sistema e o sistema era totalitário. Depois de décadas de domínio estrangeiro, o povo sumério libertado pela terceira de nascia de um entregou sua vontade de bom grado aos soberanos. Você viveria protegido dos estrangeiros em troca de total submissão ao governo da terceira dinastia. O estado totalitário sumério dependia de anulação da individualidade, tendo o Estado como promotor de todas as ideias e mediador de todo o sistema. A cidade compunha se de vários grupos étnicos e profissionais. Um indivíduo fora desse sistema não conseguia participar de nada. O Estado era dono de tudo e para a justificativa, a parceria com a religião dominante dizia que os deuses eram os donos da Terra e a soberania dos reis Vieira deles. Se você tivesse a religião errada, estava fora. O estado controlava a religião, diziam que seus deuses queriam e era o dono da sua terra. Um produtor rural era obrigado a entregar boa parte de sua produção ao estado. Teoricamente podia vender o resto, mas a venda e o preço também eram determinados pelo estado. O estado tinha capatazes que mediam em contabilizavam rigorosamente a produção em metas a serem atingidas, calculadas pelas jornadas de trabalho. Provavelmente a escrita nasceu com esse propósito de registro. Havia um dia de folga a cada dez dias para os homens e a cada seis dias para as mulheres. No final de um ano contábil, auditava se a diferença entre créditos e débitos na produção e as contribuições de cada trabalhador. Caso houvesse dívidas, elas eram transferidas para o ano seguinte e se morresse o devedor. As dívidas eram herdadas pelos filhos. Como a exigência da produção era acima da capacidade para aparelhar o estado pesado, cheio de nobres guerreiros, sacerdotes e um grande complexo de construções como zigurate, que mantinham a ideologia não raramente as dívidas se tornavam impagáveis ao ponto de os trabalhadores se venderem como escravos, tornando se propriedade total do Estado. Pernambuco O soberano de Ouro foi derrotado em batalha onde tombou morto. McHugh vingou. O seu pai reinou até dois mil e quarenta e sete antes de Cristo, e foi chuva que terminou a construção do zigurate de ouro ao norte da Suméria. Na ainda time da cidade de Assur, reinou Sole, um dos primeiros reis assírios em sua famosa capital, que usava o nome do seu ancestral a sua, mas era um reino time do que poucos imaginavam que se tornaria o maior poder da Terra dentro de mil e trezentos anos nos próximos cem anos, a terceira dinastia de Ur chegaria ao fim. A civilização suméria desapareceria e seu povo seria engolido pelos semitas que dominariam totalmente a região. A Suméria, a primeira civilização do mundo, ensinou que governos tiramos, tende a criar desigualdade social e que a riqueza de um país não é o que o governante tem, mas o que o povo possui do meio de ouro? Nesta época saiu um homem que deu origem a um povo que diria o seguinte ditado abre aspas o rei que julga os pobres conforme a verdade firmará o seu trono para sempre fecha aspas. Esta é uma situação do Livro de Provérbios, Capítulo vinte e nove, verso catorze. Mas a vida deste morador de ouro é assunto para os próximos vídeos, onde também vamos descobrir o que acontecia com o clima mundial. Nesta época, nosso muito obrigado aos internautas que participam conosco. No vídeo anterior, o Primeiro Império, O Gerson Dornelles nos lembrou que a data para Sargão foi citada ao contrário, sendo correto dois mil duzentos e setenta e nove a dois mil duzentos e trinta e quatro antes de Cristo, lembrando que há variantes entre os historiadores, e estas datas precisam ser entendidas com alguma flexibilidade. Muito obrigado pela correção. Continue nos acompanhando aqui no canal Observatório sete na série Caminhos da Humanidade e assista os próximos episódios da saga durante a Idade do Bronze. Curta, compartilhe, divulgue para nos ajudar. Inscreva se no canal acionando o sino de notificações para ser avisado dos próximos vídeos E confira nossa playlist outros temas. É claro, nossa bibliografia abaixo do título deste vídeo até a próxima para conhecer mais sobre civilizações, seus feitos e as escolhas humanas ao longo da história.