A maior rede de estudos do Brasil

Currículo e sociedadevideo play button

Transcrição


chegamos a nossa quinta aula da disciplina currículo escolar. Nesta aula, nós teremos como focos de análise os paradigmas e as políticas educacionais, os aspectos legais e o planejamento curricular, as diretrizes curriculares nacionais, o processo de avaliação composto pelas políticas educacionais e a forma como ele afeta o trabalho das escolas. Vamos lá ver tudo isso juntas nessa nossa quinta aula, vamos conversar principalmente sobre as determinações legais para o currículo em nosso país. A questão das normas, o que existe de regra, que precisa ser cumprida. Mas antes de colocar para vocês as principais informações. Vamos conversar um pouquinho botando algumas dúvidas na nossa cabeça, a companhia que comigo cada sistema de ensino tem normas para o currículo. Mas a primeira coisa que nós temos que nos questionar o que significa esta expressão, o que é o sistema de ensino, Nós nos acostumamos a entender que o sistema de ensino é um material que é produzido e vendido por editoras, ao nosso município ou a nossa escola particular. Então, nós temos no Brasil várias editoras que produzem o que eles chamam de sistemas de ensino que vem, livros, orientações para o professor, geralmente um portal também na internet uma série de informações. Este não é o sentido de sistemas de ensino que nós precisamos aqui. Sistema de ensino se refere à toda a estruturação do Sistema Nacional de Educação. A nossa Lei de Diretrizes e Bases de mil e novecentos e noventa e seis, dividiu o nosso ensino em dois grandes níveis Educação básica Educação superior A educação básica se divide em educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. Cada um destes níveis, inclusive o superior, está determinado como sendo obrigação de um nível de ente da Federação. Por exemplo, o ensino superior está sob responsabilidade da instituição federal. Então, estou falando primeiro do sistema público. Então, quem é o responsável por oferecer ensino superior no Brasil? O governo federal, quem é o responsável por oferecer ensino médio no Brasil ou o Estado? Quem é responsável pelo ensino fundamental, municípios e estados? Porque geralmente os primeiros anos ficam a cargo do município e, a partir do sexto ano, a cargo do estado, de quem é a responsabilidade da oferta da educação infantil do município? Então, essa estruturação dos diferentes níveis de ensino, de acordo com as responsabilidades seja do município, do Estado ou da Nação, é que são considerados o sistema de ensino no Brasil. Você, de repente vai me perguntar, poxa, mas não existem universidades estaduais ou não. Existem escolas estaduais que têm educação infantil. Pode existir? Sim, não existem uma proibição. Acontece que, na na divisão das responsabilidades, o município é o responsável por garantir a educação infantil. Se garantir a educação infantil ainda houver verbas disponíveis, ele pode investir em outros níveis. Isso se isso se coloca em todos os entes federados, município, estado e nação. Outro aspecto que você vai, de repente questionar assim. Mas as escolas particulares, onde é que elas entram a escola particular? Ela, Dependendo de qual é o nível que ela atende, se adapta se adequar à legislação daquele nível. Por exemplo, uma escola de educação infantil tem que cumprir todas as regras impostas para as escolas municipais. Porque o município o responsável pela educação infantil, Se houver um colégio de ensino médio particular, ele vai ter que responder as regras do Estado no qual ele se situa. Aquela escola se situa porque a responsabilidade pela oferta do ensino médio é dos estados, inclusive se uma mesma escola particular tiver educação infantil, ensino fundamental e médio para cada um dos níveis, ela vai ter que prestar contas e seguir as regras do sistema adequado. Então, a parte de educação infantil segue as regras do município e obedece ao controle as determinações do município, a parte do ensino fundamental. Primeiros anos, dependendo de cada região, vai ser ao município ou ao Estado o ensino fundamental. A partir do sexto ano, a escola vai ter que seguir as regras do Estado e assim também no ensino médio. Então volta comigo aqui. Então o que nós vimos? Cada sistema de ensino tem normas para o currículo, não existem normas estaduais, municipais e federais. Mas como é que ela se colocam? Como é que elas chegam a nós, Gente? O nosso governo, por meio do Ministério da Educação e Cultura, lançou há tempos vivem relançando, retomando diretrizes curriculares Nacionais para todos os níveis de ensino. Não existem diretrizes para educação infantil e ensino fundamental para o médio para superior, para cada um dos cursos do Superior, mas estas diretrizes relação relativamente amplas. Elas são como um grande guarda chuva, que tem as grandes regras, e a partir daí, cada estado município pode criar as suas, desde que não vá contra a ordem superior, então pode haver diferenças entre o que pede, por exemplo, a diretriz curricular do País e de um Estado sim, desde que ela não vai contra a lei maior. Então, será que a escola tem um espaço de autonomia? Ou será que tudo um determinado que só nos resta cumprir? É isso que nós vamos ver agora, na sequência, as normas para o funcionamento das escolas, geralmente se estrutura em forma de políticas educacionais, políticas educacionais. Gente não significa este ou aquele partido, nem a ação de um governador, de um deputado. O que é a ideia de uma política educacional? São as grandes linhas, as decisões que o Estado nação toma em relação à educação, por exemplo, determinada época a política educacional vai no direcionamento da valorização da educação técnica, como era na época da Lei cinco mil e nove dois. Então, todas as leis que vem fundamentar ouvem se incrementar essa política, determinam nesta direção, deixa comigo aqui no desenho. Então, as políticas educacionais são as grandes linhas, os grandes norteadores de um país em relação à educação, assim como existe também políticas sociais, políticas para a saúde, política econômica. Então é o direcionamento que um determinado país, numa determinada época. Leia Sendo um determinado governo pretende dar para a educação. Essas políticas educacionais geralmente dão origem a duas coisas Primeiro legislação Segundo uma proposta curricular, uma política educacional, ela tem sempre implícita uma determinada teoria, uma determinada concepção do que vem a ser a educação. Essa concepção muitas vezes ela não está escrita na política, então ela não está escrita na pmdb- Horas partimos da concepção tal para dizer isso a concepção e outra para dizer aquilo. Mas quem entende quem estuda área percebe aqui tem a pedagogia das competências. Ali tem a ideia tal opala e tem aquele outro. Então, quando uma política educacional é posta em prática, ela posta em prática por meio de diretrizes ou orientações curriculares e leis. Qual é a lei que nos regulamenta hoje? Qual é a grande lei da educação? A nossa chamada Pmdb- Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, que foi promulgada em mil e novecentos e noventa e seis. Esta lei ficou oito anos tramitando no Congresso, porque ela foi fruto de diferentes posições, ideias contrárias, inclusive lutas de grupos do grupo de Educação Particular, Grupo da Educação Pública, Grupo das universidades, Grupo dos pedagogos. Não houve várias vários conflitos e a lei acabou sendo a síntese possível. Então, ela traz alguns avanços, mas também tem alguns problemas como toda lei. Afinal, porque lembram que a gente comentou numa aula anterior que a escola e assim também acontece com as leis, é um espaço de luta pela hegemonia. Então, diferentes grupos lá no Congresso, cada um foi fazendo a sua, colocando a sua posição até que saiu a lei que temos hoje a síntese desses conflitos. A partir do momento em que saiu a Lei de Diretrizes e Bases, que ela ela diretriz, ela direciona e das bases, Esta é a lei que manda no ensino brasileiro. Nada pode ser feito com para e anda esta lei. A partir daí, o Ministério da Educação, por meio dos diversos especialistas, foi lançando diretrizes curriculares. Diretriz, gente não é o parâmetro curr