A maior rede de estudos do Brasil

Mercado Financeiro Aula 2video play button

Transcrição


Olá, eu sou professora Emiliane, Hoje nós teremos a nossa aula dois da disciplina Mercado Financeiro na Sala dois. Nós vamos falar sobre as funções do subsistema normativo e do Subsistema de intermediação do Sistema Financeiro Nacional. Esses são os dois grandes segmentos do sistema financeiro Nacional. Então, vou repetir subsistema normativo, subsistema de intermediação. Só de falar esses nomes, eu gostaria que você gravasse uma característica fundamental de cada um desses dois grandes sistemas Subsistema normativo, intermediação, olha, presta atenção bem nesse nome. Subsistema de intermediação é o subsistema responsável pela operacionalização da intermediação entre recursos. Então, se existe essa intermediação em de recursos entre poupadores e tomadores, o sistema de intermediação é o grande responsável por operacionalizar isso, então o conjunto de instituições que fazem a intermediação de fato. Já o subsistema normativo, outro grande segmento, é o responsável pelas normas da intermediação, é o responsável por determinar de que forma será feito. Então, ele estabelece as regras, ele regulamenta a intermediação. Eles estão sempre juntos. Quem não vamos caracterizar o primeiro, o subsistema normativo, as suas funções e as suas responsabilidades. Então o sistema, o subsistema normativo ele é responsável pela criação de normas e regras, que regulamentam a intermediação financeira. Ele é responsável pela fiscalização do sistema financeiro, pela regulamentação de atividades diversas, zelando pelo bom funcionamento do mercado, a composição do subsistema normativa. Por ele, que nós vamos começar. Então, é essa essas normas zelar pelo bom funcionamento, estabelecer normas, fiscalizar a intermediação. Tudo isso é realizado por meio de uma complexa estrutura de instituições. Essas instituições, cada uma delas tem suas funções, suas responsabilidades dentro do sistema financeiro. São elas, primeiramente, o Conselho Monetário Nacional, que é o maior de todos que está no topo dessa cadeia. Depois nós temos o Banco Central. Depois nós temos a Comissão de Valores Mobiliários CVM. Temos o conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, temos a Susepe que a Superintendência de Seguros Privados e temos a Previc que a Superintendência Nacional de Previdência Complementar. Temos ainda os agentes especiais compostos pelo Banco do Brasil, BNDES e Caixa Econômica Federal. Então vamos falar um pouquinho agora sobre as funções de cada uma dessas instituições, o que elas fazem. Dentro desse subsistema normativo, o Conselho Monetário Nacional é o órgão máximo do sistema financeiro nacional. Ele possui função normativa. Não atenção para essa palavra normativa, porque o banco o Conselho Monetário Nacional. Ele não executa nada. Ele não fiscaliza nada, ele aprende. Ele apenas queria as normas para execução. Ele cria normas para fiscalização. Ele é o todo poderoso do sistema financeiro nacional. Então, tudo o que o Banco Central executa, os outros, às outras instituições, as outros órgãos fazem é determinado pelo Conselho Monetário Nacional, ele manda nos outros. Ele determina o que deve ser feito e como deve ser feito outras funções do Conselho Monetário Nacional. Estabelecer as metas de inflação, Essa função fundamental importantíssima para a condução econômica, estabelecimento de metas de inflação. Vocês sabem que hoje nós operamos com o sistema de metas inflacionárias. Nós trabalhamos com o sistema de metas inflacionárias. Isso vem desde o Plano Real em mil novecentos e noventa e quatro. Como funciona? O sistema de metas inflacionárias é muito simples. O Conselho Monetário Nacional determina qual a meta de inflação. Exemplo a meta de inflação é de quatro por cento e quatro e meio por cento, com uma margem de erro de dois pontos percentuais para menos ou para mais. Isso significa que a inflação deve ficar entre dois e meio e seis e meio por cento não deve ultrapassar o teto da meta. Então, quando vocês ouvem falar, o governo vai tomar medidas para controlar a inflação, porque ela ameaça ultrapassar o teto da meta. Isso significa que a inflação está ameaçando ultrapassar os seis e meio por cento, que é a meta definida pelo Conselho Monetário Nacional. Ele sistema de metas de inflação O Conselho Monetário Nacional determina com a meta isso é divulgado pelo governo. O que acontece quando o governo determinar exatamente isso é usado por muitos países? Não só pelo Brasil? Não, Governo determina com a meta o que acontece com essa meta. Os empresários em geral, os agentes da economia ouvem qual é a meta e passam a fazer seus planos, estratégias, determinar seus preços baseados nessa inflação. E se todos os agentes da economia agem, planejam, criam estratégias baseados numa taxa determinada. Ela acaba acontecendo porque não é porque o governo determinou que aquela taxa vai acontecer, porque o governo só determina quem faz a taxação, os agentes do mercado, os aumentos de preços dos mercados. Assim, uma taxa determinada. Então, se o governo determina a meta e os empresários colocam aquela meta dentro dos seus planos, ela acaba acontecendo. Ou seja, o sistema de metas inflacionárias só funciona se o governo tiver credibilidade ao seu governo. Divulga uma meta. Ninguém acredita, não adianta nada, porque os empresários passam a fazer planos a estabelecer seus preços baseados na inflação de dez por cento que eles acham que vai acontecer. Mas não. O governo estabelece uma meta de inflação e se compromete a manter. Essa meta se compromete a tomar atitudes a partir do momento que a meta ameaça fugir do controle. E se as pessoas acreditam se o governo adquiriu credibilidade, isso acaba não Rousseff E é exatamente isso que acontece dentro do nosso país. O CNJ estabelece uma meta de inflação, e aí essa meta divulgada e os agentes econômicos façam a trabalhar com essa inflação. Se por acaso, acontece dessa meta dessa taxa de inflação, se ela parece que está fugindo ao controle dos agentes econômicos, aí o governo deve tomar medidas para mantê la sob controle. A gente vai falar dessas medidas um pouquinho. Também o Conselho Monetário Nacional autoriza a emissão de papel moeda. Ele autoriza, vai ser criado moeda nova. Não vai ser criada uma moeda nova. Ele que autorizassem Missão, Banco Central admite. Mas ele autoriza essa emissão, ele aprova os orçamentos monetários preparados pelo Banco Central. Então, se o Banco Central determina a criação de moeda e passa o orçamento para o Conselho Monetário Nacional, o Conselho Monetário Nacional vai aprovar ou não Esse orçamento monetário do Banco Central. É ele que manda está fixa diretrizes e normas da política cambial. A política cambial trata da determinação do valor da moeda nacional em relação a moedas estrangeiras. Então, de que forma esse valor é definido de que forma a taxa de câmbio é definida? Então é um o Conselho Monetário Nacional, que fixa as diretrizes da política cambial que será seguida? Qual o regime cambial? Regime fixou flutuante? Também vamos falar mais para frente pouquinho sobre os regimes cambiais, quem e finalmente disciplinar o crédito em suas modalidades e as formas de operações. Creditícias, Então, que tipo de crédito, prazos, prazo das operações, taxas das operações Esta. Isso tudo é disciplinado pelo Conselho Monetário Nacional. Ele cria limites para a remuneração das operações e serviços bancários ou financeiros. Se importantíssimo, então os bancos têm produtos, eles comercializam produtos e serviços, os bancos fazem a transferência, se observa no seu banco, faz uma transferência interbancária, por ser você vai no seu banco, faz uma transferência para um outro banco e o banco para isso, cobram uma taxa. Que taxa é? Será que o banco pode cobrar o máximo que eu puder? Tadinhos Tadinha da pouco coitadinha da população, se o banco poderá cobrar o que quer, porque mesmo com toda a fiscalização, com toda a normatização, os bancos ainda fogem Um pouquinho nessa pessoas reclamam muito porque os bancos ganham de mais e ganham mesmo. Então, para tentar limitar essas remunerações para tentar evitar um aumento desenfreado ness