A maior rede de estudos do Brasil

Transcrição


cento e dez mil duzentos e quatro é que calcularem ambos em off. Lembre se se irei financiar cento e oito mil que os noventa por cento de cento e vinte mil que foi dado pelo exercício, mas ainda terei que pagar o IOF, que também é financiado. Obviamente, esse of estará onerando o meu valor. Conforme explicado entre essas duas, esses dois valores como o terceiro passo, iremos calcular esse off fazendo uma conta bem simples os cento e dez mil duzentos e quatro zero oito que acabamos encontrar vezes. Zero vírgula dois ou menos dois por cento que dá no mesmo o resultado será um e oeste dois mil duzentos e quatro e oito centavos. O quarto passo é calcular o valor liberado, ou seja, o valor efetivamente recebido para que se possa adquirir o bem para fazer esse cálculo. Utilizaremos os cento e dez mil duzentos e quatro zero oito menos os dois mil duzentos e quatro zero oito que acabamos de encontrar com o IOF. Isso mostrará o valor liberado de cento e oito mil reais. Observem que os cento e oito milhões mais os dois mil duzentos e quatro zero oito nos dá exatamente os cento e dez mil de valor futuro. Quem ao valor constante no nosso contrato. O quinto passo então será calcular o valor financiado, corrigido pela carência. Não se esqueçam que o exercício nos disse que a princípio, teremos carência para esse cálculo. A carência será de dois períodos de três meses, uma vez que nos foi dito seis meses de carência. Obviamente, em seis meses temos dois trimestres. Utilizaremos então o valor efetivamente financiado, que é o cento e dez mil duzentos e quatro zero oito trocaremos o seu sinal. Jogaremos o valor presente. Utilizaremos o dois como sendo o prazo, uma vez que teremos dois trimestres de carência ou seis meses conforme já dado pelo exercício. E jogaremos três vírgula cinquenta e cinco cinquenta e oito zero oito, que é a taxa que já encontramos a taxa equivalente ao prazo de quinze por cento ao ano. Dessa forma, obteremos um valor futuro de cento e dezoito mil cento e oitenta e sete e um reais. Ou seja, sobre esses cento e dezoito mil cento e oitenta reais e setenta e um centavos é que efetivamente faremos os cálculos referentes às amortizações. No sexto passo, iremos calcular os dados da parede da tabela Praia, utilizaremos os cento e dezoito mil cento e oitenta e sete e um que acabamos de encontrar. Trocaremos o sinal. Utilizaremos como o valor presente HPV. Jogaremos dezoito, uma vez que nos foi dado pelo exercício dezoito parcelas e os três vírgula cinquenta e cinco cinquenta e oito zero oito, como sendo a taxa de juros que também encontramos. Dessa forma, obteremos uma parcela de nove mil e um e cinquenta e nove reais. Então utilizaremos dois a morte, porque dois O exercício nos informou que temos uma carência de dois trimestres, ou seja, seis meses com o exercício, solicitou uma tabela anual, seis meses estão na carência. Nos restou mais seis meses, ou seja, mais dois períodos referente a um ano. Por isso jogamos dois. Quando jogamos essa morte, nós faremos o cálculo dos juros dos juros referentes ao ano. Posteriormente, apresentaremos os sushis, invertir e obteremos a amortização. Continuam os mesmos cálculos. Utilizaremos o HPV da calculadora e, então obteremos o saldo devedor daquele período. Continuaremos realizando esses mesmos cálculos, mas, dessa vez utilizando quatro. Por que? Porque a carência foi no período? Um no ano um? No ano dois? Já não existe carência, então temos quatro quadrimestres, assim como no ano três, no ano quatro e no ano cinco. Então, nós repetiremos os quatro a morte e obteremos os juros. SHIS inverte amortização HPV, saldo devedor da mesma forma para um ano três quatro a morte, obteremos os juros chez invertir, amortização HPV, saldo devedor de tal forma que chegaremos ao sétimo passo, que é a elaboração da planilha para anual que vai ficar dessa maneira dessa tabela, podemos tirar algumas conclusões No ano zero, por exemplo, que é o momento atual da operação. O que foi pago foi o IOF que vocês bem se lembram. Foi dado pelo exercício foi pago no ato e era no valor de dois mil duzentos e quatro zero oito. Nesse momento, não houve amortização, uma vez que ainda não havia financiamento e o saldo devedor da operação, uma vez que você acaba de assinar o contrato é cento e dez mil duzentos e quatro zero oito. Então, partimos para um ano no qual tivemos dois períodos de carência, dois períodos de três meses, ou seja, meio ano, seis meses. Como tivemos carência, também não pagamos nada. Não pagamos juros e não tivemos amortização. Mas o saldo devedor foi atualizado com vocês Bem, se recordam para cento e dezoito cento e oitenta e setenta e um no restante do ano um. Aí sim teremos o pagamento de duas parcelas, que nos dará o total de dezoito mil e três cem dezoito. Utilizando se esses cálculos há pouco explicados por esses limites dois ou quatro a morte, obteremos os juros. Os juros no são lançados a quem serem os juros do ano. Quando você apertar SHIS inverte você obterá a amortização, que são os nove, setecentos e sessenta e nove e vinte e oito posteriormente. Quando vocês pressionarem HPV, vocês terão um saldo devedor cento e oito mil quatrocentos e onze. Dessa forma vocês apertaram quatro a morte e obterão os treze e seid mil de parcelas já lançados e obterão os catorze mil duzentos e noventa e cinco e trinta e um dos juros do mês. E assim, em sequência, vocês realizarão todos os mesmos procedimentos aqui já descritos e preencher uma tabela traz até chegar a um determinado momento em que o saldo devedor do ano anterior foi exatamente a amortização do ano posterior, o que nos trouxe um saldo devedor de zero, o que significa que a morte Usamos todos os saldos. E isso tem que ser verdade, uma vez que o total do saldo de amortização é exatamente igual ao saldo devedor inicial. No período um, quando ainda não havia pagamentos, e observamos também que o saldo devedor foi zero, justamente porque cessaram se os pagamentos. Bom pessoal, como vimos, a tabela é super importante no mercado brasileiro. Mercado mundial também, mas especialmente no Brasileiro. E todos nós precisamos conhecer. A tabela traz primeiramente para que na vida pessoal nós possamos reduzir os prejuízos causados pelo pagamento de juros e, na vida profissional, orientar os nossos sócios ou as nossas empresas, ou até mesmo as pessoas com que se relacionam às nossas empresas para diminuímos as possibilidades de perda e aumentarmos os ganhos. Muito obrigado vez, vocês na próxima aula.