A maior rede de estudos do Brasil

12 - Depreciação de Bensplay_circle_filled

Transcrição


e a pessoa. Tudo bem. Com vocês vamos falar de depreciação de bens. Quando a gente está falando a depreciação de bens, a gente logo pressupõe que a um bem que perdeu o valor devido o tempo de utilização, porém, não necessariamente a depreciação decorre do desgaste em relação ao uso. A depreciação pode ocorrer em virtude de uma evolução tecnológica também. Então, às vezes, nem houve um desgaste de uso e já pode se falar de depreciação, porque muita gente confunde a ideia de obsolescência. Com a ideia de cem serviu todo mundo, bagunça, seus conceitos demais. Nós vamos estudar essa aula depreciação de bens no campo, da administração, de recursos materiais. Eu vou um pedacinho lá na contabilidade para trazer um pouco mais de informação útil para a tua provas. Mas nós não vamos aqui calcular, depreciação, porque aí fica sob a responsabilidade da área de contabilidade que quando houver no edital, no caso não é? Então é motivo de preocupação. Nós vamos, nesse momento, aqui, falar de depreciação de bens no aspecto teórico, conceitual, tudo bem, para a gente começar a olhar dinheiro, a depreciação de bens, os elementos que compõem o ativo imobilizado. A gente tem que lembrar que quando a gente está falando de depreciação de bens, costuma se falar de depreciação de um componente do ativo imobilizado, Então o material de natureza permanente estruturas de naturezas permanentes. Nós não vamos falar de depreciação de um material de consumo, por exemplo, tem que ser algo que pertence ao ativo imobilizado e não ao ativo circulante. Tudo bem. Então, já começamos bem falando desse conceito ativo para você que está estudando essa disciplina leves, que ativos são bens e direitos e que esses ativos são subdivididos em vários tipos. Existe o ativo circulante no curto prazo, o ativo não circulante no longo prazo e os ativos imobilizados. Vale então destacar que aqui nós estamos falando de ativo e mobilizar então os elementos que compõe o ativo imobilizado continua na leitura da homenagem, tem um período limitado de vida útil econômica, com exceção de terrenos de alguns outros itens. Então o terreno está fora dessa gama que está então terreno, a gente vai desconsiderar dessa abordagem de depreciação. Tá bom. Agora, considerando a legislação em vigor, temos algo para tratar da hora de aí no aspecto conceitual dessa legislação. Veja o artigo oito três, parágrafo segundo da lei mil quatro quatro sete meia lei que não está prevista para você, mas é daqui que se está em um conceito de que a diminuição de valor dos elementos do ativo imobilizado será registrada periodicamente nas contas de bom. Então, para a diminuição do valor dos elementos do ativo imobilizado será registrado periodicamente sim nas contas de que a depreciação. Quando correspondem a perda do valor dos direitos que têm por objetivo por objeto bens ficam surge físicos sujeitos a desgastes ou perda de utilidade por uso, ação da natureza ou obsolescência. Então a depreciação, quando corresponder a perda do valor dos direitos que têm por objeto bens físicos, sujeitos a desgaste ou perda de utilidade por uso a ação da natureza ou de obsolescência. Então aqui que seria aquela ideia de ficar ultrapassado, então aqui será a ideia de ficar ultrapassado normalmente em virtude de uma evolução tecnológica, normalmente em virtude de uma evolução tecnológica. Mas além disso, lembre se que também temos que lembrar que essa depreciação corresponde a perda de valor dos direitos que têm por objeto bens físicos, sujeito a desgaste ou perda de utilidade por uso. Então veja pode ser o desgaste, pode ser o tempo de uso, mas além disso, pode se considerar como também depreciada em virtude da ação da natureza e em virtude de obsolescência. Então, como eu disse, tem um item que pode ser considerado novo. Nunca ninguém botou a mão, mas ele pode ter considerado depreciado essa depreciação de bens. Ela é considerada então não somente em virtude do dano da avaria do desgaste, mas às vezes até mesmo por uma evolução tecnológica somente às vezes, somente por isso, então fica muito esperta nesse detalhe tá bom, vão volta lá da ordem para só aqui. Também fala que essa essa redução de valor dos elementos do ativo imobilizado será registrado periodicamente nas contas de amortização. Quando corresponder a perda do valor do capital aplicado na aquisição de direitos propriedade industrial estão aqui foge da alçada que essa aula tem por objeto. Então somente a lei entrar nos cabe nesse momento também agora vamos a tratar de outros conceitos Depreciação Olha só depreciação a ser registrada contabilmente, conforme determinação da legislação societária que correspondeu desgaste efetivo pelo uso ou perda de sua atividade, mesmo por ação da natureza ou obsolescência estão aqui extraída da própria lei. Meia quatro zero quatro a gente acabou de tratar aqui também. Então acabamos tratar que o que o conceito dois fala depreciação é a desvalorização por desgaste durante o período de vida. Hoje do bem ativado a vida útil estabelecida com base na lei fiscal. Aqui ele traz esse conceito como se depreciação fosse a desvalorização por desgaste durante o período. Então aqui é interessante que a vida útil ela estabelecida com base na lei fiscal. Mas ela é a desvalorização por desgaste durante o período de vida útil, em tese, por período de vida útil, tempo efetivamente utilizado na produção de bens e serviços, sem que o bem entre estádio, obsolescência, cessa a vida útil, quando bem torna se economicamente viável. Então a vida útil ela encerra quando o bem se torna economicamente inviável. O custo mensal de depreciação repassada ao produto teoricamente garante a reposição do bem no prazo de sua vida útil. Então, o custo mensal de depreciação repassada ao produto, teoricamente garante a reposição do bem no prazo de vida. Outros, tão importante essa conta agora no campo da contabilidade que a gente pode agregar. Aqui nesta aula existe os encargos de depreciação. Depreciação corresponde ao encargo period determinado bem sofre por uso por obsolescência ou por desgaste natural, também repetitivo. Estava bem repetitivo. Ou é por uso ou por ficou ultrapassado ou é um desgaste da própria natureza. Tudo isso considera se depreciação está a taxa anual de depreciação de. O bem será afixada em função do prazo, durante o o qual se possa esperar utilização econômica. Então, essa ideia de vida útil, ela vai ser durante o prazo em que existe ali um efeito econômico, a cota de depreciação sem estrada na estruturação conta da pessoa jurídica. A empresa, como custo ou despesa operacional, será determinada mediante a aplicação da taxa de depreciação do valor do bem em reais. Existe a tarde de apreciação sobre o valor do bem, calcula. E no caso registra. Aí, no caso, dentro da organização, o quesito depreciação, tudo bem e ainda coloca você é o seguinte o limite de depreciação é o valor do próprio bem, ou seja, não vai diminuir o valor. Pode ser negativo o valor do bem, o valor dele, até que o mínimo é o valor do próprio. Dessa forma, deve se manter um controle individualizado, por bem do tipo ficha do imobilizado ao planeta, do item de mobilizar para que o valor contabilizado da depreciação, somada as cotas já registrado anteriormente, não ultrapasse o valor contábil respectivo. Bem, então não vai diminuir a pode reduzir mais do que o valor do próprio bem está E aí é que eu coloquei para você informativos referente ao início e término da depreciação. A depreciação de um ativo começa quando o item está em condições de operar na forma pretendida pela administração e cessa quando ativa embaixada ou transferido imobilizado. Então, quando que começa uma depreciação quando ele está em condições de operar, de ser utilizado pela AJE, pela administração e quando é que encerra a depreciação, quando ativa é baixado, precisam lembrar aqui. Baixa patrimonial é um modo de desfazer mente, Então são várias formas desfazimento, ou então quando ele é transferido imobilizado, isso também faz com que haja um terno da depreciação. A depreciação não cessa, quando ativo torna se obsoleto, então o índic