A maior rede de estudos do Brasil

processos avaliativosplay_circle_filled

Transcrição


olá! Hoje estamos finalizando o modo de práticas avaliativas com uma discussão sobre os critérios de avaliação. Qual é a base que utilizo para julgar a produção dos meus alunos? Nós já conversamos sobre instrumentos já conversando, sobre quando fazer avaliação, os tipos de avaliação, mas entendo os resultados em mãos, como que eu faço para julgar essa produção. Então, nós vamos trabalhar sobre a ideia de como estabelece critérios de análise, os tipos de avaliação que eu posso fazer para em relação ao estabelecimento de critérios a normativa, secretariada e como que o professor pode fazer para compartilhar os critérios avaliativos com os seus alunos? Para iniciar, vamos nos inspirar uma de Serrinha, veja chama se ela tirou, ela começa. Tirei ser na escultura que fiz de cabe, como pode alguém tirar um ser uma escultura de cabide? Levanta a mão para fazer o professor. Uma pergunta Posso fazer uma pergunta foi julgada pela própria escultura? Então, não é verdade que só o tempo pode julgar uma obra de arte ou foi julgada pelo meu talento? Então foi julgada em um aspecto da vida sobre o qual não exerço controle algum. Eu fui julgada pelo meu esforço, foi injustiçada porque tem. Tem o máximo que pude, foi julgada sobre o que aprendi com este trabalho. Neste caso, não estará fosse meu professor, sendo também julgado por sua capacidade de transmitir e conhecimento, quer compartilhar do meu ser. Talvez eu tenha sido julgada pela qualidade do próprio cabide que serviu de modelo e isso não é Também é justo. Devo ser julgada pela qualidade dos cabides, que são usados pelas lavanderias quando entregam as roupas lavadas. Isto não seria responsabilidade de meus pais. Não deviam eles compartilhar do meu ser, o que pesou na avaliação. E essa é a pergunta que a gente tem que começar a se fazer o que pesa na avaliação. O que nós com professores levamos em conta ao estabelecer os nossos critérios avaliativos como nós diferenciamos um novo e meio de um, dez, um, cinco e meio de um, seis? O que nós levamos em conta? O que deixamos de levar em conta Para dar conta dessas questões, nós vamos conversar sobre os critérios avaliativos. Primeiramente, vamos tentar entender o que que é um critério. São várias as definições na literatura de avaliação educacional sobre o que são critérios. Eu trouxe duas para compartilhar com vocês, o critério é o princípio utilizado para julgar, Apreciar e comparar ou critério. É a característica ou propriedade de um objeto que permite atribuir lhe atribuir lhe um juízo de valor. Bem, é isso que nós vamos. Estamos falando aqui quando a gente fala do estabelecimento de critérios. Nós temos dois tipos de avaliação a normativa e a Criteria. O que é a avaliação normativa? É aquela na qual um desempenho de cada aluno vai estar sendo comparado com o desempenho do grupo do qual que ele faz parte. Então, normalmente o aluno é comparado em relação à média do grupo ao qual faz parte. É muito nesse tipo de avaliação. É muito comum que o professor vá ler todas as produções ou valer a produção do aluno que ele considera o melhor aluno. E, a partir da nota daquele aluno, ele vai julgar. Todas as outras estão. Muitas vezes, o professor pode achar que é uma boa estratégia de ler algumas produções de bons alunos. Seus bons alunos dele estão tirando, acertando as questões, ele vê o que os alunos estão colocando nas questões. E esse é o parâmetro dele para corrigir todas as outras. Essa avaliação normativa qualquer propósito de uma avaliação normativa. Classificar é comparar os alunos. Eu classifico os alunos em relação, há uma nota que eu considero melhor e daí eu vou atribuindo níveis. Vou fazendo uma classificação ordenada, muitas vezes estabelecendo notas. Normalmente, o professor utiliza essas informações para indicar qual o aluno vai precisar de um apoio extra. Vai para a recuperação. Ele vai falar Olha, você etapa abaixo da média ou chama os pais. Fala vai para abaixo da média acima da média. Vai indicar quem necessita de medidas de apoio para atingir o que ele está, considerando que é o parâmetro de sucesso. Esse tipo de avaliação muitas vezes implica para os alunos em classificação em competição. E nós já sabemos como isso é problemático, porque discutimos bastante isso no módulo anterior. Outro tipo de avaliação, Outra forma de fazer julgamento da produção dos alunos é avaliação criteria. Nessa avaliação, o desempenho de cada aluno é analisado em relação aos os objetivos que se tinha para aprendizagem qualquer quais são os propósitos da avaliação, cria secretariada, é avaliar as aprendizagens dos alunos. Não comparar o resultado de um aluno com outro mais, avaliar o quanto esses alunos se desenvolvendo, se desenvolveram a partir de um critério previamente definido. É importante ressaltar que aqui, no caso, o critério sempre previamente definido para que ela serve, ela vai servir para permitir olhar cada aluno em relação aos critérios que se considerava adequados de atendimento dos objetivos pré definidos. Ainda sobre avaliação criteria, nós podemos dizer que as informações normalmente são utilizadas para identificar em que ponto do processo de aprendizagem esse aluno sem contra ela tem algumas implicações para os alunos também, como a progressão possível de todos os alunos. Nesse sentido, ela uma avaliação considerada mais justa. Porque quando a gente está falando de uma avaliação normativa, como o estabelecimento do parâmetro de avaliação é o grupo Classe, se o melhor aluno tirou seis, todos os outros vão ser julgados a partir desses seis. Isso não significa que nós temos um diagnóstico de como estão os alunos em relação ao objetivo que eu queria atingir aqui não. Sempre o meu Norte é o objetivo que eu queria atingir E o quão próximo ou distante dessa aquisição está os meus alunos são os meus alunos. Ela permite que eu comparo o aluno com ele mesmo e o aluno se compara. Ele vai regulando a sua progressão. É importante a gente pensar como o que nós fazemos com nome como nós compartilhamos os nossos critérios avaliativos com os nossos alunos. Um autor que eu gosto muito, que é o sales rádio. Ele diz que sempre temos que compartilhar os critérios com os alunos de cinco e dois momentos um, que ele chama de critério de realização. Então eu compartilho com os alunos entre em acordo com os alunos, sobre quais são as tarefas, os passos que eles têm que cumprir para atingir determinado objetivo para realizar uma determinada tarefa. Então esses procedimentos, que são diferenciados, são definidos em conjunto com os alunos estão os alunos sabem do que do que o que está sendo esperado o tempo todo, não tem segredo. Então, para fazer um trabalho final, professor fala como que a gente tem que fazer o que vocês têm que fazer? Como vocês vão pesquisar? Como vocês vão trabalhar? Então o aluno tem um direcionamento sobre como realizar esse trabalho e sempre em acordo com eles. Mas tem um momento que é necessário fazer uma escolha, fazer um julgamento final dessa produção sales, radiativa, indicar ele vai indicar a necessidade de se compartilhar os critérios de êxito são os critérios, que é o professor. Vou considerar no momento de julgar os alunos. Em determinados momentos, a gente pode também, a depender do nível de maturidade dos alunos, a gente pode conseguir compartilhar e levantar esses critérios de êxito com os alunos. É importante, no entanto, que nos momentos em que não é possível entrar em acordo sobre os critérios em conjunto com os alunos, que os indicadores de sucesso do que é esperado sejam acordados pela equipe escolar. Veja aqui novamente. A avaliação tem entrando no projeto pedagógico da escola e não o trabalho individual de um professor. Mas para ficar claro, então, que são os critérios de êxito, são aqueles indicadores de sucesso que esclarecem, para cada critério avaliativo, os níveis de exigência que indicam quando as aprendizagens estão satisfatórias ou não. Então, o que é um bom eu vou entrar com foi entrar em acordo sobre o que é um bom com os meus colegas professores. É possível. Vou acordar isso também com os alunos. O que é o trabalho Inade