A maior rede de estudos do Brasil

3 - Evolução da Administração Pública - Enfraquecimento da Burocracia e DL 20067video play button

Transcrição


ansição, mesmo dessa burocracia tão rígida para algo mais flexível no futuro? Aquilo que eu disse a burocracia mal nasceu e já foi atropelada por tendências desse centralizadoras que dariam origem ao gerenciar J K. Vamos falar de J K. Quando a gente fala de JK, agente inerente à sua gestão. É o desenvolvimentismo, o plano de metas, ou seja, cinquenta anos e cinco. A administração paralela e a criação de grupos executivos e comissões. Não falar desse carinha que vamos, vamos falar de ficarem aqui. Jota simpática essa criatura. A gente vai ter uma relevância muito grande para a modernização da administração pública. Também vai ter um modo muito peculiar de administrar e vai ser um político que vai chegar ao poder assim, da noite para o dia. Ele vai ganhar a importância relevo, só que ele vai ser eleito. Gente sem muita como é, que fala sem muito respaldo, sem muito apoio político, ele não vai ingressar na administração pública com um ano amplo respaldo partidário. Não. Ele vai ser esperto, porque o que acontece, quando você é um presidente que não tem apoio político, você não consegue aprovar reformas. Ele até vai tentar no Congresso Nacional aprovar algumas reformas, mas ele não vai conseguir justamente porque vai faltar esse ímpeto reformista, porque não tem apoio partidário, não tem tanto, não ganhou com a margem grande, vota, Não tinha tanto apoia apelo no Congresso. Então ele vai ser um presidente desenvolvimentista, porque ele vai promover a industrialização desenfreada. Ele vai ter seu plano de metas e a ideia de cinquenta anos em cinco de desenvolvimento. Isso vai ser feito. Ele vai transpor a capital do Rio de Janeiro, interiorizando o Brasil aqui para a região Centro Oeste, criando brasília- isso. Vocês sabem que aqui ele vai formular uma administração paralela que essa administração paralela ele não tinha muito apoio político, ele não tinha um consenso partidário seu favor, então ele precisava administrar. Então, ele fez uma estrutura paralela à administração central, porque ele não conseguia reformar a administração central porque não tinha apoio, tal foi ficando excluído. Ali não dava para fazer nada, então ele não mexeu, que não tinha apoio que ele fez, formou uma administração paralela no meio da junção de grupos executivos de comissões, vai atuar em duas frentes nessa administração paralela, ele vai formular comissões que serão implantadas no Congresso Nacional para tentar fazer reforma, que ele não vai conseguir. E nesse meio tempo ele vai criar grupos executivos. Aliás, ele vai se juntar com grupos executivos da indústria automobilística, da indústria naval, da indústria têxtil para tentar criar soluções de desenvolvimento econômico para o país sem pensar. O desenvolvimento social tá, até vai deixar a cargo dos ministérios a questão do desenvolvimento social, mas a ênfase grande dele, como bom desenvolvimento está que era era na economia, por meio desses grupos executivos. Não detalha essa que, um pouco mais tarde, então aqui a administração pública vai estar assim. Super infiltrada com o clientelismo corporativismo está por conta da crise burocrática Para o jogo vai faltar apoio político de sustentação partidária no Congresso e aí para ele conseguir fazer a reforma que ele queria. Ele vai criar algumas comissões. A primeira é a Comissão de Estudos e Planejamento Administrativo. CEPA Como tentativa de reforma, gente que quer essa comissão era uma comissão no Congresso Nacional para tentar implantar uma reforma pela descentralização, migrando aquela burocracia extremamente rígida que ficou. O Cepea não foi efetivo. De fato, não conseguiu implantar reformas? Foi uma iniciativa da administração paralela, seguindo aqui na sua administração paralela. E vai criar bolsões de excelência, já que ele não conseguiu implantar reforma e vai atuar por meio de grupos executivos e comissões, os grupos executivos. A ideia é como se ele fosse bem gerencial. Já a gente, porque ela só vai juntar com o grupo executivo da indústria automobilística já é o grupo executivo da Indústria de construção Naval. Já com Já, IMAP, Grupo Executivo da Indústria mecânica pesada gemaque o grupo executivo da indústria de bens e capitais. Aqui a gente vai viver uma forte industrialização, o que é característica bem desenvolvimentista. Só que ele vai segregar o campo econômico do campo social. E aí, gente, para tentar de novo a reforma, ele vai criar uma comissão de simplificação burocrática também no Congresso. O Cosmo que não vai ser efetiva de falta, mas venceu a iniciativa interessante e aí ele vai promover o desenvolvimento industrial muito forte. Só que olha o que vai acontecer, a gente com esse desenvolvimento industrial vai que, na verdade, definir uma disparidade. Ele vai criar desigualdades sociais no país e até o processo de industrialização vai ser desigual, que vai desenvolver muito sudeste e outras regiões, não ficar negligenciadas. E como ele tem um caráter muito mais econômico do que social, o que é diferente de Vargas? Isso daqui vai ter um certo problema que a gente vai ter o Sudeste em detrimento de outras regiões, vai se desenvolver. A gente vai ter um estancamento do mercado interno por conta disso. Gente que esse estancamento do mercado está interno, Olha só se você está produzindo, para elevando a indústria. Um outro patamar. Essa indústria vai produzir. Ela precisa que alguém consumo. Só que como não vê o desenvolvimento social, só no Sudeste esteve mais os movimentos de Vai ter muitas desigualdades sociais. Se você não tem o público consumidor do produto produzido internamente, vai ter um estancamento dessa indústria. O que a gente vai passar defender muito do capital externo, ele vai, a gente cria uma dívida externa galopante, gigantesca. Ele vai promover seus cinquenta anos e cinco foi promover, mas há um alto custo. Foi assim de graça, baratinha, promoção, não está. Então que a gente vai ter que ele vai ter dependência externa, inflação, problemas sociais. Tudo vai começar a aparecer qualquer e aí a gente vai ter a transição para um outro governo, quer vão voltando aqui para mim? Então vai ser lembrado por essa marca, o desenvolvimento desenfreado que é característica do desenvolvimentismo, a administração paralela, essa necessidade de aliar grupos executivos para promover o desenvolvimento, a construção de Brasília a toque de caixa, interiorização do país, o desenvolvimento da indústria. Só que a sua reforma era desvinculada do caráter social, não tinha tanta em fazer um caráter social. E mais, no caráter econômico das medidas, o que ele vai criar bolsões de excelência nessa administração paralela. Não vai mexer na burocracia vigente, até porque ele não tinha apoio no Congresso e ainda criou cepa e o Cosme, mas não vão ser efetivos a ponto de promover a reforma de que precisava a administração pública à época. Ela agora da gestão escolar. Aqui, a o doidinho da cruz, o tal do Jânio Quadros, gente esse cara de doidão, essa foto aqui, ele com chega, levará. Esse cara não vai ficar muito tempo no poder, não porque vou fazer coisas tão loucas, tão excêntricas, tão contraditórias, por exemplo. Como é que ele não um sistema em que a gente estava lá em disputa de guerra e coisa e tal vai se aliar as características socialistas? Vai se aliar com decorativa? Levará mais? Vai, por exemplo, firmar acordo com o Fundo Monetário Internacional de pozinho, envia. A gente foi contraditório. Então ele vai ceder aos apelos do FMI ao mesmo tempo que ele condecora Che Guevara é que possa haver uma vela para Deus e outra por demônios, entende por não dar o contraditório. Vargas faz isso muito bem. Esse vez vinha aqui muito não. Então ele vai ter relações diplomáticas socialistas, Como eu falei aqui, a gente vai implementar de maneira bem rápida no Brasil pela primeira vez o parlamentarismo e aqui vários golpes vão ser tentados na gestão dele. Então ele vai renunciar à presidência, ele vai fazer uma carta testamento copiada, copiada de Getúlio Vargas. Vagas. Não fez sua carta testamento lá, saindo da vida para entrar para história da fazer algo parecido dizendo