A maior rede de estudos do Brasil

Referencial Curricular para a Educação Infantilvideo play button

Transcrição


professor professor, as saudações Você já me conhece? Eu sou professora, morava e estamos dando início a um novo módulo, direcionado a você, que vai fazer um concurso do magistério da sociedade ou do seu estado Esse tema. O tema deste módulo, os referenciais Curriculares nacionais para a educação infantil é muito mais cobrado em concursos para os docentes que vão atuar na educação infantil, na creche, na pré escola, nos cinco anos iniciais do ensino fundamental. Embora estamos falando que estejamos falando aqui de referenciais curriculares para a educação infantil, os docentes que atuam nos anos iniciais do ensino fundamental também tem seu conteúdo programático de concurso com certa regularidade. Estes referenciais curricular estão Você vai fazer concurso para a área de educação, mas outra área que não seja os anos iniciais do ensino fundamental e a educação infantil tem bem menos cobrado aqui, fazer uma revisão sobre o que estudamos em matéria de legislação e ordenamento jurídico. Lembramos muito bem que a norma de maior grau hierárquico, a versar sobre a educação no Brasil, a Constituição Federal do ano de mil e novecentos e noventa e oito e suas respectivas emendas constitucionais. Devemos lembrar que a Emenda Constitucional tem valor de constituição. Os artigos da Constituição que mais falam sobre educação vão do artigo duzentos, duzentos e quinze, na verdade duzentos e cinco duzentos e cinco ao duzentos e catorze, repetindo duzentos e cinco ao duzentos e catorze, Não obstante espaços divididos pela Constituição a outros artigos que vão conversar também sobre educação que não os interessam para a aula. Mas o que nos interessa? A Constituição é a norma de maior hierarquia no ordenamento jurídico a falar sobre educação, mais especificamente no artigo Duzentos e cinco, duzentos e catorze na sequência. A Constituição então é como se fosse o alicerce da casa. Na sequência, vamos para as colunas e as paredes representando a coluna, as colunas e as paredes. Temos a beber a lei, dar se Ribeiro, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nove três nove quatro barra nova e meia. Na nossa metáfora ela, como funciona como se fosse as colunas ou paredes da nossa casa e representando o telhado dessa casa. Temos as diretrizes Curriculares nacionais e as diretrizes Curriculares Nacionais são emanadas pelo Conselho Nacional de Educação, repetindo as diretrizes nacionais Curriculares Nacionais para educação são emanadas pelo Conselho Nacional de educação. As diretrizes são atos administrativos e normativos, por serem atos administrativos e normativos gozam de um de seus atributos fundamentais a imperatividade então as diretrizes Curriculares nacionais, sejam elas para a educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, educação básica, quilombola, caiçara, já profissional, educação, superior. Enfim, qualquer que seja a diretriz curricular nacional rosa do atributo da imperatividade típico dos atos administrativos e normativos. Por consequência, ela tem a força de uma lei. Ela não é uma lei, ela não é emanada pelo poder Legislativo, mas ela gosta da interatividade, tornando se com a gente, tornando se imperativa, tornando se obrigatória de ser cumprida. Então, na base, no alicerce da nossa casa, a norma de maioria e anarquia no nosso ordenamento jurídico, a falar sobre educação é a Constituição. As paredes e as colunas da casa são representadas pela web e o telhado. A norma de menor hierarquia jurídica são as diretrizes Curriculares Nacionais para a educação. Nós temos as diretrizes curriculares nacionais para o ensino fundamental. Nós temos as diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio. Nós temos as diretrizes curriculares nacionais para a educação básica e pensando na educação infantil, poderíamos dizer que temos também as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Convencionou se chamar as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, também de referencial curricular nacional para a educação infantil. Então, não há nenhuma impropriedade genericamente, falando em dizer que diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil, estamos aqui falando de maneira mais genérica são sinônimo, são praticamente a mesma coisa que os referenciais curriculares nacionais para a educação, a educação infantil. Então estamos aqui analisar um documento jurídico normativo que nos traz regras que são impositivas com agentes que devem ser obedecidas na educação infantil. Embora levem esse termo referencial, as normas devem ser seguidas essas diretrizes, Esse referencial referencial curricular nacional para a educação infantil é um documento composto de três volumes, três livros, três livros, o primeiro livro, A Introdução à Introdução à temática do que vem a ser, a educação infantil, o segundo livro, A formação pessoal e social e o terceiro livro é o de conhecimento de Mundo. Então, os referenciais curriculares, certa forma também são encarados como diretrizes curriculares. Como já dissemos antes, estamos aqui falando de uma forma genérica. Se você aprofundar no seu estudo, você vai perceber que há algumas diferenças sim, mas genericamente falando, os referenciais podem ser encarados como diretrizes e eles são divididos em três livros, a saber, a introdução à formação pessoal e social e o conhecimento, o conhecimento de mundo. Temos aqui já é uma excelente pergunta para fins de prova de concurso público, fazendo uma análise do que o próprio texto do referencial vai nos informar. Podemos dizer que ele é um documento, um conjunto de referências e orientações pedagógicas que visam a contribuir com a implantação ou implementação de práticas educativas de qualidade que possam promover e ampliar as condições necessárias para o exercício da cidadania das crianças brasileiras. Então, ele constitui um conjunto de regras de orientações, mas que aparentemente, quando a gente fala de orientação, a gente tem uma noção mais facultativa. Mas no fundo, elas são orientações certa, forma contingentes obrigatórias a serem seguidas, para que a gente possa formar o cidadão brasileiro, relembrando que esse referencial é composto de três livros o primeiro livro Introdução, o segundo livro da formação pessoal e social e o terceiro é o de conhecimento de Mundo. Então agora vamos estudar esses referenciais. Vamos em seu inteiro teor. Não, não há condições em um vídeo curso Se formos estudar o inteiro teor dos referenciais. Teremos um curso e com dez horas de duração e essa não é a proposta. Vamos aqui abordar nas aulas que se seguem e já nesta aula os principais tópicos que são cobrados em prova sobre estes referenciais. A saber uma pergunta muito típica, muito típica em prova de concurso que fale sobre os referenciais versa sobre hoje. Princípios Sim aqui. Princípios Quais são os princípios que vão nortear os referenciais curriculares nacionais para a educação infantil ou referencial? Como você preferir? Quais são os princípios? Nós temos aqui são cinco princípios o primeiro princípio, o princípio do respeito à dignidade da criança. O segundo, o princípio do direito das crianças a brincar em outro módulo módulo que a gente fala do brinquedo, da brincadeira e do jogo. Nós descobrimos que a brincadeira é um dos principais motes utilizados para o desenvolvimento do desenvolvimento social, o desenvolvimento cognitivo, o desenvolvimento afetivo e o desenvolvimento psicomotor da criança. Então, entre os princípios que vão nortear os referenciais curriculares, nós temos, em primeiro lugar, onde respeitar a dignidade da criança, o segundo, o direito e o respeito ao direito das crianças de brincar, porque através da brincadeira que a criança se desenvolve com o terceiro, a permissividade de dar acesso às crianças, os bens, os bens sócio culturais produzidos pela nossa população, pela nossa cultura, pela nossa sociedade, acesso aos bens sócio culturais, por nós, produzidos depois a socialização das crianças. E o último, o princípio é o princípio ligado atendimento aos cuidados essenciais da criança, porque todos nós sabemos com base no estudo das D