A maior rede de estudos do Brasil

AlfaCon Concursos Públicos - Concordância Verbalvideo play button

Transcrição


fala pessoas. Nos anos vocês professor não vê na área de número de conversar mais um pouquinho de língua portuguesa. E agora entramos a parte de concordância verbal muito bem. Concordância verbal, pessoas, concordância verbal é algo muito importante. Primeiro, se você não souber trabalhar segurança verbal, você terá problemas sérios de produção de texto. Ele terá problema sério também na leitura e compreensão das questões. Tão concordância verbal é um dos assuntos mais importantes para você. Você precisa estar ciente disso também. Muito bom. Então, para entender primeiro o processo geral de gorduras verbal concordância verbal nada mais é do que concordar o verbo na concordância verbal, pobreza verbal segurar o governo com o sujeito que se refere, então o Verdão vai procurar sempre com o núcleo do sujeito. Essa é a grande questão. Essa é a medicação. Então você precisa perceber que o verbo no singular está concordando com o núcleo do sujeito que está no singular. Verbo no plural. Porque eu vou estar concordando com o núcleo do sujeito que são natural. Isso quando eu tiver um sujeito simples, porque você vai ter a concordância verbal com o sujeito composto, Então vamos o seguinte volta para você as duas regras gerais sobre isso e depois vamos nos casos mais específicos. Nessa, mas ele trabalha bastante com a mescla entre quadro Island e depois exercícios no final. Beleza tranquilo, Então vamos lá. Como entender como funciona esse processo aqui total? Concordância verbal é a concordância entre verba entre verbo é o sujeito que se refere se a arte pode entender melhor. Ainda assim é o núcleo do sujeito. É um sujeito a que tem mais uma palavra. Vou procurar o núcleo. Concordo verbo com o núcleo daquele sujeito, porque as questões de concordância verbal as pessoas confundem tanto, porque muitas vezes a própria banca faz o que ela desloca, o sujeito para o final da oração. E aí fica difícil se aperceber quando qualquer sujeito, então você acaba não concordando verbo com o sujeito, porque você está deslocado. Então essas coisas acontecem muito em bancas, Têm ficar esperto porque a turma que pode fazer também beleza Então o sujeito que se refere o sujeito simples. A regra geral diz o seguinte não importa a posição do sujeito, ou seja, o sujeito pode estar antes do verbo ou depois governo. Quando o sujeito for simples, não importa a posição meu verbo sempre concorda em número com esse sujeito concordarem. Número é singular e plural beleza, como lembra ela, gênero masculino e feminino, número singular e plural. Tranquilo, então seu total de concordância verbal para sujeito simples, não importa a posição do meu sujeito simples antes do verbo ou depois do verbo. Eu sempre concorda o governo com o núcleo do sujeito maravilha, tranquilo, muito fácil, muito de boa. Agora para sujeito composto, a regra muda um pouquinho para os cento composto de o seguinte Quando o sujeito vier antes do verbo, quando o sujeito composto vier antece governo concorda sempre com o outro plural a concordância do verbo no plural ou se fala assim João e Maria foram ao parque João e Maria, sujeito composto antes Governo Maria foram a parte também estão sempre que o sujeito composto de ver antes o verbo concorda com o plural. Agora se era após o verbo. Então, se ele tiver após o verbo, a concordância muda um pouquinho. A concorrência é o seguinte eu posso concordar com o plural plural, sempre vai valer ou com o primeiro elemento do sujeito, então se escrevesse assim foram ao parque João e Maria Veja João Maria, aos dezoito, para depois governo foram ao Parque Santa Maria Não foram aqui, está no plural, concordando com o sujeito que é composto. Mas eu poderia concordar. Só com o primeiro elemento que é. João podia falar como foi ao Parque João e Maria, concordando só com João. Isso é a regra geral do sujeito composto. Veja essas duas ex prefeito Possa para você que as duas regras são regras gerais para sujeito simples e compostos. Obviamente, vai trazer assim peculiaridades das concordâncias daqui a pouquinho. Então, se o verbo se vier após, o verbo pode se concordar com o plural ou o primeiro elemento. Agora, se o primeiro elemento do meu sujeito composto fora um elemento, uma palavra que esteja no plural, aí obviamente não posso usar o verbo no plural. Tranquilo, a gente vai ver todos os exemplos com mais calma, tranquilidade. Agora nossos lagos vai com Sassá. Vamos eles por menores do que da concordância verbal. São algumas regrinhas. Não são difíceis para você gravar com muita calma, tranquilidade. Pega esse material e vamos lá. Olha só falta. A regra geral está dizendo para você como que disse. Como funciona o verbo deve concordar em número e pessoa com um sujeito que se refere à Ana Maria, produz bem casados para toda a região. Então Ana Maria, sujeito simples, está aí o segredo simples Ana Maria produz, concordando com Ana Maria, que é regular também. E aqui, nesse caso, ela. Então, Ana Maria produz o que é a terceira pessoa. Então, caso a pessoa tenha lembrar que essa também tem que acompanhar a beleza sujeito simples, a regra geral de esses independentemente se o sujeito estiver antes ou depois do verbo, a concordância, sempre com o núcleo do sujeito. Todas as crianças daquela Casa subiram no pé de manga porque subiram no plural porque o núcleo do sujeito é crianças. Então concorda com o núcleo que está no plural, maravilha. Foi exatamente o que eu falei para você agora? Olha outra. Subiram um pé de manga, todas as crianças daquela Casa tão plural que de novo continua sendo aqui crianças certo. Então, veja lá, mesmo com o sujeito simples deslocado esta, depois de o governo aqui. Mas o núcleo continua sendo crianças. Então subiram. Aí tudo certinho, maravilha, show de bola, sujeito composto, como diz para você. Agora, quando o centro estiver anteposto, houver ficará sempre no plural, não está lá. João e carros deslizaram na pista. Olha que beleza dançaram juntinhos. Então temos o núcleo número um. Fez a melhor sinucleína núcleo número um Meu Deus está difícil de um ano no meu senhor de novo. Vai agora vai sair do governo no primeiro dois dois núcleos sujeito composto antes do verbo, com um código rural. Agora tem alguns casos e que eu posso usar o verbo no singular, mesmo quando tiver um sujeito composto. E agora é importante. Você presta bem atenção. Então, olha para mim aqui, quando eu tiver as seguintes estruturas não tiver uma oração em que os meus dois sujeitos o melhor, meus dois núcleos de sujeito forem palavras sinônimas, eu posso usar tanto singular quanto plural. Então, angústia, desespero ou dominaram. Veja angústia e desespero desse contexto. Elas têm uma relação de sinônimo. Uma relação de sinonímia. Quando eu tenho isso, angustia e desespero ou dominaram ou ou dominou neste caso, quando no contexto, o núcleo do sujeito composto tem uma relação de sinônimo Pronto. Eu posso usar tanto singular quanto rural lá no meu verbo Beleza. Olha aqui para nossa tela agora pela alta no cruzeiro foram esses sinônimos a coragem, destemor ou envolveram a coragem, destemor ou envolveu, estão aqui no plural e aqui no singular, neste caso, o sujeito composto. Coragem, destemor, tem uma relação de sinônimo. Coragem, destemor são uma relação do sinônimo. Por isso que eu posso tantos ao celular, quando ao certo outro caso, que também posso fazer isso, olha só olha para mim de novo. Então, o que acontece? Outra situação, quando tenho um sujeito gradativo, gradativa, quando tem uma sequência de palavras que dão uma ideia de intensidade maior ou menor, quando faço essa gradação, essa sequência de palavras no meu sujeito, mesmo sujeito, sendo antes do verbo e aqui nesse caso é para isso para sujeito composto antes do verbo, mesmo quando tiveram resolver essa sequência de gradação, também pode ser tanto singular quanto plural. Olha o exemplo aqui está lá quando os números foram a numeração gradativa, certo. Aqui a angústia, a tentação, o desespero ou dominaram. E aí a regra geral funcionando ou angústia, a tentação, o desespero ou dominou. Então eu tenho uma ideia de gradação de aumento de i