A maior rede de estudos do Brasil

Aula 01 1 (2)video play button

Transcrição


s, você me custa praticamente dez mil reais Dobra. Mas numa empresa que tem quinhentos empregados mil empregados, que tem uma folha de pagamento de dois milhões de reais por mês, um milhão de reais por mês, só de encargos trabalhistas. Ela gasta vinte milhões de reais por ano. Seria um sonho pegar essa grana toda e botar o caixa da empresa como lucro. Mas o empregador se contrata você cinco tem que pagar. Décimo terceiro sobre cinco mil férias sobre cinco mil recolhe a Previdência sobre cinco mil, depois estava sobre cinco mil. Agora, com a reforma trabalhista e a mudança do quatro cinco sete para o segundo, eu acredito que isso vai mudar um pouco, porque o empregador vai contratar um engenheiro. A partir de agora, vai contratar por mil reais o professor mais por mil reais. Ninguém vai aceitar calma, o engenheiro vai ganhar os cinco mil dele. Só que no contrato de trabalho ele vai pagar mil reais de salário, quatro mil de ajuda de custo, mil de salário, quatro mil de diárias nem um reais de salário. Quatro mil de prêmios mil de salário quatro mil dia, Bolo. Porque ajuda de custo diária, abono prêmio. Nada disso. Agora tem natureza salarial. A tendência natural é que, a partir dos próximos anos, isso é uma transição lenta. Não é de uma hora para outra. O empregador vai contratar profissionais pagando os mesmos valores, porque esse é o valor que o próprio mercado se ajusta naturalmente. Só que ele vai pagar salário na carteira baixo e vai colocar um abono, uma ajuda de custo, uma diária ou vale refeição. Valores altos vai escolher as parcelas que não possuem natureza salarial, porque, apesar de você ganhar cinco mil reais, que é o que você quer, a carteira e para fins de recolhimento, só vai constar quando chega Natal o décimo terceiro, sobre mil férias, sobre mil recolhimento previdenciário sobre mil depósitos de vegetais sobre mil professor, Mas o empregado desta forma não vai aceitar. Vai ser qualquer pessoa. Temos um país com treze milhões de desempregados, o contrato de trabalho, um contrato de adesão. Você acha que em sua grande maioria, o trabalhador está em condições de discutir cláusulas contratuais? Estou oferecendo um contrato de trabalho para ele, do valor que ele quer. Receber cinco mil reais a curto prazo, atende as necessidades dele. É suficiente para pagar a escola dos filhos, o aluguel, a prestação do carro? Você acho que ele vai se recusar. Não vai à verdade que o próprio mercado vai se ajustar. Isso vai ser natural sobre por que porque, com o passar dos anos, a empresa concorrente vai estar fazendo a mesma coisa, porque na medida que eu empresa faço isso, eu fortaleço meu caixa, eu tenho condições de oferecer um preço mais baixo, porque eu pego a lucratividade. Agora, por outro lado, se a empresa B também não fizer isso, ela não se torna competitiva. Então, a tendência natural é que nos próximos anos nós temos como regra geral um salário baixo e gratificações previstas no quatro cinco sete, parágrafo segundo e valores altos, fazendo com que o empregador não tenha que recolher encargos ou pelo menos recolher sobre o mínimo possível. Isso vai trazer uma grande consequência também, que a arrecadação da Previdência Social, o INSS já tem um grande problema de déficit. Tende a piorar, porque o que nós vamos ver a médio e longo prazo é que o recolhimento vai cair de mais porque as empresas que até então recolheram sua folha de pagamento sobre cinquenta cem mil reais, agora vão recolher sobre dez mil reais mensais, Pois eu tenho dez empregados que ganham cinco mil só que, na verdade, natureza salarial, só mil. Os outros quatro mil são verbas que não possuem natureza salarial, por exemplo, Eu sei que eu não consigo contratar um engenheiro por menos cinco mil combinam com ele. Olha, eu vou pagar nenhum. E cada vez que você for viajar para visitar uma obra e você precisa fazer isso o tempo inteiro, porque essa função para a qual todos contratando, você ganha mais quinhentos reais. Se você fizer oito viagens por mês, já é suficiente para dar mais quatro mil reais. Compôs os cinco mil que nós combinamos e depois, quando chega o Natal, é só sobre mil reais. Você, Bragança Décimo Terceiro, Porque a letra da lei prevê expressamente que diárias não possuem natureza salarial e não impõe limites para esse valor. Não diárias não posso. Na pré história, acompanha comigo as importâncias, ainda que habituais, pagas a título de ajuda de custo ou se a alimentação de áreas para a viagem deixou botar o marca Texto aqui para ficar bem fácil de você enxergar sobre aqui, diárias, para a viagem. Não possui natureza salarial, ou seja, vamos fazer uma conta. Que pessoal ficou fácil, você ganha o que é o que eu queria. Agora eu volto para minha caneta. Você ganha mil, identificou que quero voltar para a caneta vermelha, que assim fica mais fácil. Você ganha mil reais, mais quatro mil reais de diárias. O valor total é cinco mil reais, que é o que você vai levar. Só que todos os recolhimentos serão feitos sobre mil reais. Na medida que esses quatro mil reais estão no parágrafo segundo do artigo quatro cinco sete. Na verdade, o parágrafo segundo do artigo quatro cinco sete vai ser uma ferramenta, um aliado do empresário para que você consiga uma redução dos encargos trabalhistas. A questão do pagamento do salário por fora é uma questão tradicional e muito comum na Justiça do Trabalho. Não é a primeira nem a última vez que você ouviu falar sobre isso. Empresas contratam empregados, botão na carteira de trabalho, o valor baixo e entregam o dinheiro por fora. Isso é clássico, É famoso e tradicional na Justiça. O objetivo disso é fazer com que o empregador não tem que recolher encargos sobre o valor alto e aí recolhem encargos somente pelo valor que constava na carteira de trabalho. A partir de agora, o empregador não vai precisar cometer ilegalidade nenhuma. Ele não vai precisar pagar salário por fora porque ele vai ter dentro do quatro cinco sete Parágrafo segundo inúmeras possibilidades em que ele consegue fornecer dinheiro para o empregado sem que aquilo tenha natureza salarial. Está então muita atenção. Aí nós temos diversas hipóteses que você tem que declarar. Primeira que eu fico. Vocês é diária para viagem à outra, que nós vamos analisar. Olha só até lá ajuda de custo pessoal de Natal. O meu marca, texto aqui de novo ajuda de custo não tem natureza salarial. Se o empregador fornecer qualquer valor a título de ajuda de custo, isso não vai integrar o seu salário. A próxima que você tem que ficar atento, o auxílio, a alimentação havia dado seu pagamento em dinheiro. O empregador. Com isso, ele coloca por terra a antiga sumula dois quatro A Súmula dois quatro um expressamente determinava que o vale alimentação, o auxílio alimentação. Ele tinha natureza salarial que o empregador não era obrigado a fornecer. Se ele fornece, tem natureza, salário, salvo para as empresas que estavam escritas no pátio. Agora pessoal serão preços atuais Que tropa. Se um trabalhador ganha dois mil reais de salário e a empresa quer pagar quinhentos reais de vale alimentação, aqueles quinhentos reais vale alimentação, não tem natureza salarial, mas isso ele já coloca na conta desde a sua admissão. Ele pensa Eu tenho que contratar um advogado por menos de dois mil e quinhentos reais. Não consigo um bom advogado. Eu vou anunciar dois mil e quinhentos de salário. Só que se eu tiver dois mil e quinhentos reais de salário, fica muito encargo trabalhista. Vamos ver o seguinte eu vou pagar dois mil de salário, quinhentos e vale refeição para o empregado. Não tem diferença porque ele tem que gastar com um supermercado de qualquer jeito. Pelo menos quinhentos reais ele é gastar de mercado, estão aqueles que não queria gastar de mercado. Ele já gasta com o vale recebido. Ele teria que almoçar todos os dias, então ele consegue fornecer um poder aquisitivo esperado de dois mil e quinhentos reais, recolhendo em cargos apenas sobre dois mil, já que quinhentos ele deu a título de vale alimentação, o que provavelmente vai acontecer. Meu amigo é que desses dois mil e quinhentos reais quinhentos e ele vai