A maior rede de estudos do Brasil

Comportas: Estática dos fluidos em Corpos Submersos - Mecânica dos Fluidosvideo play button

Transcrição


fala mais amiga dos amigos. Tudo bem com vocês. Então vão voltar aqui para o estudo da mecânica dos fluidos. Onde nós vamos estudar o conceito de comportas, que é uma parte da estática, dos fluidos naquelas situações ódio foi dele, vai se encontrar parado. E eles são questões que a gente encontra. Em muitas e muitos livros, muitas provas, é tanto de concurso, de diversas aplicações. Então por isso é um conceito muito legal que eu queria mostrar para vocês. Eu queria convidar vocês também para quem tiver adulta e está tendo dúvida na faculdade ser algum problema. Eu vou deixar meu whatsapp que na descrição do vídeo, quem quiser mandar mensagem combinando alguma ouvido, muitas aulas particulares, resolução de exercícios para ajudar, Então quem quiser pode não estar em um desafio. Me chama lá que isso com todo mundo, beleza, então vamos lá. Então a ideia do conceito de comportas, ela é bem simples. Então, quais são os pontos mais importantes que nós? Vamos ter aqui nesse estudo? Então vão entender o que seria uma comporta, Então a completa. Na verdade, ela não é necessariamente uma porta, ela é uma estrutura, é uma estrutura que a gente eu posso mostra ela dessa forma aqui e ela vai estar onde uma situação em que ela tem um tamanho definido, um tamanho que vai ser importante no estudo da pressão das forças estão sendo aplicadas nela porque antes, em outros tipos de questão a gente estava interessado em estudar o valor da pressão e da força em um único ponto. Então, por exemplo, esse pontinho aqui, se a gente quisesse, calcula o valor da pressão, a gente só utilizava essa equação aqui. Quero a pressão atmosférica, mas a densidade do fluido em que ele vai estar envolvido aqui vez a gravidade vezes a altura dele da superfície até esse ponto, só que agora nós temos o que ele chama de comporta, que é uma estrutura que ela tem um tamanho significativo, por exemplo, entre dois metros e para a gente fazer uma análise de todas as forças que estão acontecendo aqui, requer equações e métodos um pouquinho mais complexos, porque a gente vai ter a pressão aqui variando de ponto a ponto. Então a pressão nesse ponto aqui ela vai ser diferente da pressão desse ponto com a gente sabe a pressão, ela vai aumentando devido a profundidade. Então, por isso que a gente está vendo aqui, que a linha de valor da pressão ela vai aumentando. Então nesse ponto, aqui ela tem esse valor de pressão, que seria mais ou menos o valor da pressão atmosférica. Mas à altura dessa coluna de água da superfície até aqui. Aí nós vemos que ela vai aumentando linearmente a medida que nós vamos afundando mais no nosso escoamento aqui. E tem diversos paramos que nós vamos estudar aqui dentro. Nós podemos dizer que nós vamos estudar todas as profundidades, Então nós vamos ter uma profundidade que vertical se a gente fizer uma linha vertical, tanto da superfície, que até algum ponto, então nós vamos falar que seria uma altura e também nós podemos utilizar uma nomenclatura de distância que segue a inclinação aqui da Comportam. Se comportava inclinada em um ângulo teta, a gente pode chamar que a distância e pressão da superfície até qualquer outro ponto que a gente pode chamar de Ibson e a gente vai utilizar muito isso. Então, por isso é bom a gente ficar esperto nisso. Então, o Inter não seria a distância aqui da superfície, até determinado ponto, só que seguindo a inclinação dela que está diferente da altura Esta então, outra coisa que nós vamos estudar, que também muitas vezes essa comporta que ela não é necessariamente de uma forma de forma retangular, ela pode ser de forma circular, foram triangular, ou como a gente está vendo aqui. Ela pode ter uma geometria completamente diferentes do que a gente conhece. E por isso que a gente vai ter que tem estudos para conhecer o que o centro de gravidade, aonde vai ter aquele centro de março sem gravidade da peça, não necessariamente no meio dela como sendo mostrado aqui. Ela pode ser em qualquer outro ponto, vai depender muito a geometria dela. E também nós vamos ter que determinar o ponto de aplicação da força resultante devido a essa pressão, vão entender por quê, Então, essa pressão aqui ela vai aumentando da superfície, mas mais perto do ponto mais perto da superfície, até o ponto mais longe da superfície. Só que então o vale a força resultante para a gente fazer um estudo bem bem certinho. Entendendo as forças entendendo todo o equilíbrio dela, a gente teria que transformar essa força distribuída que que seria a pressão em uma única pressão para a gente conseguir fazer um estudo E qual seria o valor dessa força resultante? Depois eu vou falar com mais detalhes para você, mas seria o valor da pressão, da pressão média que a gente chama de pressão média que a gente fala aqui, que seria a pressão. Está sendo aplicada, uma pressão média está sendo aplicado dentro da escola, por vezes a área dessa seção transversal aqui, da superfície que nós temos aqui. Só que essa força ela não necessariamente está aplicada no centro da peça, pode estar ou não, Nós vamos ter o que a gente chama que de de Ibson, CPI do ponto CPI que seria o ponto de aplicação dessa força imaginária que resultante está sendo aplicado aqui, Então por isso que é muito importante também. Então o que a gente fala que como falei para vocês essa altura agora é altura vertical da superfície, até o centro de gravidade está, então a gente chama de Asperger Kg. Seria então a altura da superfície até o centro de gravidade da peça verticalmente está seguindo uma linha perpendicular daqui até aqui. Então esse seria, então vão dar uma olhada em um exemplo aqui para mostrar para vocês entenderem mais ou menos, como que imagina que a gente tem uma comporta aqui, que ela é retangular, Então a concorda retangular. O centro de gravidade dela está exatamente no centro da peça, então o centro de gravidade. Porque porque a estrutura retangular ela é simétrica, então o centro de gravidade dela vai estar exatamente no centro. Então por isso que a gente pode falar com o centro de gravidade dela em relação à superfície sobre dois, falando que ela tem uma altura aqui então a altura do ponto. Aqui ela vai ser a mesma altura do centro de gravidade até o ponto B, porque ela divide sete em uma peça em uma altura e se a gente quiser calcular esse lembrando, a CCJ é a altura da superfície até o centro de gravidade. Como a gente viu o centro de gravidade do ponto, seja até o ponto, vale agarrar sobre dois. Então quanto que vai ser o ABC sabendo que a altura da superfície até o pontua, então o vai ser o mais vagas sobre dois. Então vai ser três sobre dois só para a gente entender o que seria, para ficar alinhado aqui com todos os conceitos, Então vamos seguir falando aqui sobre como que a gente poderia determinar, chegasse, age para diversos tipos de superfície. Então nós temos aqui diversos tipos de geometria, se comporta como a gente falou aqui a comporta retangular, ela vai ter o centro de gravidade dela aplicada bem no centro da peça. Então ela vai dividir seu jeitinho verticalmente horizontalmente a peça em duas. Então se a altura dela, que é a distância da superfície, até o centro de gravidade receber sobre dois e do centro de gravidade, até a superfície de baixo vai ser sobre dois a mesma coisa que horizontalmente. Dividindo a peça tinha sobre dois. Então, como a gente calcula a área seria o a vez do bem que a área de um retângulo normal a mesma coisa acontece aqui. Quando nós temos um cigano, não sigo por cento de gravidade. Vai estar exatamente no centro desse circo. Por isso que o centro esses virgula aqui. Não sei a gravidade vai ser o raio é, ela vai dividir igualmente. Aqui também está na elipse. A mesma coisa também está, então vai ser bem no centro. Agora, entre ambos, isso que é um pouquinho diferente estão para que o centro de gravidade ele vai ter. Digamos que essa altura que dessa desse ponto até essa base, ela até uma altura então desse ponto aqui até o centro de verdade vai ser dois b sobre três, o resto vai ser bem sobre três, isso em qualquer teriam.