A maior rede de estudos do Brasil

01 02 OS JUROSplay_circle_filled

Transcrição


Olá, Pessoal! Que quem fala muito de Camargo, ou seja, bem vindo a primeira aula de fato do nosso curso de matemática financeira, nós vamos começar pelos conceitos fundamentais e o primeiro deles é o juros. O que vem serão os juros. Vai utilizar que a letra Jota para representar os juros vamos lá? Como é que a gente pode entender os juros, os juros? A gente pode entender a de duas formas a primeira como despesa. Então, quando a gente pega o dinheiro pessoal então a gente vai comentar a diferença entre pegar emprestado, emprestar dinheiro e como receita, quando assim empresta dinheiro. Então, quando você compra um tesouro, um é o título do Tesouro direto do governo. O que você está fazendo? Na verdade, emprestar dinheiro com o governo, o governo paga uma espécie de um aluguel. A gente pode entender como se fosse um aluguel do dinheiro. Então, se você compra um título público do governo elite remunera, hoje seja eles pagam aluguel para que você interessa? Jeffrey Ninguém vai querer então, inclusive o que está acontecendo hoje, vinte. A taxa de juro está tão baixa que não está valendo mais a pena você ficar investir todo seu dinheiro guardado assim, investindo no tesouro direto, falar poupança, nem se fala da poupança. Prejuízo mesmo quando contado a inflação, você está colocando dinheiro na poupança. Estão perdendo dinheiro. Na verdade então agora quando você empresta, toma emprestado dinheiro. Então tem diferença entre tomarem presta lado. Prestar do ponto de vista financeiro do vulgarmente, digamos assim, no nosso dia, a gente falar, emprestem dinheiro do banco. Mas o certo é eu tomem dinheiro emprestado do ponto de vista conceitual da matemática financeira, herdada da análise financeira. Então, quando você pega dinheiro emprestado, você vai ter que pagar um aluguel. Então os juros, que digamos que você faça um empréstimo a dez porcento reais a dez por cento, você vai ter que pagar de juros. Então, esse dinheiro aqui é o que os juros, que é, como se fosse o aluguel do dinheiro. Então, se envolveu a pessoa que emprestou dinheiro. Essa é uma pessoa física, seja o banco, ou seja, lá onde você pessoa dinheiro de ontem contra ele, ele te peço dinheiro querendo a, obviamente, ser remunerada. Mistura, então, a remuneração que a pessoa recebe por conta de emprestar o dinheiro, os juros. Então, assim a gente vê o jogo como uma coisa negativa, mas na verdade, quando eu tenho dinheiro impresso, dinheiro para você, eu estou deixando de usufruir daquele dinheiro e ter para você usufrui da via Então quando você é quando a gente faz isso, é a mesma coisa de uma casa. Se você mora, se fosse até a sua casa, ainda repete. Você resolve se mudar para outro lugar, ou seja, com uma outra casa, por exemplo. E aí você vai deixar alguém morar nessa casa. Para isso, você muitas vezes trabalhou bastante do ouro tal para comprar aquela casa. Você não é simplesmente emprestar casa, você vai é alugar a casa em troca de uma pessoa que vai morar lá. Não vai te pagar, vai te remunerar para você e prestar entre as para casa. Para ela não seria mais ou menos isso? A conotação, a conotação dos juros dentro da matemática financeira, ela é uma remuneração para quem presta. É uma para quem interessa o dinheiro e é uma despesa para quem toma emprestado. Então, toda vez que a gente fala em presta, significa que eu falo eu empresto, Eu estou dizendo que eu estou pegando o meu dinheiro. Estou emprestando para alguém, quando eu falo comentou o meia emprestado, que eu tinha de alguém e trouxe esse dinheiro para mim. Em matemática, financeira, quando ele se refere ao dinheiro, a gente se refere esse dinheiro aqui seria o capital. Então, o termo capital, ele é usado para se referir ao dinheiro inicial, tão, digamos também no banco, e pede mil reais emprestado do banco. Então esse mil reais que o banco tinha presta é chamado capital e depois você vai, vai ter algo, os juros que você tem que pagar, aí a gente também vai calcular, atende a calcular como como eu quero prestar. É um mil reais, por exemplo, a uma taxa de juros de três porcento ao mês. Como eu calculo a prestação que tem que pagar isso, a gente vai estudar também no capítulo de sérios que a gente já comentou no vídeo anterior, não de apresentação. Então o conceito formal. Agora, o que eu falei até então eu falei na maneira para o passo entender o conceito formal dentro da matemática financeira. Os juros, ele é o pagamento ou o recebimento não depende de quem prestou. Toma emprestado pelo uso de um valor da quinta à tarde o ataque total baixo. Aqui está escrito o valor da música daqui, o uso de um valor, de um valor monetário por um determinado período de tempo. Então se ofereceu dinheiro. Eu tenho que pagar o que seria o caso bem agora, bem, um exemplo bem típico, mesmo da casa. Enquanto você estiver morando na casa, que não é sua, você tem que pagar a outra pessoa, a dona da casa, um aluguel. Então, por um período que eu e o pode fazer um contrato de aluguel de doze meses de vinte e quatro meses, e assim por diante, isso vai ser também o prazo do empréstimo do falar em prazos, para que alguma coisa mais comum, digamos assim, a gente fazer pode ser entendido também como sendo o custo, o custo do crédito ou a remuneração do capital aplicado. Então, seja para uma empresa, se for pensar agora, saíram do âmbito da da pessoa física e parte para a pessoa jurídica. Quando uma empresa ela decide fazer um determinado investimento com base no empréstimo, no BNDES, no próprio banco que ela tem conta, estará. Como disse, ela tem um costura, esse valor que vai ser pago juros, ele então típica do ponto de vista contábil, como custo para a empresa que aqui fez, o tomou esse dinheiro emprestado. E se ela também aplica esse dinheiro em aplicações financeiras, ela também recebe uma remuneração também típico também o mesmo esquema do aluguel. E como eu disse, não existe diferença entre prestar e tomar emprestado. Empresta quem presta quem é o dono do dinheiro e o tomar, emprestada. Quem recebeu dinheiro para poder pagar o aluguel. Pagar os juros, então emprestaria o ato, não falando agora também o conceito formal é o ato de fornecer capital a outra pessoa, pode ser pessoa jurídica, pode ser uma pessoa física normalmente, em troca de receber o aluguel de ouro em forma. Normalmente, essa é uma situação que você vai no banco ou numa financeira. Esse banco vai só vai te emprestar dinheiro nessas condições. Até agora, estranhamente a pandemia, aqui você tem algo. A gente vê algumas ações de algumas instituições estão em questão. Dinheiro com juros, bem baixinho, para amigo, microempreendedor, para empresas pequenas, para minha pessoa não está sem faturamento e tudo mais para não foi apagada, ela se reagir durante esse período aí. Então isso é mais um caso. Houve até anunciou no certa que contabilidade isso que seria com os juros zeros vice dias na TV eu não sei até que ponto isso é verdade, mas de um modo geral é feito em troca de dinheiro, mas, por exemplo, sem prazo dinheiro próprio, parente com o irmão como irmã, o cunhado dela Muitas vezes a gente, do ponto de vista pessoal, a gente peça dinheiro para outra pessoa sem ela pagar juros para a gente, a gente faz essa concessão, digamos assim. Mais normalmente nós provemos nos situações formais o o empréstimo ou tomar emprestado. Ele é feito mediante a Europa ou não, Quem presta quer receber esse aluguel que seriam juros, Quem, então emprestado, vai ter que pagar o dinheiro que ela, que é aquela emprestou e também vai pagar o aluguel do dinheiro vai pagar esse custo, que seria não os seguros que ela vai estar pagando enquanto ela não está. Vamos assim, o financiamento, empréstimo que ela fez então a quitar os nossos contatos. Se você tiver alguma dúvida, pode mandar para a gente, via WhatsApp. Mas a pessoa ao próximo e a gente se vê na próxima