A maior rede de estudos do Brasil

Guerra do Paraguai, Crise no Império e Proclamação da República | História do Brasilvideo play button

Transcrição


fala da beleza Estamos aqui para mais uma aula aula, vinte e sete de história. Na aula passada, eu falei que a gente já viu alguns outros acontecimentos do segundo Reinado e como isso vai se desdobrar para o fim do Império. Então é isso que vai falar hoje à Guerra do Paraguai. A crise no Inter informação da República, bora lá nesta Nesse momento da história, nós estamos vivendo o que o império ele vai entrar em crise mais antes dessa crise. Tem um grande conflito que já bem um esporte lorenzino fraudava passada, que foi a guerra do Paraguai que aconteceu de muitos anos sessenta e quatro mil oitocentos e setenta. Este evento Esta guerra era marcada pelo que lembra que eu falei que o Brasil estava fazendo intervenções no Uruguai, na segunda intervenção. Quem estava ali tentando tomar a política uruguaia paraguaia através do líder Solano Lopes, quando ele começa a ver que o Brasil tem Lula para falar assim vaza Solano Lopes Ele fica muito brabo, fica muito revoltado, e ele vai começar a se incomodar com o Brasil. O Solar Lopes, que era o líder paraguaio, ele de interesses expansionistas na América, na região do prata na região do Prata. Então ali que vai começar a tensionar o conflito, quando o Brasil da intervir no Uruguai e o Paraguai estava tentando intervir e aí, unidas um Lopes revoltado com essa intervenção, ele vai pedir para um novo brasileiro ser sequestrada e vai sequestrar navio brasileiro. E também vai invadir o Mato Grosso, lembrando que essa época é o Mato Grosso. Mato Grosso solta não era uma província No Mato Grosso não havia Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, os dois estados. Beleza era a província do Mato Grosso. É um pouquinho diferente as delimitações territoriais, que acontece maneira, mais Mato Grosso. O Brasil tinha conseguido intervir no Uruguai, e o Uruguai já estava mais para o Brasil, digamos assim. E aí vai ter uma junção de três países para lutar contra Porque o primeiro que vai pedir autorização para passar pelo território argentino, para invadir outras partes e a gente não falar não. Então, ele já vai declarar guerra à Argentina. Não vejam só o Paraguai está contra o Brasil, está contra a Argentina e está contra também o Uruguai. Esses três se reúnem e formam a Tríplice Aliança Brasil, Argentina e Uruguai contra o Paraguai. E aí vocês vão pensando nossa previsão? Ninguém injusto pagar não vai tomar o corpo de um homem de ferro os números? Olha, só que vocês dá para ver bem melhores Entre homens estão vejam os homens. O Brasil tinha dezoito mil homens. A gente já tinha oito mil homens e Uruguai, já três mil homens, nossas tropas estavam muito enfraquecidas. Ninguém estava pronto. Uma guerra dessa. No total, somando os três países da vinte e nove mil homens, enquanto o Paraguai tinha sessenta mil homens nas suas Forças Armadas, seu exército, o Brasil só era branco na Marinha. De resto, a gente estava muito fraco para começar esse conflito, professor como a gente reverter essa história, chegou a vitória através dos voluntários da Pátria, pessoas que vão entrar no Exército. Quando o Brasil, quando no Segundo Reinado, é feita uma grande campanha de pessoas que queriam se voluntariar ao exército, muitas pessoas escravizadas, muitos indígenas que estavam ali sem perspectiva, né? E também alguns senhores que o filho foi mandado para a guerra a favor enviar alguns algumas pessoas escravizadas que eu tenho aqui para ir para esse conflito, vão acabar indo para esse combate. Então, cara para mandar o filho dele não Cachoeira grande e a mandar pessoas escravizadas por ele para esse combate, então nosso nossas forças vão ser de dezoito mil homens para cento e trinta e nove mil combatentes. O Brasil é o único. Conseguiu pôr em dia assim as suas forças. O Paraguai durante conflito, vai expandir para dispomos também. Chegou no máximo noventa mil homens, enquanto nós chegamos a cento e trinta e nove mil só no Brasil grande todo mundo correu para expandir suas forças. O conflito durou alguns anos e oitocentos e setenta nós vamos ter o som. Lopes já desgastado, fala O conflito vai rolando, a gente vai criar várias estratégias, vai tentar fazer um recuo aguardando as invasões paraguaia, para depois em cima deles para cima deles. E aí vence. Nós vamos em mil nove cem mil e oitocentos e oitenta em oitocentos e setenta. Solano Ambos é cercado no batalhão de ser decorar e morto outras batalhas importantes Amapá do duelo Uma batalha da Marinha Brasileira tem bastante destaque nesse conflito e a Batalha do Tuiuti ao arrebatar a Sul Americana da História Sul Americana aconteceu na Guerra do Paraguai. Então, foi uma guerra muito intensa que durou muito tempo e ela teve consequências O Paraguai, ele vai sair desse conflito quebrado mais de duzentos e setenta mil mortos. Pensem nisso pessoal. Duzentos e setenta mil mortos no início eles são sessenta mil combatentes. Não tinha homens no Paraguai. Os homens morreram literalmente, não tinha, não tira pessoas para manter as gerações, aumentar a ampliar a população paraguaia. Então o Paraguai vai ser totalmente quebrado dessa guerra e até hoje existem consequência do Paraguai. Desse conflito o Brasil perdeu entre cinquenta e cem mil homens. Argentina dezoito mil e Uruguai, três vírgula, um mil pessoas, professor feito. Um combatente morreu? Não. Aqui a gente está entrando. A população também, que morreu por consequência da guerra, por forma e beleza. São pessoas mortas em decorrência do conflito. São gerações de problemas, principalmente para o Paraguai e no Brasil. Uma grande consequência desse conflito que vai ter um ponto da crise interna que a gente chama de questão militar. E aí? Não vou apagar essa rosa que vão trazer essas novas informações para vocês já já! Daqui a pouquinho gente fala colibris, beleza, voltei para parecer que começava de novo. Na verdade, estava paga na lousa. Só começa de novo. Voltei para a gente seguir falando sobre essa crise no Império. Então, essa guerra do Paraguai trouxe algumas tensões. A gente vai ter muitos fatores, esse final do Império. Na verdade, o Brasil estava muito desigual nesse período. Em oitocentos e cinquenta, vem além de terras que deixa o Brasil ainda mais entregue na mão dos latifundiários, que vão poder comprar terras dos estados, do Estado até as terras devolutas. Então, cada vez mais força da classe latifundiária, cada vez mais opressão das classes mais baixas das pessoas, escravizadas. Então o Brasil vivia nessas inconstâncias todas. E aí a gente vai ter um fator os fatores finais de crise do Império Império. Ele vem entrando em crise da água, foi se intensificando, se intensificando e, a partir da guerra do Paraguai que a gente viu agora a pouco, vão provocar outros fatores. E aí essa crise vai estourar mesmo na cara de Dom Pedro, segundo Imperador, na cara do Império Brasileiro. E o Império vai ser dissolvido, digamos assim. Quais são os três fatores essenciais para vocês entenderem a crise do império, fator social? Nós tínhamos aqui no Brasil escravidão que a coisa não só ultrapassado no sentido humano porque no sentido humano não é uma questão de ser ultrapassado uma questão de ser bizarro, mas no sentido econômico também era ultrapassado. Então, a Inglaterra, que já vinha pressionando o Brasil, fez a Biolab, proibiu a escravidão no mar? O Brasil fez a lei Eusébio de Queiroz mil e oitocentos e cinquenta aquela lei, a lei para inglês ver para fingir que estava querendo acabar com a escravidão também para tudo. Miguel Pedido, que fala nada mais desde o primeiro reinado de D. Pedro, primeiro era anti escravagista. Mentira Quem dera fosse aquela tudo uma grande, um grande pano. E os ingleses pressionavam o Brasil porque falava que a gente precisava ter mão de obra para consumir o mercado consumidor. Então, pessoas que recebessem assalariadas para consumir os produtos e fazer a economia brasileira se torna uma economia capitalista. Uma economia que girava então era às nossas inglês. Eram bonzinhos, porque o Brasil estava atrasado. Uma questão humana é óbvio. Não somos um dos últimos países a abolir a escravidão no mundo e na questão também econômic