UNIDADE 4 - PARTE 1
24 pág.

UNIDADE 4 - PARTE 1


DisciplinaModelagem de Dados3.278 materiais41.021 seguidores
Pré-visualização4 páginas
MODELAGEM DE DADOS 
 
 
 
 
 
 
UNIDADE 4 
 
Modelo Lógico Relacional 
 
(PARTE 1) 
 
 
 
 
 
 
PROFA. GELLARS TAVARES 
 
gellarstavares@yahoo.com.br 
 
 
 
 
 
2012 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
2
 
 
TÓPICOS 
 
 Introdução 
 
 Conceitos Básicos ( tabelas, atributos, campos, tuplas); 
 
 Integridade Referencial; 
 
 Chaves Candidata, Chave Primária e Chave Estrangeira. 
 
 
REFERÊNCIAS 
 
"HEUSER, C. Projeto de Banco de Dados. Editora Artmed, 6ª Ed., 2009, Série 
de Livros Didáticos, número 4. 
 
"SILBERSCHATZ, A., e KORTH, S. e SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de 
Dados, 5a edição, Editora Campus, 2006. 
 
"ELMASRI, R.; NAVATHE, S., Sistemas de Banco de Dados. Pearson Education 
do Brasil, 6ª. Ed. 2011. 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO 
 
 
\u2022 Abordagem de modelagem de dados usada nos SGBD do tipo relacional. 
\u2022 Foi definido em 1970 por Edgar Frank Codd na IBM. 
 \u2013 Os primeiros sistemas relacionas são de 1977-78. 
 \u2013 Sua aceitação comercial ocorreu em meados de 1980 (±1987). 
\u2022 Principais razões para sua grande aceitação: 
 \u2013 Simplicidade: Fundamentado na teoria dos conjuntos. 
 \u2013 Expressividade/formalismo: Operadores baseados na álgebra relacional. 
 
 Principal conceito vem da teoria de conjuntos (álgebra relacional), combinado com a idéia 
que não é relevante ao usuário saber onde os dados estão nem como os dados estão. O usuário, para 
lidar com estes objetos, conta com um conjunto de operadores e funções de alto nível, constantes na 
álgebra relacional. 
 
 
 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
3
 
Modelo relacional lógico: 
 
Ö Segundo nível na arquitetura de três esquemas. 
Ö Requer que todos os dados estejam em tabelas ou relacionamentos. 
Ö Interliga tabelas utilizando \u201cchaves primárias\u201d. 
 
 
Vantagens da abordagem relacional: 
 
Ö Independência total dos dados. 
Ö Visão múltipla dos dados. 
Ö Redução acentuada na atividade de desenvolvimento de aplicações e o tempo gasto 
em manutenção. 
Ö Melhoria na segurança dos dados. 
Ö Maior agilidade na questão gerencial da informação ligada ao processo decisório da 
organização. 
 
 
Características do Modelo Relacional 
 
 1- Uma tabela é acessível por qualquer campo (atributo) independente se este é declarado 
 como chave ou não; 
 2- O relacionamento entre conjunto de dados (tabelas) não existe fisicamente, pois este 
 relacionamento é apenas lógico e representado através das chaves estrangeiras; 
 3- Utilização de linguagens auto-contidas e não procedurais; 
 4- Os ambientes relacionais possuem um otimizador estratégico para escolher o melhor 
 caminho para recuperação dos dados. 
 
 
Definição Matemática de Relação 
 
Ö Sejam conjuntos, não necessariamente disjuntos D1, D2, ..., Dn de valores atômicos. 
Ö R é uma relação sobre estes conjuntos (domínios de R), se e somente se R é um conjunto de 
n-uplas (tuplas) ordenadas <d1, d2, ... , dn> de tal que para i=1,2,...,n di pertence a Di. 
 
z Conseqüências da definição matemática 
 
Ö Relação é um conjunto: 
ƒ Não ordenação de Tuplas 
ƒ A mesma Tupla não aparece duas vezes 
 
Ö Definição é teórica 
ƒ Não é conveniente se referenciar aos elementos de uma tupla através de sua 
posição. 
ƒ Melhor é usar nomes (nome dos atributos ou nomes das colunas). 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
4
 
DEFINIÇÕES: 
 
· Relação = Tabela bi-dimensional, composta de linhas e colunas de dados. 
· Relação recursiva = relaciona o objeto a si mesmo. 
· Atributo = Coluna. 
· Grau de uma relação = Número de atributos. 
· Tupla = Cada linha da relação. 
· Domínio de um atributo = Conjunto ao qual pertencem os valores de um atributo. 
· Valor nulo de um atributo de uma tupla = Atributo inaplicável ou com valor desconhecido. 
· Esquema de Banco de Dados Relacional = Nomes das relações seguidos pelos nomes dos 
atributos, com os atributos chaves sublinhados e com as chaves estrangeiras identificadas. 
 
 
 
z O Diagrama ER é a mais alta representação conceitual dos dados de uma organização. 
Ö ER é uma representação independente de como o banco de dados está implementado. 
Ö Pode suportar banco de dados relacional, hierárquico, rede ou orientado a objetos. 
 
z Banco de Dados Relacional é composto de: 
Ö Tabelas que se compõe de atributos. 
Ö Uma tabela é também chamada de relação. 
Ö As instâncias da tabela ou relação são chamadas de tupla. 
Ö Em um banco de dados relacional as tuplas não podem ser repetidas. (Ou seja, não 
são permitidas tuplas iguais). 
 
Î Uma forma de garantir a unicidade das tuplas é estabelecer a chave de cada tabela. 
 
\u2022 O modelo relacional é um modelo lógico, onde os dados são representados por relações. 
 
\u2022 Neste modelo, um banco de dados é visto como um conjunto de relações. 
 
\u2022 Os dados em uma relação representam fatos reais a respeito de uma entidade ou de um 
relacionamento do mundo real. 
 
 
PRINCÍPIO BÁSICO: 
 
\u2013 \u201cAs informações em uma base de dados podem ser consideradas como relações matemáticas e 
estão representadas de maneira uniforme, através do uso de TABELAS\u201d. 
 
 
DEFINIÇÃO CLÁSSICA: 
 
\u2013 \u201cSão conjuntos de dados vistos segundo um conjunto de TABELAS e as operações sobre elas 
(tabelas) são feitas por linguagens que manipulam a álgebra relacional, manipulando conjuntos de 
uma só vez\u201d. 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
5
 
ESTRUTURA BÁSICA 
 
\u2022 Tabelas (ou Relações) 
 
 \u2013 Compostas de 
 \u2022 Linhas (ou tuplas) 
 \u2022 Colunas (ou atributos) 
 \u2022 Chaves primárias (identificador) 
 \u2013 Relacionadas através de 
 \u2022 Chaves estrangeiras (relacionamento) 
 
 
\u2022 Um banco de dados relacional consiste de uma coleção de tabelas de nomes únicos. 
 \u2013 O conceito de tabelas está intimamente ligado ao conceito de uma relação matemática \u2013 de 
 onde se origina o nome deste modelo. 
 
\u2022 Uma tabela é formada por: 
 \u2013 um conjunto de colunas denominadas de atributos. 
 \u2022 Para cada atributo existe um conjunto de valores permitidos, chamado de domínio. 
 \u2013 um conjunto de linhas denominadas de tuplas. 
 
Noções intuitivas de esquema e instância: 
 
 
 
 
Modelo Intuitivo 
 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
6
 
 
Representação da tabela utilizada no modelo relacional 
 
Esquema 
 
 
Tabela com dados utilizada no modelo relacional 
 
 
 
 
Tipos de representações de tabela no modelo relacional 
 
 Alunos 
matrícula nome endereço
 
Esquema de Relação \u201cAluno\u201d: 
 
 Alunos (matrícula, nome, endereço) 
 
Possível relação: 
 R(Alunos) = (<1085123, José, Av.das Flores,25>, 
 <1078987, Antônio, R.13 de Maio, 345>, 
 <1089771, Maria, R.Dunlop,11>) 
 
Esquema de Relação R (intenção) \u2013 mudanças pouco freqüentes 
Relação R(extensão) \u2013 mais dinâmica 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
7
Ö Tabela: composta por linhas (tuplas) e colunas (atributos). 
 
Ö As ligações entre linhas de diferentes tabelas são feitas através do uso de valores de 
 
Ö Valor do campo é monovalorado.
, Estado Civil, UF refere-se apenas a um único 
e aluno é monovalorado 
o 
 
 ¾A maioria dos atributos são Monovalorados. 
 Linhas de uma tabela não são ordenadas. 
 
OMÍNIO (D) 
 Conjunto de valores permitidos