A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
256 pág.
LIVRO - Redes e Sistemas de Telecomunicações

Pré-visualização | Página 7 de 48

campo de informação de sinalização é determi-
nado pelo indicador de serviço. A primeira porção é idêntica para todos
MSUs e é referida como label de roteamento, conforme mostrado na tabela
a seguir:
GRUPO DE
OCTETO FUNÇÃO
Nº DE OCTETOS
ENVOLVIDOS
destination point
code (DPC)
Contém o endereço do nó para o
qual a mensagem está sendo envi-
ada.
3
originating point
code (OPC)
Contém o endereço do originador
da mensagem.
3
signaling link
selection (SLS)
Distribui a carga entre rotas redun-
dantes.
1
Point codes (códigos de ponto) consistem de três identificadores, a saber:
número de rede, número de cluster, número de membro.
3322 Redes e Sistemas de Telecomunicações
Desenvolvimento de Redes de
Telecomunicações
Definição
Uma rede de telecomunicações é uma combinação de vários elementos de
rede que são necessários a fim de suportar voz, dados, vídeo, tanto em
aplicações locais como nas de longa distância. Uma rede de telecomuni-
cações é a base de toda a atividade telefônica, pois é ela que conecta o
usuário final ao mundo através do uso de pares de cobre, cabo coaxial,
fibra óptica ou por wireless, microondas ou satélite.
O desenvolvimento dessa rede é o estágio final do processo e requer ex-
perts de inúmeras disciplinas diferentes umas das outras, incluindo projeto
arquitetônico, construção, etc. A forma mais efetiva de gerenciar esse es-
tágio do processo é usar uma estrutura que sirva como um ponto de con-
tato único com o grande leque de expertise e que possa gerenciar todos os
aspectos de um trabalho por inteiro e complexo (figura 1.10).
Figura 1.10
Sistemas 3333
Gerência de Projeto
Gerência de Projeto é a aplicação de conhecimento, habilidades, ferra-
mentas e técnicas para projetar atividades a fim de atingir ou ultrapas-
sar as necessidades e expectativas dos clientes e que envolve basica-
mente equilibrar as demandas competidoras, o escopo, o tempo e a
qualidade. Na instalação e construção de uma rede de telecomunica-
ções, o gerente de projeto supervisiona o projeto por inteiro do início ao
fim e é responsável por manter uma operação suave do empreendi-
mento. O componente Gerência de Projeto do trabalho enfatiza a efici-
ência pela criação de uma programação do trabalho que seja compre-
ensiva, a fim de eliminar as duplicidades de esforços e manter a conti-
nuidade, que leva a trazer economia substancial de recursos financei-
ros. O gerente de projeto é responsável pelo sucesso de cada fase do
projeto e deve garantir que mesmo os grandes projetos devam ser com-
pletados no tempo, dentro do orçamento e de acordo com alto padrão
de qualidade. A figura 1.11 mostra as áreas de conhecimento, incluindo-
se os processos, que um gerente de projeto deve seguir, a fim de ge-
renciar um projeto de forma mais eficiente:
Figura 1.11
3344 Redes e Sistemas de Telecomunicações
Gerência de Integração de Projeto: descreve os processos que são neces-
sários para garantir que os vários elementos do projeto sejam apropriada-
mente coordenados.
Gerência do Escopo do Projeto: esboça os processos requeridos a fim de
garantir que o projeto inclua todos os trabalhos necessários para completar
o projeto com sucesso.
Gerência de Tempo do Projeto (Gerência de Equipe): inclui todos os pro-
cessos necessários para garantir que o projeto seja completado no tempo
programado.
Gerência de Custos do Projeto: descreve os processos necessários para
garantir que o projeto seja completado dentro do orçamento aprovado.
Gerência da Qualidade do Projeto: esboça os processos necessários para
garantir que o projeto satisfará as necessidades para as quais foi contratado.
Gerência de Recursos Humanos do Projeto: inclui os processos necessári-
os para tornar mais efetivo o uso do pessoal envolvido no projeto.
Gerência de Comunicação do Projeto: descreve os processos necessários
para garantir no tempo certo e na forma apropriada a coleta, a dissemina-
ção, o armazenamento e a disposição de informação sobre o projeto.
Gerência de Riscos do Projeto: esboça os processos responsáveis em
identificar, analisar e responder a riscos de projeto.
Gerência de Compras do Projeto: descreve os processos necessários para
adquirir bens e serviços.
Compreendendo o Processo
Suponha que a uma parcela de uma rede de telecomunicações, 500 novas
residências deverão ser conectadas assumindo que o nó de acesso re-
moto será construído dentro da parcela. O processo de conectar essa par-
cela à central de comutação local, que por sua vez conecta-se com a cen-
tral de longa distância, que por sua vez se conecta com o mundo, é de
múltiplos passos (veja figura 1.12).
Sistemas 3355
Figura 1.12
Passo 1: Projeto da Planta Externa (Engenharia).
O projetista é responsável pela seleção das rotas entre as casas na nova
parcela e o centro de comutação local. O projetista deverá planejar a locali-
zação de cabos aéreos, cabos enterrados, cabos subterrâneos com a cons-
trução de envelopes, ou mesmo instalação de solução wireless, dependendo
inclusive de uma série de fatores como o terreno, infra-estrutura existente,
ambiente, etc. Especificamente, o projetista é responsável pelo seguinte:
! Planejar as rotas.
! Identificar necessidades de direito de uso (right-of-way requirements) e
conflitos de projeto em potencial.
! Negociar direito de uso.
! Determinar planos e projetos especializados e necessidades de mape-
amento digital.
! Preparar projetos preliminares baseados nas especificações do cliente.
! Fazer cotações de preços com base no projeto preliminar.
! Providenciar planos de as-built e especificações.
! Completar projeto final e especificações para instalação e efetuar mu-
danças de projeto conforme requerido durante a instalação.
! Identificar requisitos de material e providenciar pedido de material para
o cliente ou para fornecedores externos quando requerido.
Obs.: Entenda-se que o cliente citado é o contratante do projeto.
Passo 2: Projeto da Central Telefônica (Engenharia)
O projeto da Central envolve uma compreensão de que equipamentos de-
verão serem instalados a fim de fazer a rede funcionar. Mantendo-se a
analogia com a parcela, assume-se que existirá um nó remoto de acesso
Copper Cable
Underground, buried or serial
Fiber, Copper or Coaxial cable
Remote Access
Node
Wireless microwave or satellite
antenna can replace cabling
Local Switching
Center
Long
Distance
Access
3366 Redes e Sistemas de Telecomunicações
(remote-access node) na parcela. Neste exemplo particular, o projetista
será responsável pelo seguinte:
! Determinar que equipamento deve ser adicionado ao centro de comu-
tação existente.
! Dimensionar o nó de acesso.
! Projetar o sistema de transporte entre a unidade remota e o host.
! Determinar o equipamento digital e sistema de transporte que serão
usados entre o centro de comutação e a unidade remota.
! Rever o sistema de energia para verificar se necessita de reforço (es-
tudo de carga).
Passo 3: Construção da Planta Externa
Uma vez tendo o projeto e as especificações em mãos, a instalação dos
cabos (cobre, coaxial, ou fibra), bem como construção de envelopes de
cabos, devem ser levados adiante. Se a tecnologia determinada for wire-
less, torres, por exemplo, serão montadas neste estágio.
Passo 4: Instalação de Equipamentos na Central Telefônica
O próximo passo é instalar e comissionar os equipamentos especializados
que fazem efetivamente a rede funcionar. Os técnicos em sua maioria se-
rão os dos fabricantes dos equipamentos. A seguir, alguns tipos de equi-
pamentos que são instalados por esses técnicos:
! Equipamentos do sistema de comutação.
! Equipamentos de transporte.
! Acessos remotos.
! Equipamentos FMS (Fiber Management System, como roteadores,
bridges hubs, patch panels).
! Energia (retificadores, inversores, baterias, GMG, aterramento).
! Equipamentos SONET ou SDH.
! Alinhamento e teste de sistemas.
Passo 5: Comissionamento
O comissionamento envolve testes para assegurar que a rede está apta a
entrar em funcionamento. Uma vez determinado isso (a rede está de acor-