Redes e Sistemas de Telecomunicações
255 pág.

Redes e Sistemas de Telecomunicações


DisciplinaPropagação e Antenas126 materiais1.649 seguidores
Pré-visualização48 páginas
"scan" para esse canal, ganhar sincronização e começar a decodificar a
informação fornecida em um canal de controle em broadcast no DCCH. O
DCCH serve como um canal de controle do telefone até que o telefone
encontre outra célula que seja mais apropriada.
110066 Redes e Sistemas de Telecomunicações
Os aparelhos PCS recebem mensagem, fazem originações de chamada e
se comunicam com o sistema, via DCCH. Depois de receber uma mensa-
gem ou executar alguma originação de chamada, o canal de tráfego é en-
tão designado para a chamada, e o telefone se deslocará de uma célula
para outra como se movesse dentro do sistema. Ao terminar a chamada, o
telefone retornará para o DCCH, esperando outra interação.
A Interface AR: protocolo multicamada
A interface ar usada em PCS está estruturada em diferentes camadas,
cada uma com propósitos específicos. Esta divisão conceitual torna muito
mais fácil a compreensão das interações entre a estação base e o telefo-
ne, via interface ar. Existem quatro camadas:
Camada física (camada-1):
Lida com a interface rádio, bursts, slots, frames e superframes.
Link de dados (camada-2):
Manipula o empacotamento dos dados, correção de erros e transporte de
mensagens.
Camada de mensagem (camada-3):
Cria e manuseia as mensagens enviadas e recebidas via o ar.
Camadas superiores de aplicação:
Representa o telesserviço correntemente usado, tal como transações de
voz e de mensagens, ou futuros serviços como programação no ar.
O Modelo Interface Ar
A figura 2.20 mostra o modelo interface ar. Essa estrutura simplifica a in-
trodução dos serviços correntes e futuros usando a plataforma IS\u2013136
DCCH, pelo fato das camadas inferiores no protocolo interface ar (a inter-
face rádio, gerenciamento de dados, mensagens e assim por diante) per-
manecerem inalteradas.
Wireless 110077
Figura 2.20
Princípio Operacional
A figura 2.21 mostra como a mensagem na camada 3 é mapeada em di-
versos frames na camada 2 e como o time frame da camada 2 é mapeado
no time slot e que é posteriormente mapeado no canal DCCH. A figura
mostra como a informação é passada de camada para camada descendo
pela pilha (stack) até um burst ser criado, pronto para transmissão. No lado
da recepção, a informação é "descascada" o tanto necessário para a men-
sagem ser passada para a aplicação.
A mensagem da camada 3 mostrada na figura 2.21 pode ser um registro
de uplink, uma mensagem PCS de downlink PCS, uma resposta "page", ou
uma mensagem de broadcast. A mensagem da camada 3 é empacotada
dentro do frame da camada 2 onde campos de correção de erro e cabe-
çalho são acrescentados. O pacote é então codificado em bits individuais
intercalados (misturados e distribuídos) para agir contra os erros introduzi-
dos no ambiente rádio.
110088 Redes e Sistemas de Telecomunicações
Figura 2.21
Canal Lógicos
Canais lógicos foram desenvolvidos na tecnologia IS\u2013136 DCCH para orga-
nizar o PCS e outras informações digitais que fluem através da interface ar.
Configuração de canais lógicos
Os canais lógicos são representados na figura 2.22 que mostra que o
Forward DCCH (FDCCH) consiste de muitos canais lógicos e que trans-
porta informação de um sistema para o telefone. O Reverse DCCH
(RDCCH), transporta informação de um telefone para o sistema, consistin-
do de um canal lógico.
Wireless 110099
Figura 2.22
Princípio Operacional
Canais lógicos ordenam e priorizam a informação de sinalização pelo uso
funcional. Os dados são então mapeados dentro do DCCH, que é o canal
físico. Os canais físicos são porções reais de banda que consistem em
freqüências e divisões no tempo. Os dados do canal lógico fluem no DCCH
em ambas as direções: do sistema para o telefone (downlink), e do telefo-
ne para o sistema (uplink).
Funções dos Canais Lógicos
Os canais do tipo "multiplexed broadcast channel (BCCH)" mostrados na
Figura 2.22 são dimensionados para transportar informação sobre a confi-
guração do sistema e as regras que os telefones devem seguir no acesso
ao sistema. Seus canais lógicos primários são os seguintes:
! Fast broadcast channel (F\u2013BCCH): transporta informação que os tele-
fones necessitam imediatamente, tais como ID do sistema e informa-
ção de registro.
111100 Redes e Sistemas de Telecomunicações
! Extended broadcast channel (E\u2013BCCH): transporta informação que não
é crítica no tempo, tal como uma lista de vizinhança de células.
O sistema usa o serviço de mensagens ponto-a-ponto SMS multiplexado,
paging, e access-response channel (SPACH) mostrados na Figura 2.22
para se comunicar com um telefone específico. Seus canais lógicos são os
seguintes:
! Short Message Service Channel (SMSCH): transporta mensagens PCS
e informação de ativação e programação "over-the-air" (OAA/P) PCS é
transportada em canais lógicos em 800 MHz e 1900 MHz.
! Paging Channel (PCH): transporta pages do sistema para o telefone.
! Access Response Channel (ARCH): fornece resposta de sistema à
consultas por telefone e informação de administração.
A tabela abaixo retrata os canais lógicos:
CANAL LÓGICO DESCRIÇÃO
BCCH É o canal de downlink multiplexado composto de F-
BCCH e E-BCCH.
SPACH É o canal de downlink multiplexado composto de
SMSCH,PCH e ARCH.
RACH É um canal de uplink com todos os time slots usados
para acesso ao sistema.
SCF Os campos SCF no downlink são usados para forne-
cer um mecanismo de prevenção contra colisão no
uplink.
Modo Sleep e Tempo de Standby
O PCS usa o DCCH para prover um modo sleep durante o qual os telefo-
nes podem desligar muitos de seus circuitos até eles "acordarem" em in-
tervalos predeterminados para receber mensagens do sistema. Essa ca-
racterística aumenta substancialmente a vida da bateria, conseqüente-
mente aumentando o tempo de standby dos aparelhos telefônicos. Tempo
de standby é o tempo em que um telefone está disponível, isto é, o telefo-
ne está ligado mas nenhuma chamada está ocorrendo.
Wireless 111111
Princípio Operacional
O telefone como o DCCH verifica se há chamadas de entrada em interva-
los de milissegundos voltando em seguida ao modo de sleep. Isso difere
do telefone que usa o convencional ACC, onde um telefone disponível
deve monitorar o canal de controle constantemente, derrubando como
conseqüência a bateria.
As mensagens do sistema recebidas pelo telefone podem ser pages (tanto
para chamada de voz como para serviço de mensagens PCS) ou mensa-
gens de broadcast (exemplo, atualização de mudanças de células ou listas
de vizinhanças) transportadas no DCCH de downlink. O telefone necessita
decodificar a informação de downlink somente em intervalos de paging
slots predeterminados ou slots de broadcast se ocorrerem mudanças na
informação de broadcast. Deste modo, o telefone estende os períodos de
tempo em que ele pode desligar alguns circuitos, "dormindo" entre as
oportunidades de paging.
A Figura 2.23 mostra o consumo de corrente de bateria do ACC versus
DCCH e indica os períodos de sleep no DCCH:
Figura 2.23
111122 Redes e Sistemas de Telecomunicações
Serviço de Mensagens PCS
O serviço de mensagens PCS é uma característica SMS digital que permite
que um telefone wireless possa receber pages numéricos e mensagens
curtas de textos, o que faz com que um simples aparelho possa cumprir o
papel de pager e de telefone. Os usuários podem receber mensagens no
display dos seus telefones de uma grande variedade de fontes tais como:
computadores, telefones, e-mail, voice mail, e serviços de paging (operado-
res recebem a mensagem e enviam a mensagem por texto ao aparelho
PCS).
O PCS usa o DCCH e os DTCs para entregar/receber mensagens alfanu-
méricas para e de um telefone wireless. As mensagens são enviadas e
recebidas via um centro de mensagens, que é um nó de uma rede inteli-
gente wireless.
As mensagens contêm uma variedade de atributos que controlam a entre-
ga, o armazenamento