A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
197 pág.
BB 500 QUESTOES COMENTADAS

Pré-visualização | Página 3 de 50

possíveis antes de morrer.
d) A procura das pessoas pelo enriquecimento rápido 
obtêm bons recursos financeiros para o país.
e) Se obterem recursos, certamente as pessoas farão 
mais de cem coisas antes de morrer.
10
BA
N
CO
 D
O
 B
RA
SI
L
25. (BANCO DO BRASIL – ESCRITURÁRIO – FCC – 2011)
A concordância verbal e nominal está inteiramente cor-
reta na frase:
a) A busca por melhores condições de vida nas grandes 
cidades levam muitas pessoas para uma situação de 
total desamparo, decorrentes da falta de empregos.
b) A oferta de serviços para a população das grandes ci-
dades são imprescindíveis para o desenvolvimento de 
uma sociedade harmônica e equilibrada.
c) As autoridades públicas, diante do crescimento espan-
toso da população, nem sempre consegue oferecer 
condições de vida digna aos moradores da cidade.
d) A zona rural, antes habitada pela maioria dos brasilei-
ros, ainda hoje permanecem como importantes pro-
dutores de alimentos para os que vivem nas cidades.
e) Os habitantes das grandes cidades sempre esperam 
que o poder público lhes ofereça bom atendimento 
em saúde, ensino eficiente e moradia digna.
26. (BANCO DO BRASIL – ESCRITURÁRIO – FCC – 2011)
A concordância verbal e nominal está inteiramente cor-
reta na frase:
a) Muitos migrantes nordestinos, que se retiraram para 
o Sudeste em busca de melhores condições de vida, 
estão voltando agora para sua região, atraídos pelo 
bom desempenho da economia.
b) Os investimentos anunciados para o complexo indus-
trial do Porto de Suape, onde se encontra o estaleiro 
Atlântico Sul, modificou radicalmente a dinâmica da 
economia da região.
c) Várias empresas, brasileiras e multinacionais, que se 
instalou no complexo do Porto de Suape estão geran-
do dezenas de milhares de empregos à população, 
antes sem qualquer opção de trabalho.
d) Para todos aqueles que vive na região, a abertura de 
postos de trabalho significaram a possibilidade de 
planejar a vida, com projetos de longo prazo, aliados à 
renda e à estabilidade.
11
BA
N
CO
 D
O
 B
RA
SI
L
e) O desenvolvimento de tecnologias portadoras de fu-
turo, referência às inovações tecnológicas, resultaram 
no surgimento de um dos ambientes mais ricos do 
país na área de inovação e empreendedorismo.
27. (BANCO DO BRASIL – ESCRITURÁRIO – FCC – 2011)
A média universal do Índice de Desenvolvimento Hu-
mano aumentou 18% desde 1990. Mas a melhora esta-
tística está longe de animar os autores do Relatório de 
2010. Eles argumentam que, embora os números refli-
tam avanços em determinadas áreas, o mundo continua 
a conviver com problemas graves, que exigem uma nova 
perspectiva política.
O cenário apresentado pelo Relatório não é animador. O 
documento adverte que, nestes 20 anos, parte dos países 
enfrentou sérios problemas, sobretudo na saúde, anulan-
do em alguns anos os ganhos de várias décadas. Além 
disso, o crescimento econômico tem sido desigual. Os 
padrões de produção e consumo atuais são considera-
dos inadequados.
Embora não queira apresentar receitas prontas, o Rela-
tório traça caminhos possíveis. Entre eles, o reconheci-
mento da ação pública na regulação da economia para 
proteger grupos mais vulneráveis. Outro aspecto ressal-
tado é a necessidade de considerar pobreza, crescimento 
e desigualdade como temas interligados. “Crescimento 
rápido não deve ser o único objetivo político, porque ig-
nora a distribuição do rendimento e negligencia a sus-
tentabilidade do crescimento”, informa o texto.
Um aspecto importante revelado pelo Relatório é que 
muitas das ações para melhoria da saúde e da educa-
ção não necessitam de grande investimento financeiro. 
Isso está mais presente sobretudo onde os indicadores 
são ruins. “Numa primeira etapa, medidas simples como 
inclusão do soro caseiro e lavagem das mãos já trazem 
impacto relevante”, avalia Flávio Comim, economista do 
Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento.
(Adaptado de Lígia Formenti. O Estado de S. Paulo, A30 
Vida, 5 de novembro de 2010)
A frase em que a concordância verbal e nominal está in-
teiramente respeitada é:
a) Ainda não foi suficiente os investimentos na tentati-
va de redução dos índices de pobreza verificados em 
todo o mundo.
b) Em relação ao poder aquisitivo, ainda se observa da-
dos assustadores quanto à miséria em que vivem po-
pulações inteiras.
c) São claras algumas implicações políticas na área do 
desenvolvimento humano, pois é imprescindível a 
ação do poder público na erradicação da miséria.
d) Deve ser levado em conta a sustentabilidade do cres-
cimento econômico, para que se garanta melhorias 
efetivas das condições de vida da população.
e) Alguns especialistas tende a atribuir à crise financeira 
a principal razão do retrocesso nos resultados satisfa-
tórios que já tinha sido alcançado.
28. (BANCO DO BRASIL – ESCRITURÁRIO – FCC – 2010)
A multiplicação de desastres naturais vitimando popula-
ções inteiras é inquietante: tsunamis, terremotos, secas e 
inundações devastadoras, destruição da camada de ozô-
nio, degelo das calotas polares, aumento dos oceanos, 
aquecimento do planeta, envenenamento de mananciais, 
desmatamentos, ocupação irresponsável do solo, imper-
meabilização abusiva nas grandes cidades. Alguns desses 
fenômenos não estão diretamente vinculados à conduta 
humana. Outros, porém, são uma consequência direta de 
nossas maneiras de sentir, pensar e agir. 
É aqui que avulta o exemplo de Hans Jonas. Em 1979 ele 
publicou O Princípio Responsabilidade. A obra mostra 
que as éticas tradicionais - antropocêntricas e baseadas 
numa concepção instrumental da tecnologia - não esta-
vam à altura das consequências danosas do progresso 
tecnológico sobre as condições de vida humana na Terra 
e o futuro das novas gerações. Jonas propõe uma ética 
para a civilização tecnológica, capaz de reconhecer para 
a natureza um direito próprio. O filósofo detectou a pro-
pensão de nossa civilização para degenerar de maneira 
desmesurada, em virtude das forças econômicas e de 
outra índole que aceleram o curso do desenvolvimento 
tecnológico, subtraindo o processo de nosso controle.
Tudo se passa como se a aquisição de novas competên-
cias tecnológicas gerasse uma compulsão a seu apro-
veitamento industrial, de modo que a sobrevivência de 
nossas sociedades depende da atualização do potencial 
tecnológico, sendo as tecnociências suas principais for-
ças produtivas. Funcionando de modo autônomo, essa 
dinâmica tende a se reproduzir coercitivamente e a se 
impor como único meio de resolução dos problemas 
sociais surgidos na esteira do desenvolvimento. O para-
doxo consiste em que o progresso converte o sonho de 
felicidade em pesadelo apocalíptico - profecia macabra 
que tem hoje a figura da catástrofe ecológica. [...]
Jonas percebeu o simples: para que um “basta” derradei-
ro não seja imposto pela catástrofe, é preciso uma nova 
conscientização, que não advém do saber oficial nem da 
conduta privada, mas de um novo sentimento coletivo de 
responsabilidade e temor. Tornar-se inventivo no medo, 
não só reagir com a esperteza de “poupar a galinha dos 
ovos de ouro”, mas ensaiar novos estilos de vida, com-
prometidos com o futuro das próximas gerações.
(Adaptado de Oswaldo Giacoia Junior. O Estado de S. 
Paulo, A2 Espaço Aberto, 3 de abril de 2010)
A concordância verbal e nominal está inteiramente cor-
reta na frase:
a) Foram detectadas, nas análises mais recentes, a presença 
de partículas de poluentes prejudiciais à saúde humana.
b) Estão havendo problemas nas negociações sobre o cli-
ma por falta de consenso entre os países participantes.
c) Cada vez mais se tornam imprescindíveis medidas que 
venham a alterar o relacionamento entre o homem e 
a natureza.
d) Quando entra em discussão nos países envolvidos as 
questões sobre responsabilidade climática, dificilmen-
te se chega a um acordo.
e) Chegaram-se a impasses nas negociações sobre a sus-
tentabilidade do planeta pela impossibilidade de de-
terminar a responsabilidade de cada país.
12
BA
N
CO
 D
O
 B
RA
SI
L

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.