A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Ataxia

Pré-visualização|Página 1 de 1

Ataxia


Sinal neurológico: incoordenação motora e desequilíbrio. (falha na coordenação muscular, com incapacidade na realização correta e sincrônica de um movimento).

Origem grega: "fora de ordem".


Ataxia cerebelar

Classificação etiológica

  1. Adquiridas
  • AVE (Acidente Vascular Encefálico);
  • Infecciosa;
  • Tóxica;
  • Neoplasia;
  • Doença do sistema imune (EM);
  • Síndromes deficitárias (metabólicas).


2. Hereditárias

  • Autossômica recessivas: degeneração ou pelo desenvolvimento anormal do cerebelo e suas vias, cujo inicio precoce pode ocorrer antes dos 20 anos. Acomete outros sisteas. (Ex: Ataxa Friedrich).
  • Autossômica dominantes: degeneração cerebelar geralene acompanhada por mudanças degenerativas de suas vias. (Ex: Ataxia de machado - Joseph).


Epidemiologia

  • Hereditárias: 7.9 para cada 100.000 habitantes;
  • Adquiridas: Não são quantificadas;
  • Brasil: 2/100.000 habitantes.


Sinais e sintomas

  • Depender da localização topográfica da lesão.
  • 4 sintomas principais:
  1. Hipotonia;
  2. Astasia-abasia;
  3. Ataxia;
  4. Tremor de intenção.


Síndrome da linha média

  • Bilaterais;
  • Hipotonia;
  • Ataxia de marcha;
  • Ataxia de tronco;
  • Romberg: negativo;
  • Não há lateralização para quedas;
  • Perca ou nenhuma alteração da extremidades superiores;
  • Causas mais comum: degeneraçã cerebelar alcoólica e meduloblastoma.


Síndrome hemisférica

  • Unilateral e ipsilaterais a lesão;
  • Manifestações apendiculares;
  • Oscilações e quedas para o lado da lesão;
  • Nistagmo horizontal;
  • Disartria.


Ataxia de membros

  • Dismetria;
  • Hipotonia;
  • Dissinergia;
  • Rechaço;
  • Disdiadococinergia;
  • Decomposição do movimento.


Causas mais comuns: tumor cerebral, EM e AVE.


Disfunção cerebelar difusa (global)

Acometimento difuso

  • Bilateral;
  • Anormalidades na linha média;
  • Anormalidades dos hemisférios.


Diagnóstico

  • Exames clínicos;
  • Exames complementares: Imagem (TC e RM), exames de mapeamento genético.

Tratamento

  • Marcha;
  • Equilíbrio;
  • Estabilidade postural;
  • Coordenação motora;
  • Queixa funcional.



Ataxia não cerebelar (ataxia vestibular)

Quadro clínico

  • Movimentos atáxicos durante a marcha;
  • Postura mais estável com olhos abertos;
  • Presença de vertigem;
  • Nistagmo: unilateral (olhar para o lado contralateral do envolvimento vestibular);
  • Não ocorrem disartria.


  • Fisioterapia

Exercícios destinados a promover retreinamento dos movimentos;

Substituição (compensação): aferêncis sensoriais alternativas ou respostas motoras ou estratégias preditivas/antecipatórias.


Ataxia frontal

  • Lesão no lobo frontal;
  • Falta de integração entre o córtex cerebelar, os núcleos da base e o cerebelo;
  • Acometimento do planejamento motor.


Ataxia sensorial

  • Quadro clínico

Alterações da propriocepção e sensação vibratória;

Alterações da marcha e da movimentação dos MMII de modo simétrico;

Envolvimento ausente ou em menor grau dos MMSS;

Teste de romberg: positivo

Não ocorrem vertigem, nistago e disartria.


  • Fisioterapia

Estimular aferência proprioceptiva;

Cadeia cinética fechada, com carga, de preferência sem auxílio da visão.