Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Exercícios V ou F DIREITO FUNDAMENTAIS_GABARITO

Pré-visualização | Página 1 de 4

Profª Ma. Nuria Micheline Meneses Cabral - PUC GO/EDRI/Direito 
Exercícios: Direitos e Garantias Fundamentais 
1 
 
Marque "V" ou "F" nos enunciados abaixo sobre Direitos e Deveres Individuais e Coletivos, 
indicando o dispositivo constitucional pertinente, quando for o caso: 
1. A doutrina constitucional atribui as expressões “direito” e “garantia” o mesmo conteúdo técnico-jurídico. 
2. A partir da técnica de interpretação constitucional no caso de colisão de direitos fundamentais, e 
possível, para solucionar essa hipótese, conferir-se vigência a um em detrimento do outro. 
3. A resolução das questões envolvendo conflitos de direitos individuais fundamentais e tarefa do 
constituinte originário em cuja obra há que se encontrar solução literal e objetiva para a questão. 
4. O direito a associação e o direito de reunião são direitos individuais de expressão coletiva. 
5. A Constituição proíbe a alteração, por emenda, dos dispositivos constitucionais que confiram direitos ou 
garantias fundamentais, erigindo essa proibição como limitação material ao poder reformador. 
6. Na vigente Constituição brasileira, e correta a afirmação de que direitos e garantias vem previstos nos 
mesmos dispositivos constitucionais. 
7. O principio da isonomia, ou da igualdade formal, admite tratamento desigual com amparo constitucional. 
8. Estrangeiro não residente no Brasil não tem, neste Pais, direito constitucional de proteção a propriedade 
e a segurança. 
9. Os direitos fundamentais (vida, liberdade, segurança, propriedade e igualdade) são detentores de 
proteção especial na Constituição Brasileira e, exceto o de propriedade, são absolutamente invioláveis. 
10. O principio da igualdade formal veda que a lei, sem fundamento em desigualdade de fato, arbitre um 
tratamento diferenciado a quem esteja na mesma situação. 
11. Homens e mulheres são detentores de igualdade absoluta na Constituição vigente, não havendo 
prescrição, em seus dispositivos, que determine tratamento diferenciado exclusivamente em razão do 
sexo. 
12. A Constituição aponta situações de tratamento desigual em razão do sexo. 
13. É constitucional a existência de leis infraconstitucionais, complementares ou ordinárias, criando situações 
de tratamento desigual em razão do sexo ou regulamentando as situações constitucionais de 
desigualdade sexual. 
14. Uma lei elaborada anteriormente a Constituição vigente, e que consagre situação de desigualdade sexual 
não amparada por essa Constituição, será inconstitucional. 
15. Pelo principio da legalidade estrita, somente norma jurídica elaborada por órgão competente poderá criar 
obrigação de fazer ou não fazer. 
16. A tortura, proibida pela Constituição, é definida por lei como o ato de constranger alguém, mediante 
emprego de violência ou grave ameaçaa, física ou psíquica, causando-lhe sofrimento físico ou mental. 
17. A Constituição brasileira atual não tutela o pensamento. 
18. A expressão do pensamento, desde que quem se expressa esteja identificado, é livre, não se podendo 
proibir alguém de se referir a outrem de determinada maneira, mesmo que ofensiva. 
19. A proibição do anonimato não impede qualquer pessoa de manifestar o seu pensamento como queira. 
20. O direito constitucional do atingido por ato ofensivo a sua honra ou imagem e restrito a indenização por 
dano que essa ofensa tenha causado. 
21. A Constituição não assegura a proteção aos locais de cultos religiosos, reconhecendo ser essa uma 
atribuição da lei. 
22. O ateísmo é protegido pela atual Constituição. 
23. A pratica de religiões ofensivas a morai e aos bons costumes é proibida pela Constituição. 
24. O direito a liberdade religiosa é ilimitado. 
25. A Constituição assegura ao preso o direito de guardar e praticar a sua orientação religiosa. 
26. A recusa ao cumprimento de obrigação legal a todos imposta é hipótese de suspensão de direitos 
políticos. 
27. É inconstitucional a censura prévia de obra artística ou intelectual. 
28. Há hipóteses constitucionais de violação da vida privada e da intimidade. 
29. Intimidade e vida privada são conceitos que se equivalem, e referem-se, ambos, a condutas baseadas 
em convicções íntimas da pessoa. 
30. A lesão a intimidade ou a vida privada é indenizável. 
31. É possível a um oficial de justiça ingressar em residência particular durante a noite para cumprir 
determinação judicial. 
32. “Casa”, para fins de proteção constitucional, e qualquer local ou compartimento habitado, noção que 
inclui uma barraca de camping, um trailer e até, em certas circunstâncias, o local de trabalho. 
33. Se o proprietário de um imóvel reside nele, mas alugou quartos para terceiros, não poderá ele autorizar o 
ingresso de autoridade ou pessoa nesses quartos alugados. 
34. O ingresso em determinada casa, durante a noite, depende da existência de situação de flagrante delito, 
sem o que só poderá ser feito por ordem judicial escrita e fundamentada. 
Profª Ma. Nuria Micheline Meneses Cabral - PUC GO/EDRI/Direito 
Exercícios: Direitos e Garantias Fundamentais 
2 
 
35. O sigilo de correspondência é, na Constituição, absolutamente inviolável. 
36. O sigilo das comunicações telefônicas só pode ser quebrado por ordem judicial. 
37. O principio da liberdade de trabalho proíbe que haja lei impondo restrições às atividades laborais. 
38. Um dos direitos fundamentais da pessoa, no Brasil, é o do acesso a informação, mesmo que relativa à 
atividade do Estado ou dos seus agentes. 
39. Qualquer pessoa pode entrar ou sair do Brasil com seus bens, mas esses movimentos serão regulados 
por lei, a qual poderá impor certas obrigações tanto a um quanto a outro. 
40. Desde que pacífica, com seus membros desarmados e comunicada previamente a autoridade, nada 
pode impedir a realização de uma reunião. 
41. Não há diferença entre o direito de reunião e o direito de associação, em termos constitucionais. 
42. A liberdade de associação não é restrita pela Constituição. 
43. Indica o caráter paramilitar de uma associação o fato de ela pertencer ou estar integrada a um órgão 
público. 
44. Tanto a criação de associações quanto a de cooperativas deverão ser feitas na forma da lei, sendo que 
nem as primeiras, nem as segundas, dependem de autorização. 
45. O direito de propriedade, garantido pela Constituição, abrange apenas a propriedade material. 
46. A sujeição da propriedade ao cumprimento de sua função social não configura uma restrição ao direito da 
propriedade. 
47. Em área urbana, o atendimento da função social da propriedade e comprovado pela observância das 
normas impostas pelo plano diretor do Município. 
48. A função social da propriedade rural estará atendida se praticar, nela, exploração econômica que garanta 
a preservação ambiental. 
49. A desapropriação, como regra, na Constituição, e indenizável em dinheiro. 
50. Autores tem direito autoral vitalício sobre suas obras, transmissível, com essa qualidade, aos seus 
herdeiros. 
51. O direito constitucional a obtenção de informações em órgãos públicos depende da alegação e 
comprovação de interesse pessoal nela. 
52. A negativa de prestação de informações, por órgão público, tem, como instrumento judicial apto a 
superá-la, exclusivamente a ação de habeas data. 
53. O uso do habeas data depende de ter havido a utilização de requerimento administrativo e da não 
obtenção da informação desejada por essa via. 
54. A lei civil pode retroagir para, desfazendo ato jurídico perfeito, beneficiar uma das partes. 
55. Há hipótese de um tribunal previsto na Constituição vir a ser considerado como tribunal de exceção. 
56. Não há hipótese de extradição, pelo Brasil, de brasileiro nato. 
57. A Constituição não admite prisão civil por divida. 
58. O não pagamento de pensão alimentícia, por qualquer razão, e caso de prisão por dívida, de natureza 
criminal. 
59. Habeas corpus não pode ser impetrado por estrangeiro
Página1234