Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Questionario Anatomia Cabeça e pescoço

Pré-visualização | Página 1 de 3

Anatomia Cabeça, Pescoço e Dentária
SABATINA DE CABEÇA ÓSSEA – 2018.2
Elaborado por: ELENISA GLAUCIA e MARCUS WEIGEL
1- Delimite a fossa pterigopalatina e cite suas comunicações com outras cavidades:
A fossa pterigopalatina compreende o espaço localizado na junção das fissuras orbital inferior e pterigomaxilar, na parte inferior do ápice da órbita.
É limitada pelo corpo, base do processo pterigóide, e face anterior da asa maior do esfenóide; pela face infratemporal da maxila; e pela parte vertical do osso palatino. Esta fossa comunica-se com a órbita através da fissura orbital inferior, com a cavidade nasal através do forame esfenopalatino, e com a fossa infratemporal através da fissura pterigomaxilar.
2- Que estrutura está relacionada com a alça fibrosa da fóvea troclear e qual sua função?
A alça fibrosa da fóvea troclear (antigamente chamada polia cartilagínea) relaciona-se com o músculo oblíquo superior do olho, responsável por inciclotorção do olho e auxilia, secundariamente, no movimento de descenso e adução.
3- Cite a origem e a inserção dos músculos da mastigação?
Temporal
origem: fossa temporal e da superfície da fáscia temporal inserção: processo coronoide da mandíbula e face anterior do ramo da mandíbula
Masseter
origem: arco zigomático inserção: ângulo e na metade inferior da superfície lateral do ramo da mandíbula
Pterigoideo lateral
origina-se por duas cabeças ou porções: uma superior, da parte inferior da superfície lateral da asa maior do esfenóide, e da crista infratemporal; e uma inferior, da superfície lateral da lâmina lateral do processo pterigoide. inserção: em uma depressão na parte anterior do colo da mandíbula e na margem anterior do disco articular da articulação temporomandibular.
Pterigoideo medial
origem: face medial da lâmina do processo pterigoideo do osso esfenoide inserção: face medial do ângulo e ramo da mandíbula
4- Qual a diferença entre os músculos da mastigação e os seus auxiliares? Cite todos:
Os músculos da mastigação são subdivididos em elevadores, depressores e os auxiliares, os elevadores elevam a mandíbula; os depressores rebaixam a mandíbula; e os auxiliares que não são considerados propriamente músculos da mastigação, mas participam ativamente das funções estomatognáticas.
Elevadores:
Músculo Temporal – eleva a mandíbula, contrai os feixes anteriores na abertura máxima e os feixes posteriores na retração mandibular, age no deslocamento contralateral. É fundamental na determinação do tônus muscular da posição postural da mandíbula. 
Músculo Masseter – além de ser elevador, atua na projeção anterior da mandíbula e na lateralização.
Músculo Pterigóideo Medial – paralelo ao masseter, é também elevador e age em conjunto com o masseter na protrusão e na lateralização da mandíbula, com boca fechada.
Depressores
A ação conjunta do pterigóideo lateral e os músculos supra- hióideos promovem o rebaixamento da mandíbula, enquanto a musculatura infra-hióidea estabiliza o osso hióide.
Músculo Pterigóideo lateral – além da depressão, projeta a mandíbula à frente e atua nos movimentos laterais. Estabiliza a ATM.
Músculo Digástrico – faz parte dos músculos supra-hióideos. É basicamente depressor, como todos os músculos supra-hióideos.
Músculo Geni-hióideo – depressor. Facilita a deglutição.
Músculo Milo-hióideo – favorece a deglutição puxando o hióide para cima, como o faz o geni-hióideo. Deprime a mandíbula.
Auxiliares.
Músculo Orbicular dos Lábios – produz o fechamento e a projeção à frente dos lábios. Importante na sucção.
Músculo Bucinador – puxa a comissura labial, comprime os lábios e as bochechas tornando-se fundamental na sucção. Na mastigação, empurra o bolo alimentar para a superfície oclusal.
Músculo Zigomático Maior – junto com o zigomático menor leva a comissura labial para cima e para fora.
Músculo Zigomático Menor – puxa a comissura labial e o lábio superior em particular, para cima e para fora.
5-Que estrutura separa as fissura dimpano-escamosa? Qual o nome da estrutura nervosa que passa nessa região?
A porção escamosa é achatada transversalmente e irregularmente circular. A face externa apresenta um sulco vascular para a artéria temporal profunda posterior. Desta face podemos destacar a apófise zigomática, ou processos zygomaticus, que se origina por duas raízes: a raiz transversa ou côndilo do temporal (tuberculum articular) que faz parte da articulação têmporo-maxilar e raiz longitudinal que, ao se dirigir para trás continua a direção da apófise zigomática, e apresenta para a frente o orifício do canal auditivo externo, o tubérculo zigomático posterior. Existe ao juntar as duas raízes o tubérculo zigomático anterior e o espaço entre as duas raízes chama-se cavidade glenoideia ou fossa mandibularis, que se divide numa porção articular e noutra não articular, pela cisura de Glaser ou tímpano-escamosa (Fissura ympanosquamosa). Esta face apresenta sulcos vasculares para a artéria meníngea média e relaciona-se com o cérebro. Cinco forames nela se abrem... o forame redondo; canal pterigóideo; canal faríngeo, forame esfenopalatino e o canal pterigopalatino. Esta fossa contém ainda o nervo maxilar, o gânglio pterigopalatino e a porção terminal da artéria maxila. O nervo facial penetra no meato acústico interno, em seu interior o nervo intermédio se junta com o facial propriamente dito formando um tronco nervoso único. O nervo facial encurva-se em sua trajetória formando o joelho do nervo facial, onde haverá um gânglio sensitivo ( gânglio geniculado). Seguindo em sua trajetória, o nervo realiza nova curvatura para baixo, assim saindo do crânio pelo forame estilomastóideo.
6- Que estrutura passa pelo forame magno?
Meninges, raízes espinais dos nervos acessórios, ramos meníngeos do primeiro ao terceiro nervos cervicais, artérias vertebrais e seus plexos simpáticos, artérias espinais, veias espinais e medula espinal.
7- O que significa a sigla B.O.I em craniometria?
São três pontos craniométricos localizados na norma basilar, na linha média, no osso occiptal.
Básio: Ponto de maior concavidade da margem anterior do forame occipital.
Ópstio: ponto onde a linha sagital mediana cruza a margem posterior do foram occiptal.
Ínio: Ponto de maior convexidade da protuberância occiptal externa. 
8-Qual o conteúdo do meato acústico externo?
A parede anterior, o soalho e a parte inferior da parede posterior são formados pela porção timpânica; o teto e a parte superior da parede posterior são formados pela escama. Na sua extremidade interna é fechado pela membrana timpânica. O limite superior do seu orifício externo é formado pela raiz posterior do processo zigomático, sendo visível às vezes inferiormente a espinha suprameática. Seu conteúdo são glândulas ceruminosas e
sebáceas e membrana timpânica.
9- Qual a importância do ligamento esfenomandibular e onde ele se insere?
O ligamento esfenomandibular é uma faixa fina e achatada que se insere na espinha do esfenoide e vai se tornando mais larga à medida que se dirige para baixo, fixando-se na língua do forame mandibular. Ajuda atuando como eixo da relação à mandíbula através da manutenção da mesma quantidade de tensão durante a abertura e fechamento da boca.
10- Sobre a maxila: cite as fossas, fissuras e cavidades delimitadas:
Forame infra orbital (na parte posterior do crânio, da passagem a artérias e nervos infraorbitais), 
Forames alveolares posterosuperiores (fica na tuberosidade da maxila e da passagem aos nervos alveolares posteriores superiores)
Forame Incisivo (da passagem ao nervo nasopalatino e artéria esfenopalatina)
Forame palatino anterior (da passagem aos nervos e vasos nasopalatinos e artéria esfenopalatina)
Fossa canina (origina o musculo levantador do ângulo da boca)
Fossa Incisiva (na região anterior de sutura palatina mediana)
Fossa para o saco lacrimal (depressão formada pelo osso lacrimal e maxila)
Sulco infraorbital: (localizado mais posteriormente, marca o início do canal infraorbital, que percorre o assoalho da órbita e termina anteriormente no forame infra-orbital.)
11- Quais
Página123