A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
178 pág.
Questões de Tributário

Pré-visualização | Página 10 de 50

hipóteses de extinção do crédito tributário.
(AFTN/set/94 – ESAF) Quanto ao Crédito Tributário, é correto afirmar que
sua importância pode ser consignada judicialmente pelo sujeito passivo, no caso de subordinação do recebimento do crédito ao pagamento da penalidade pecuniária
sua exclusão dispensa o cumprimento das obrigações acessórias
extingue-se após decorrido o prazo decadencial de 5 anos, contados da data da sua constituição definitiva
extingue-se após decorrido o prazo prescricional de 5 anos, contados do primeiro dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ser efetuado
extingue-se mediante o depósito do seu montante integral
 (AFTN/set/94 – ESAF) A autoridade administrativa, no caso de débitos vencidos do mesmo sujeito passivo, determinará que a imputação se dê, na seguinte ordem:
primeiramente as taxas e depois a contribuição de melhoria
crescente, em função dos prazos de decadência
crescente, em função dos montantes
primeiramente os débitos por responsabilidade solidária
primeiramente os débitos por obrigação própria
(AFTN/96 – ESAF) Considerar as afirmações
Propiciar o direito de ação da Fazenda Pública.
Formalizar o crédito tributário.
Representar e medir as proporções do fato jurídico tributário.
Estas três assertivas referem-se, respectivamente,
ao fato gerador da obrigação tributária, à base de cálculo e à alíquota
à base de cálculo, ao ato de lançamento e à alíquota
ao lançamento tributário, à base de cálculo e à alíquota
ao ato administrativo de inscrição da divida ativa, ao lançamento tributário e à base de cálculo
ao ato de lançamento tributário, aos deveres instrumentais ou formais e à base de cálculo
(AFTN/96 – ESAF) Assinale a opção correta.
Nos casos de lançamento por homologação, o direito de o fisco homologar o crédito tributário extingue-se após decorrido o prazo de cinco anos, contados do primeiro dia do exercício em que o lançamento poderia ser efetuado.
A ação de cobrança do crédito tributário extingue-se após decorrido o prazo de cinco anos, contados da data da ocorrência do fato gerador.
A suspensão da exigibilidade do crédito tributário tem o condão de também suspender o prazo decadencial.
A decisão administrativa definitiva que anule lançamento anteriormente efetuado, segundo o CTN, interrompe o prazo decadencial.
Nos casos de lançamento por declaração, o prazo decadencial para que o fisco efetue o lançamento de ofício conta-se do momento da ocorrência do fato jurídico tributário.
(AFTN/96 – ESAF) Sobre o valor de verdade dos enunciados que seguem, podemos asseverar que:
A exclusão do crédito tributário dispensa o cumprimento das obrigações acessórias.
A compensação independe de previsão legal expressa, posto que o instituto já se encontra amparado pelo Código Civil.
A decisão administrativa, ainda que objeto de ação anulatória, extingue o crédito tributário.
I e III são verdadeiros e I é falso
os três enunciados são falsos
I e II são verdadeiros e II é falso
os três enunciados são verdadeiros
I e II são falsos e III é verdadeiro
(AFTN/98 – ESAF) Suponha que você, como Auditor-Fiscal, é convidado a opinar sobre a defesa apresentada por contribuintes, em três processos. Entre os argumentos de defesa apresentados, encontram-se os seguintes:
A exigência feita no auto de infração contra ele lavrado inclui tributo e multa de 150%. Ora, o tributo está absorvido na multa, pois do contrário estará pagando 250% do valor do tributo omitido.
A multa é totalmente indevida porque o tributo que o fisco alega ter sido omitido, na verdade foi integralmente pago pelo contribuinte, em dez prestações, conforme comprova com o recibo de pagamento da 10ª parcela.
Se a lei que exigiu juros equivalentes à TRD não pode ter efeito retroativo, não podem ser exigidos juros de mora em percentual algum, no período anterior à vigência dessa lei.
Indique que argumento(s) deve(m) ser acolhido(s), nos termos do Código Tributário Nacional.
o segundo
todos
os dois primeiros
os dois últimos
nenhum
(AFRF/2000 – ESAF) Marque com V a assertiva verdadeira e com F a falsa, assinalando em seguida a opção correspondente.
O pagamento é efetuado em moeda corrente, cheque ou vale postal, e, nos casos previstos em lei, em estampilha, em papel selado, ou por processo mecânico.
A legislação tributária pode determinar as garantias exigidas para o pagamento por cheque ou vale postal
Se o cheque dado em pagamento não for liquidado, o pagamento do tributo não se considera feito
F, F, F
V, V, F
V, F, F
V, V, V
F, F, V
(AFRF/2002-2 – ESAF)
Uma decisão judicial reconheceu ao contribuinte o direito de efetuar a compensação do imposto de renda mediante o aproveitamento de certa parcela do IPI que considerou indevida. O contribuinte efetuou o referido aproveitamento. O Auditor considerou errado o procedimento do contribuinte, porque a Fazenda havia recorrido da decisão do juiz de primeiro grau. Está certo o Auditor?
A isenção outorgada depois do fato gerador mas antes do lançamento exclui o crédito tributário?
É vedada a divulgação, por parte da Fazenda Pública ou de seus servidores, de informação relativa a representação fiscal para fins penais, obtida em razão do ofício?
Não, não, não
Sim, não, não
Sim, sim, não
Sim, não, sim
Sim, sim, sim
(AFRF/2003 – ESAF) Avalie o acerto das afirmações adiante e marque com V as verdadeiras e com F as falsas; em seguida, marque a opção correta.
A dação em pagamento em bens móveis, a remissão, a compensação e a decadência extinguem o crédito tributário.
O parcelamento concedido na forma e condição estabelecidas em lei específica, o depósito do montante integral do crédito tributário, a homologação do lançamento e a concessão de medida liminar em mandado de segurança suspendem a exigibilidade do crédito tributário.
As disposições do Código Tributário Nacional, relativas ao parcelamento, aplicam-se, subsidiariamente, à moratória.
V, V, F
V, F, V
V, V, V
F, F, V
F, F, F
(AFRF/2003 – ESAF) Responda de acordo com as pertinentes disposições do Código Tributário Nacional.
É permitido que a anistia abranja infrações cometidas posteriormente ao início da vigência da lei que a concede?
É vedado às entidades tributantes conceder anistia e isenção que alcancem apenas determinada região do seu território, em função de condições a ela peculiares?
O despacho da autoridade administrativa que concede isenção gera direito adquirido para o beneficiário?
Não, não, sim
Não, sim, não
Não, não, não
Sim, não, sim
Sim, não, não
(ATE MS/2001 – ESAF) Em face da legislação e da jurisprudência dos tribunais superiores, pode-se afirmar que as isenções tributárias, concedidas sob condição onerosa, podem ser livremente suprimidas?
Somente em situações de calamidade pública.
Sim.
Não.
Somente a partir do exercício seguinte.
Dentro do mesmo exercício, com expressa autorização legal.
(AFTE PI/2001 – ESAF) A anistia tributária atinge:
os atos praticados com dolo.
os atos praticados com simulação.
os atos praticados com fraude.
os atos qualificados em lei como contravenções.
as penalidades provenientes de infrações às leis tributárias.
(ATN Recife/2003 – ESAF) Sobre prescrição e decadência em direito tributário, julgamento realizado pelo Supremo Tribunal Federal em 6 de outubro de 1982 considerou que, com a lavratura do auto de infração, consuma-se (1)............................ do crédito tributário; que, por outro lado, a decadência (2)........................ no período anterior a essa lavratura; depois, entre a ocorrência dela e até que flua o prazo para a interposição do recurso administrativo, ou enquanto não for decidido o recurso dessa natureza de que se tenha valido o contribuinte, não mais corre prazo para (3)........................, e ainda não se iniciou a fluência de prazo para (4).....................; decorrido o prazo para interposição do recurso administrativo, sem que ela tenha ocorrido, ou decidido o recurso administrativo