Buscar

2016_pdp_port_uenp_mariaritadasilva

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 42 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 42 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 42 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

1 IDENTIFICAÇÃO 
 
TÍTULO: A INTERTEXTUALIDADE NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: A 
MÚSICA COMO OBJETO/ INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM 
Autora: Maria Rita da Silva 
Disciplina/área: Língua Portuguesa 
Escola de Implementação: Escola Estadual Dulce de Souza Carvalho– 
Ensino Fundamental e Médio. 
Munícipio da Escola: Cornélio Procópio – Distrito de Congonhas 
Núcleo Regional de Educação: Cornélio Procópio 
Professora-Orientadora: Drª. Lívia Maria Turra Bassetto. 
Instituição Ensino Superior: UENP 
RESUMO: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Este material didático foi elaborado com 
base na concepção Interacionista da 
linguagem, apresentada por autores, 
pautados na perspectiva da Linguística 
Textual e na concepção de gêneros 
textuais, como Marcuschi (2008), Koch 
(2001, 2006, 2008), Cavalcante (2012), 
entre outros, pretende realizar reflexões 
acerca da prática pedagógica e do ensino 
de Língua Portuguesa, principalmente ao 
entender a língua como instrumento de uma 
prática social, de sua finalidade no ato 
comunicativo, e de suas particularidades 
expressas em gêneros – essenciais para 
formação de um leitor e produtor de texto 
competente. 
Para tanto, o trabalho constitui-se de 
abordagens teóricas e análises, em 
exemplos de gêneros textuais tendo como 
premissa o uso do gênero música, com 
intuito de evidenciar como o intertexto 
contribui para a construção de sentido do 
texto. 
Assim, propõe-se o desenvolvimento de 
uma sequência didática com o gênero 
textual “Música” e outros textos multimodais 
que tragam temáticas semelhantes e 
apresentem relação intertextual sobre 
valores, amor, tempo que possam estimular 
a leitura e de forma reflexiva e significativa. 
Palavras chaves: Leitura; música; intertextualidade. 
Formato do Material Didático: Unidade Didática 
Público: Alunos do 9º ano do Ensino Fundamental 
APRESENTAÇÃO 
Professor(a): 
 Esta unidade didática tem o objetivo de auxiliar o docente de Língua 
Portuguesa do 9º ano do Ensino Fundamental na Escola Estadual “Dulce de 
Souza Carvalho – Ensino Fundamental e Médio”, localizada no Distrito de 
Congonhas, município de Cornélio Procópio, para alunos de 9º ano do 
Ensino Fundamental II. 
 Apresentamos uma proposta didática com atividades de intertexto – 
tendo como objeto e instrumento de ensino o gênero textual música e as 
possibilidades de intertextualidade com textos multimodais que apresentem 
temáticas semelhantes, visando contribuir para melhoria da qualidade de 
ensino e aprendizagem da Língua Portuguesa, pois com a sugestão 
metodológica, almeja-se melhorar a prática pedagógica em sala de aula. 
Assim, ao levar para a sala de aula a música como um recurso 
diferenciado e verificar a sua eficácia ou não na aprendizagem dos alunos, 
com o intuito de oferecer aos professores de Língua Portuguesa novas 
possibilidades metodológicas de ensino. 
 Desse modo, destacamos a música como um recurso didático 
importante, pois compreendemos que ela faz com que o aluno vivencie 
aquilo que ele está aprendendo, interagindo com o conteúdo, e, portanto, 
proporciona uma aprendizagem muito mais significativa que os métodos 
tradicionais. 
 Destacamos uma metodologia de ensino voltada à leitura e escrita, 
buscando conduzir à apreciação do gênero música, tendo o professor como 
mediador, dando condições ao aluno para atribuir sentidos às leituras 
realizadas, para que possa se tornar mais crítico e atuante nas práticas de 
vivência social. Ou seja, a textualidade é um meio pelo qual esse sujeito 
direciona seu olhar sobre o referente e concretiza seu propósito 
comunicativo. Deste modo, o objeto de ensino e, portanto, de aprendizagem 
é o conhecimento linguístico e discursivo com o qual o sujeito opera ao 
participar das práticas sociais mediadas pela linguagem. 
INTERTEXTUALIDADE 
A intertextualidade é uma forma de diálogo entre textos, que pode se dar de 
forma mais implícita ou mais explícita e em diversos gêneros textuais, que devem 
ser contextualizados de acordo com a realidade vivida. O intertexto serve para 
ilustrar a importância do conhecimento de mundo e como este interfere no nível de 
compreensão do texto. Ao relacionar um texto com outro, o leitor entenderá que a 
intertextualidade é uma das estratégias utilizadas para a construção dos mesmos e 
que, partindo desta, se viabiliza uma leitura e desta uma produção, significando que 
um texto nasce de outro texto por meio da intertextualidade. 
 Em relação a intertextualidade, Koch (2008, 86) diz que se faz presente em 
todo e qualquer texto, como componente decisivo de suas condições de produção. 
Isto é, ela é condição mesma da existência de textos, já que há sempre um já-dito, 
prévio a todo dizer. 
 
[...] a intertextualidade ocorre quando , em um texto, está inserido outro 
texto (intertexto) anteriormente produzido, que faz parte da memória social 
de uma coletividade. Como vemos, a intertextualidade é elemento 
constituinte e constitutivo do processo de escrita/leitura e compreende as 
diversas maneiras pelas quais a produção e recepção de um dado texto 
depende de conhecimentos de outros textos por parte dos interlocutores, ou 
seja, dos diversos tipos de ralçoes que um texto mantém com outor textos. 
(KOCH, 2008, p. 86) 
 
 Para Marcushi (2008, p. 131), a intertextualidade é a presença de partes de 
textos prévios dentro de um texto atual. E ressalta dentre as várias modalidades de 
intertexto: 
 
a)Intertextualidade de forma e conteúdo: quando alguém utiliza, por 
exemplo, determinado gênero textual tal como a epopeia em um outro 
contexto não épico só para obter um efeito de sentido especial; 
b)Intertextualidade explícita: como no caso das citações, discursos diretos, 
referência documentadas com a fonte, resumos, resenhas; 
c)Intertextualidade com textos próprios, alheios ou genéricos: alguém pode 
muito bem situar-se numa relação consigo mesmo e aludir a seus textos, 
bem como citar textos sem autoria específica como provérbios etc. 
(MARCUSHI, 2008, 131) 
 
 A intertextualidade colabora com a coerência textual e tem importância 
fundamental ao relacionar discursos entre si. Ou seja, a intertextualidade é mais que 
um critério de textualidade, é também um princípio constitutivo que trata o texto 
como comunhão de discursos e não algo isolado, dando margem para que se façam 
interconexões dos mais variados tipos. 
 Marcushi (2008, p 129) ressalta que hoje em dia há um consenso quanto ao 
fato de se admitir que todos os textos comungam com outros textos, ou seja, não 
existem textos que não mantenham algum aspecto intertextual, pois nenhum texto 
se acha isolado e solitário. 
 Assim, a intertextualidade pode ser reconhecida como “propriedade 
constitutiva de qualquer texto” e o conjunto da relações explícitas ou implícitas que 
um texto ou um grupo de texto determinado mantém com outro textos. 
(MARCUSCHI, 2008, p. 130). 
 Já destacamos que a leitura e interpretação demanda ativação de 
conhecimentos prévios, adquiridos por meio de outros textos; e requerem uma gama 
de conhecimentos advindos da leitura de outros textos. É importante que nenhum 
texto seja tomado isoladamente, desvinculado de qualquer outro, mas sim em sua 
intrínseca relação com outros exemplares. 
 De acordo com Cavalcante (2012, p. 146), em muitos textos se percebem 
indícios tangíveis de uma relação com outros, desde evidências tipográficas, que 
demarcam fronteiras bem específicas entre um dado texto e algum outro que esteja 
sendo evocado, até pistas mais sutis que conduzem o leitor à ligação intertextual por 
meio de inferências. 
 Para que haja certa coerência e compreensão da leitura, é importante para o 
leitor o conhecimento de mundo, um saber prévio, para reconhecer e identificar 
quando há um diálogo entre os textos. A intertextualidade pode ocorrer afirmando as 
mesmas ideias de um texto ou apenas contestando o que ali se apresenta. 
 A escola, enquantoinstituição formadora deve atender a essa demanda, 
principalmente no que se refere à multiplicidade de linguagens, modos ou semioses 
nos textos em circulação social, impressos, audiovisuais, digitais, etc. Isto, de acordo 
com Rojo (2002, p. 19), tem sido chamado de multimodalidade ou multissemiose dos 
textos contemporâneos, que exigem multiletramentos, ou seja, textos compostos de 
muitas linguagens (ou modos, ou semioses) e que exigem capacidades e práticas de 
compreensão e produção de cada uma delas para fazer significar. 
A leitura e interpretação são fatores que auxiliam na produção textual e a 
intertextualidade é um elemento que favorece a formação de um leitor mais 
competente e crítico, pois, ao relacionar um texto com outro, o leitor compreenderá o 
texto lido com mais profundidade e, por consequência, será capaz de refletir sobre o 
recurso utlizado pelo autor quando compuser textos. 
 
Gênero Música 
 http://www.imagensgratis.blog.br/imagens/imagens-notas-musicais1/9 
 
 Acreditamos que a utilização de diversos textos (multimodais) e a relação 
intertextual com o gênero música no ensino de língua portuguesa contribua para o 
enriquecimento do ensino, ao trazer a sensibilidade, a percepção e a criatividade, 
além de proporcionar a reflexão sobre temas importantes. A música também 
proporciona momentos lúdicos, prazerosos, o que acreditamos ser fator de 
motivação para aprendizagem. 
A escolha do gênero música, assim, justifica-se por ser integrante do 
cotidiano da vida de alunos e professores e entendemos que ela é um recurso 
didático-metodológico válido para as aulas de Língua Portuguesa, pois colabora com 
várias áreas do saber, quando utilizada de forma interdisciplinar, auxiliando na 
construção do conhecimento, na manutenção da cultura e valores. E o aluno, nesse 
contexto, pode aprender brincando, interagindo com o outro e consigo mesmo. 
 Para tanto, o professor deve levar em consideração o contexto que as 
músicas retratam e em que foram compostas. Deve ter em mente que todas as 
composições estão inseridas em uma atmosfera ideológica, a qual deve ser 
compreendida e trabalhada em sala de aula. Além de expressar sentimentos e 
pensamentos de quem a compõe, também apresentam características de 
determinado período ou sociedade ou ainda de determinados valores sociais. 
 Acredita-se também que, ao usufruir do som, as atividades humanas podem 
tornar o trabalho muito mais fácil. A música pode ir aonde não podemos, pois ela 
alcança o interior. Por essa razão, o gênero música pode tornar-se um recurso 
didático-metodológico importante nas aulas de Língua Portuguesa para mudar a 
rotina tradicional e tornar a aprendizagem prazerosa e dinâmica. 
 
 
A definição do tema - Tempo 
 
Ao realizar as pesquisas e seleção dos textos multimodais e das músicas 
para elaborar as atividades propostas nesta Sequência Didática, permeamos por 
diversos temas, no entanto, foi à temática “Tempo” e às reflexões que ele pode 
proporcionar que nos inspirou, sobretudo, em relação aos valores e às questões 
efêmeras da vida humana. O tema está tão presente em músicas, poemas, charges, 
imagens, vídeos, filmes, livros que de certa forma, até dificultou a seleção, no 
entanto, por outro lado, por ser um tema recorrente facilita ao professor realizar 
outras seleções textuais, caso queira realizar adaptações e adequações às 
atividades sugeridas, na sequência didática. 
Saiba mais sobre a temática 
 
 
O tempo é uma questão fundamental para a nossa existência. 
Inicialmente, os primeiros homens a habitar a terra determinaram a 
contagem desse item por meio da constante observação dos fenômenos 
naturais. Dessa forma, as primeiras referências de contagem do tempo 
estipulavam que o dia e a noite, as fases da lua, a posição de outros 
astros, a variação das marés ou o crescimento das colheitas pudessem 
metrificar “o quanto de tempo” se passou. Na verdade, os critérios para 
essa operação são diversos. 
Consciência da finitude - Não sendo apenas baseada em uma 
percepção da realidade material, a forma com a qual o homem conta o 
tempo também pode ser visivelmente influenciada pela maneira com que 
a vida é compreendida. Em algumas civilizações, a ideia de que houve um 
início em que o mundo e o tempo se conceberam juntamente vem seguida 
pela terrível expectativa de que, algum dia, esses dois itens alcancem seu 
fim. Já outros povos entendem que o início e o fim dos tempos se repetem 
por meio de uma compreensão cíclica da existência. 
O tempo empregado pelos historiadores é o chamado “tempo histórico”, 
que possui uma importante diferença do tempo cronológico. Enquanto os 
calendários trabalham com constantes e medidas exatas e proporcionais 
de tempo, a organização feita pela ciência histórica leva em consideração 
os eventos de curta e longa duração. Dessa forma, o historiador se utiliza 
das formas de se organizar a sociedade para dizer que um determinado 
tempo se diferencia do outro. 
 Disponível em: <http://brasilescola.uol.com.br/historia/o-tempo-cronologico-
tempo-historico.htm> Acesso em: 15 de outubro de 2016. 
 
http://brasilescola.uol.com.br/historia/o-tempo-cronologico-tempo-historico.htm
http://brasilescola.uol.com.br/historia/o-tempo-cronologico-tempo-historico.htm
Sinopse da Sequência Didática 
 
Oficinas Objetivos Atividades 
Oficina 1- Conhecendo a 
temática 
- Apresentar a temática 
aos alunos 
- Conhecer o a temática – 
Tempo 
- Identificar as maneiras 
de representação da 
passagem do tempo; 
- Refletir sobre a 
influência do tempo na 
vida. 
- Identificar a relação de 
intertextualidade entre as 
imagens 
1- Contextualização do 
tema – Tempo com a 
leitura de imagens e a 
relação temática entre 
elas. 
2- Elaboração de um 
painel com recortes de 
palavras e imagens que 
retratem a passagem do 
tempo 
 
Oficina 2- Vivendo a 
temática 
- Aprofundar sobre a 
temática – presente, 
passado e futuro. 
- Desenvolver da 
percepção de diferentes 
tempos: psicológico, 
biológico, e astronômico 
para a construção do 
tempo histórico. 
- Perceber o intertexto 
entre os textos 
multimodais 
1- Assistir um vídeo da 
Turma da Mônica – 
Máquina do tempo de 
Novo, realizar 
questionamentos. 
2- Montar um painel com 
fotos que representam as 
fases da vida. 
3- Roda de conversa 
sobre o tema “tempo livre” 
– organização de um 
quadro com as ideias 
discutidas e 
intertextualidade 
4- Confeccionar um cartão 
convite para família – para 
realizar um evento em 
“tempo livre” 
Oficina 3- Introduzindo o 
Gênero 
- Apreciar diferentes 
estilos musicais. 
- Realizar inferências 
sobre a temática tempo 
nas músicas. 
- Reconhecer que o 
trabalho com música e 
com a diversidade de 
gêneros musicais 
 possibilita o saber ouvir, 
a interação social e a 
formação de valores. 
- Perceber o diálogo 
intertextual entre as 
musicas e o tema – tempo 
 Compor o repertório 
apresentando as músicas 
e seus compositores, 
contextualizando a 
produção e o tema – 
tempo. 
1- Tempo perdido (Legião 
Urbana) Apresentar o 
vídeo da música realizar 
as atividades de 
interpretação. 
2- Oração ao tempo (Maria 
Gadú) Apresentar o vídeo 
da música realizar as 
atividades de 
interpretação. 
3- Semana que vem (Pity) 
Apresentar o vídeo da 
música realizar as 
atividades de interpretação 
e relação intertextual. 
4- Um novo tempo (Ivan 
Lins) Apresentar o vídeo 
da música realizar as 
atividades 
5- Círculo de discussão 
sobre as músicas. 
6- Produção de um texto – 
Ouvir música é sentir.... 
Oficina 4- A poesia e o 
TEMPO 
- Conhecer os poetas – 
Mario Quintana e Carlos 
Drummond de Andrade 
- Reconhecer o gênero 
poema 
- Identificar o tema 
- Relacionar o tema a 
outros textos 
1- Apresentação de vídeo 
com a biografia de Mario 
Quintana 
- Vídeo da Narração do 
Poema do Tempo 
- Vídeo de Carlos de 
Drummond de Andrade e 
da narração do Poema 
Cortar o Tempo. 
2- Diálogo entre os 
poemas –interpretação e 
relação intertextual. 
Oficina 5 – A hora do filme - Reconhecer o gênero – 
filme 
- Identificar à temática e 
sua influência na 
formação do caráter do 
personagem 
- Inferir a relação temática 
com outros textos 
estudados. 
 
1- Sinopse e 
contextualização do 
filme – Assistir o filme. 
2- Realizar os 
questionamentos sobre 
o filme e a mensagem 
transmitida e a relação 
temática com os outros 
textos. 
Oficina 6- É tempo de 
escrever 
- Escrever um texto – 
gênero Poema ou Paródia 
- Organizar o texto em 
forma de poema ou 
paródia 
- Produzir um vídeo com o 
texto que foi escrito. 
- Publicar na página do 
You Tube 
 
1- Retomar as anotações 
feitas durante as 
oficinas, a partir delas 
refletir e produzir o seu 
texto. 
- Apresentar o texto para 
os colegas. 
- Realizar a produção do 
vídeo. 
- Apresentar o vídeo para 
os colegas de sala. 
-Criar uma conta e postar 
no You Tube. 
 
Sequência Didática 
 
Objetivo geral: 
- Estabelecer relações de intertexto - entre o texto e outros textos e entre o texto e 
ilustrações, fotos, imagens vídeos que o acompanham de acordo com a temática – 
Tempo. 
 
Caro (a) professor (a): 
As atividades presentes nesta Sequência Didática são apenas sugestões. Cada 
professor pode adaptá-las à realidade de sua escola e de sua turma, bem como à 
faixa etária de seus alunos, podendo criar outras atividades que julgue mais 
adequadas. Lembre que as atividades que envolvem a leitura devem priorizar 
aspectos lúdicos e também aspectos reflexivos, a fim de contribuir com o 
crescimento intelectual do leitor, despertando nele o desejo de mais e mais 
descobertas por meio de leituras. 
 
 
Professor (a): 
Neste momento da sequência didática, faça a descrição detalhada da tarefa de 
expressão oral e escrita que os alunos realizarão durante toda proposta de 
trabalho. Diga o que será feito, qual será o gênero a ser estudado e produzido, 
como serão as oficinas (aulas), onde os textos produzidos por eles serão 
publicados, pois é necessário que eles conheçam todo o processo de trabalho e da 
importância de cada etapa. 
 
 
 
 
 
 
Oficina 1 – Conhecendo a temática 
Objetivos: 
- Apresentar a temática aos alunos 
- Conhecer o a temática – Tempo 
- Identificar as maneiras de representação da passagem do tempo; 
- Refletir sobre a influência do tempo na vida. 
- Identificar a relação de intertextualidade entre as imagens 
Caro (a) professor (a): 
 Apresente Sequência Didática para turma e explique como serão 
desenvolvidas as atividades durante as oficinas. 
 Neste momento os alunos já conhecem o trabalho que será 
desenvolvido. É muito importante criar um clima agradável e de 
confiança com a turma, para que não se sintam pressionados a ler e 
produzir. Explique que durante as oficinas serão feitas anotações que 
serão usadas posteriormente quando forem escrever seus textos, suas 
mensagens. Mensagens que posteriormente serão editadas em 
formato de vídeo. 
 
Professor(a): 
 Apresente as imagens a seguir e faça os questionamentos orais; 
 Entregue uma folha em branco e solicite que a cada imagem, observada 
faça uma anotação, sobre os questionamentos e reflexões, principalmente 
sobre os sentimentos que forem despertados. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Imagem 1 – O tempo cronológico 
 
Disponível em: <http://brasilescola.uol.com.br/historia/o-tempo-cronologico-tempo-historico.htm> 
Acesso em: 15 de outubro de 2016. 
 
Imagem 2 – Dentro e fora do tempo 
 
Disponível em: <https://pt.dreamstime.com/imagem-de-stock-royalty-free-tempo-dentro-dentro-fora-
do-tempo-image13935946> Acesso em: 15 de outubro de 2016. 
 
 
Imagem 3 - Ampulheta 
A ampulheta é um instrumento 
que mede o tempo por meio do 
escoamento de areia através de 
um recipiente de vidro dividido em 
dois compartimentos cônicos. 
Estes compartimentos são 
sobrepostos e se comunicam nos 
vértices por um pequeno orifício, 
http://brasilescola.uol.com.br/historia/o-tempo-cronologico-tempo-historico.htm
https://pt.dreamstime.com/imagem-de-stock-royalty-free-tempo-dentro-dentro-fora-do-tempo-image13935946
https://pt.dreamstime.com/imagem-de-stock-royalty-free-tempo-dentro-dentro-fora-do-tempo-image13935946
pelo qual a areia escoa. As ampulhetas eram frequentemente utilizadas em navio, 
em igrejas e, no início da utilização do telefone, serviam para contar o tempo de 
duração das chamadas. Hoje, alguns jogos de tabuleiro utilizam o objeto para 
controlar o tempo das jogadas. 
Disponível em: <https://frasesdavida.wordpress.com/2013/11/06/palavra-do-dia-ampulheta/> Acesso 
em: 15 de outubro de 2016. 
 
Imagem 4 – Persistência da memória – Salvador Dali 
Na obra ‘A Persistência da Memória’, 
os relógios flácidos conotam dois 
significados de interesse para a 
conclusão dessa reflexão, ou seja, 
primeiramente, a relatividade do tempo, 
maleável, característica notada na 
marcação das horas, distinta nos três 
relógios e a rapidez do passar do 
tempo, denunciado pela mosca 
pousada em um deles, indicando que ‘o 
tempo voa. 
Disponível em: < http://www.lpm-blog.com.br/wp-
content/uploads/2011/03/Melting_Clock09.jpg> Acesso em 20 de novembro de 2016. 
Atividade 1 
Questionamentos: 
a- O que cada imagem nos mostra? 
b- Como vocês analisam cada imagem? 
c- O que vocês entendem por tempo? 
d- Quem acredita que medir o tempo é importante para o homem? Porque? 
e- O relógio mede o tempo de que forma? 
f- Quem conhece outras formas de medir o tempo? 
g- Para que serve o relógio? 
h- Na Imagem 1 temos um relógio em uma mão e uma fumaça, o que esta 
imagem nos faz pensar sobre o tempo? 
i- Na imagem 2 temos três relógios em cada um deles aparece a imagem de um 
homem, o que podemos imaginar em cada situação, como relacionar isto à 
nossa vida e ao tempo? 
https://frasesdavida.wordpress.com/2013/11/06/palavra-do-dia-ampulheta/
j- Observe os ponteiros, quantos ponteiros são? E o que ocorre com eles em 
cada relógio da imagem 2? 
k- A imagem 3 é de uma ampulheta. Observe que a ampulheta é um 
instrumento que mede o tempo por meio do escoamento de areia através de 
um recipiente de vidro dividido em dois compartimentos cônicos. No 
compartimento superior há a imagem de um homem sentado escrevendo. Se 
ele estivesse escrevendo um livro da vida, que relação poderia ser 
estabelecida entre o tempo da vida e o tempo que a ampulheta mede? 
l- É possível notar um diálogo entre as imagens e a mensagem que elas nos 
passam? 
m- Na Obra de Salvador Dali (imagem 4) “A Persistência da Memória”, o quê os 
relógios flácidos podem conotar em relação à reflexão sobre a relatividade do 
tempo em nossa vida? 
n- Como a obra nos faz perceber a passagem do tempo? 
Professor(a): 
 Explique aos alunos que no dia a dia temos hábitos, que podem ser 
comuns ou diferentes de uma família para outra. Dê alguns exemplos 
comuns realizados de manhã (escovar os dentes, tomar café da 
manhã, ir para a escola ou brincar etc.), tarde (almoçar, escovar os 
dentes, estudar, brincar em casa ou na casa de algum amigo, levar o 
cachorro para passear etc.) e noite (ler um livro, jantar, tomar banho, 
dormir etc.). 
Atividade 2 
1- Em seguida, convide os alunos a elaborarem um painel onde deverão ser 
coladas imagens e palavras que estão relacionadas a cada período do dia, 
conforme os hábitos de cada um: MANHÃ, TARDE, NOITE. 
2- Distribua aos alunos 3 cartolinas, uma para cada período do dia: manhã, tarde 
e noite; revistas; tesoura sem ponta e cola. 
3- Solicite que procurem na revista por imagens e/ou palavras que ilustrem 
hábitos ou atividades que realizamos em cada período do dia. Cada período – 
manhã, tarde e noite – deverá ser identificado em cada cartolina também com 
recortes de revista. (Caso os alunos não encontrem as palavras inteiras, tanto 
para os períodos quanto para os hábitos/atividades, poderão montar as 
palavras através da junção de letras isoladas, sílabas ou palavrasderivadas) 
4- Após a confecção do painel, realize uma reflexão das atividades lembradas 
por eles, para isto, solicite que os alunos leiam em voz alta o painel e 
aproveite para fazer algumas considerações caso não surjam atividades 
importantes como estudar, ler, entre outros bons hábitos. 
5- Solicite que cada aluno traga de casa, para a próxima aula, uma foto de 
quando era bebê e uma foto atual para trabalharem em sala de aula. 
 
Oficina 2 – Vivendo a temática 
 
Objetivos 
- Aprofundar sobre a temática – presente, passado e futuro. 
- Desenvolver da percepção de diferentes tempos: psicológico, biológico, e 
astronômico para a construção do tempo histórico. 
- Perceber o intertexto entre os textos multimodais 
Caro (a) professor (a): 
 Para que possamos desenvolver nos nossos alunos a noção de tempo 
histórico, devemos primeiramente despertar noções que a antecedem. 
Para isso, se faz necessário introduzir questões que agucem a 
percepção da passagem do tempo de variadas formas. Portanto, 
deverá lançar questões problematizadoras em torno do tempo 
(psicológico, biológico e astronômico), elaborando perguntas que 
abordem situações vivenciadas no cotidiano dos alunos. 
 Exemplos: 
 O que demora mais para passar: cinco minutos no recreio da escola 
ou cinco minutos na cadeira de um dentista? 
 O crescimento dos seus cabelos, das suas unhas é uma forma de 
perceber a passagem do tempo? 
 As diversas fases pelas quais a Lua passa também é uma maneira 
de perceber a passagem do tempo? 
 Desenvolver no aluno a noção de tempo histórico não é somente 
limitá-lo ao desenvolvimento do tempo cronológico referente à 
localização de datas, séculos e à periodização. Exige-se uma reflexão 
cuidadosa por parte do professor em mostrar ao aluno que a própria 
forma de contarmos o tempo em nossa sociedade é histórica, ou seja, 
é fruto de uma determinada cultura ao estabelecer uma interação entre 
o tempo da natureza e o tempo dos homens na organização da vida 
social. 
 Para saber mais acesse: 
<http://brasilescola.uol.com.br/geografia/tempo-historico-tempo-
geologico.htm>. 
 
Professor(a): 
 Os dias têm a mesma duração para todos, ricos ou pobres, jovens ou 
velhos, brasileiros ou estrangeiros. Entretanto, o tempo não é 
aproveitado por todos com igual intensidade, pois alguns conseguem 
realizar coisas extraordinárias enquanto outros apenas veem “o tempo 
passar”. 
 Pessoas que até conhecem boas práticas para administração do 
tempo, mas que não conseguem efetivá-las em suas vidas, seja por 
desorganização, comodismo ou objetivos pouco claros. A certeza é 
que este mesmo homem que criou as unidades de tempo hoje se sente 
escravizado pelo próprio relógio que ajudou a inventar 
 
Atividade 1 
1- Assista o vídeo: A máquina do tempo de Novo (Turma da Mônica) 
 Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=mBR74jBl4vQ> 
 Acesso em: 20 de Novembro de 2016. 
2- Solicite aos alunos que anotem algumas palavras ou expressões que indicam 
o tempo que passou? (ontem, na semana passada, no ano passado etc.). Dê 
alguns exemplos: (Ontem, eu dormi cedo porque estava com muito sono. Na 
semana passada, eu fui à casa da minha avó. No ano passado, minha família 
e eu viajamos para a praia.) Na próxima semana, receberemos a visita da 
minha tia. No ano que vem, eu farei aula de inglês. Alguns anos atrás vocês 
eram bebês). 
3- Qual a intenção do Franjinha com sua nova invenção? 
4- Por que o Cascão não acreditou na nova invenção do Franjinha? 
5- Quem sabe dizer o que é passado, presente e futuro? 
https://www.youtube.com/watch?v=mBR74jBl4vQ
6- Daqui alguns anos, ou seja, no futuro, o que vocês serão? Quais são os seus 
sonhos? 
Atividade 2 
 
Professor(a): 
 Ouça as respostas, acrescente novos questionamentos de acordo com 
a realidade de sua sala de aula. 
 Explique aos alunos que a nossa vida vai mudando de acordo com o 
tempo. Passamos por algumas fases, desde que nascemos até 
morrermos, que são: infância, adolescência, idade adulta e velhice. 
 
1- Nesta atividade monte com eles um painel com as fotos que trouxeram 
referentes a cada fase e pergunte: 
a) O que vocês acreditam ser próprio da criança, do adolescente, do adulto e 
do idoso? 
b) Será que existem coisas que podem ou não ser feitas em cada uma das 
fases da vida? Deem alguns exemplos. 
c) Atualmente, o que vocês gostariam de fazer, mas não podem? Por quê? 
 
2- Elabore um cartaz com os alunos intitulado: Fases da minha vida 
As fases criança (como foi - passado); adolescente ( como está sendo – 
presente), adulto (como gostaria que fosse – futuro). Solicite que explique 
porque representou o futuro daquela forma. 
 
Atividade 3 
1- Convide os alunos para uma roda de conversa. Solicite que se sentem em 
círculo e pergunte: 
 
a) O que vocês entendem por “tempo livre”? 
b) Quem acredita que aproveita seu tempo livre da melhor forma? Por quê? 
c) Vocês gostariam de ter mais tempo livre? 
d) E o que vocês fariam se tivessem mais tempo livre? 
2- Em seguida organizem um quadro de ideias com as respostas da roda de 
conversa: 
 
O que faço em meu “tempo livre” 
 
 
 
 
O que faria se tivesse mais “tempo livre” 
 
 
 
 
Atividade 4 
Professor(a): 
 Disponibilize aos alunos um papel com gramatura para cartão, 
 E também um modelo de cartão pré-elaborado com 15x10 cm. como 
segue o modelo abaixo. 
 
 
1- Convide os alunos para criarem um cartão para convidarem seus pais (ou 
responsáveis), primos ou amigos etc. para fazerem algo diferente – que não 
faziam há algum tempo ou que nunca fizeram, mas gostariam muito de fazer 
– no tempo livre no final de semana. 
2- Distribua um cartão pré-elaborado: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“QUERIDOS ______________________, GOSTARIA DE 
CONVIDÁ-LOS PARA APROVEITARMOS NOSSO TEMPO LIVRE 
NO PRÓXIMO FINAL DE SEMANA COM...”, 
 
 
 
 
 
 
3- Cada aluno deverá escrever na linha os nomes dos pais, responsáveis etc. e, 
deverá desenhar a atividade que gostaria de propor para aproveitar o tempo 
livre no final de semana. 
4- Solicite que cada aluno apresente seu cartão-convite para o restante da 
turma. Aproveite para conversar sobre as formas que cada aluno espera 
aproveitar o tempo livre e as pessoas que escolheram para curtir esse tempo 
juntos. 
 
 
Oficina 3- Introduzindo o Gênero 
Objetivos 
- Apreciar diferentes estilos musicais. 
- Realizar inferências sobre a temática tempo nas músicas. 
- Reconhecer que o trabalho com música e com a diversidade de gêneros musicais 
 possibilita o saber ouvir, a interação social e a formação de valores. 
- Perceber o diálogo intertextual entre as musicas e o tema – tempo. 
 
Caro (a) professor (a): 
 Lembramos que o gênero música foi selecionado para trabalhar com 
turmas de 9º Ano, com objetivo central de, além do reconhecimento do 
gênero quanto a sua função social, seu contexto de produção e seu 
estilo, avaliar a sua temática, atentando para as mensagens trazidas 
nas letras, pelo fato de se tratar de um gênero que está sempre 
circulando nos mais diversos lugares e por ser um grande instrumento 
de conscientização e de socialização dos alunos. 
 Considerando que os alunos conhecem o gênero música e visto que 
está articulado diretamente à sua realidade, para motivar o estudo, a 
análise e uma possível leitura e (re)produção desse gênero textual, um 
outro objetivo proposto foi o de ressaltar a importância e as influências 
produzidas pela melodia e pelas mensagens contidas nas letras de 
música. 
 
 
Definição do gênero Canção 
 
Professor(a): 
 Uma canção é uma composição relativamente curta que combina uma 
determinada melodia (música) com um trecho literário (a letra). O 
gênero canção corresponde a um texto escrito em verso ou em prosa 
literária,destinado ao canto. Diferente da música que corresponde à 
combinação de sons que produz melodia, através de instrumento 
musical. A canção é uma combinação de duas linguagens: verbal e 
musical. 
Disponívelem:<http://linguaportuguesafp2009.blogspot.com.br/2009/05/generocancao.html
> Acesso em: 20 de novembro 2016. 
 
 
Compondo o repertório http://www.imagenstop.blog.br 
 
Professor(a): 
 Pesquise com antecedência os vídeos das músicas, por meio dos links 
sugeridos abaixo; 
 Converta-os no formato adequado para exibi-los na TV pen drive 
 Fale com seus alunos sobre cada compositor/cantor sugerido. 
 Entregue uma cópia das letras que serão analisadas. 
Legião Urbana 
A Legião Urbana surgiu no 
final de 1982 quando Renato 
Russo juntou-se a Marcelo 
Bonfá, Eduardo Paraná 
(Hoje, Kadu Lambach) e 
Paulo Guimarães (o ‘Paulista’). Ico-Ouro Preto teve passagem pela banda, 
participando de alguns shows e compondo junto a canção “Ainda é Cedo”, mas logo 
sai da banda. Em 1983, Paulista e Paraná saem e Dado Villa-Lobos assume a 
guitarra.Herbert Viana e Bi Ribeiro, este último ex-aluno de inglês de Renato em 
Brasília, integravam a banda Paralamas do Sucesso (que já estava no elenco da 
EMI-Odeon) e indicaram àquela gravadora a fita demo da nova banda de Brasília. 
Depois de a gravação chegar às mãos de executivos da EMI-Odeon, a Legião 
Urbana foi contratada e lançou seu primeiro álbum, em 1985, emplacando em junho 
daquele ano as canções “Será”, “Ainda é Cedo” e “Geração Coca-Cola”. A Revista 
Bizz, leitura obrigatória para os amantes da música daquela época, elegia a Legião 
como a melhor banda e Renato, o melhor cantor daquele ano. 
A receita que havia dado certo foi aperfeiçoada no álbum seguinte, Dois. Músicas 
como “Tempo Perdido”, “Índios”, “Metrópole” e “Quase Sem Querer” se tornam hits 
nas rádios de todo o Brasil. O maior sucesso foi “Eduardo e Mônica”, que conta a 
história de dois jovens que se apaixonam apesar dos estilos diferentes de vida. A 
Legião Urbana divulgava um conteúdo que qualquer jovem brasileiro dos anos 80 
compreendia e se identificava. O álbum é considerado um dos maiores discos de 
rock nacional da história. 
 
Disponível em: < http://www.renatorusso.com.br/biografia-legiao-urbana/> Acesso em: 20 de 
novembro 2016. 
 
 
Música: Tempo perdido 
Atividade 1 
a- Assistam o vídeo da música; 
Vídeo: Música: Tempo Perdido - 1986 
Interprete: Legião Urbana 
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=2hr7Uqu6G80> 
 Acesso em: 20 de novembro 2016. 
 
b- Faça com os alunos uma reflexão de como o tema - tempo é tratado na 
música, há alguma expressão que remete ao que já foi estudado nas outras 
oficinas? 
c- Solicite que eles anotem uma frase que faça referência a algo que já foi 
comentado nas atividades anteriores. 
https://www.youtube.com/watch?v=2hr7Uqu6G80
Tempo Perdido 
Todos os dias quando acordo 
Não tenho mais 
O tempo que passou 
Mas tenho muito tempo 
Temos todo o tempo do mundo 
Todos os dias 
Antes de dormir 
Lembro e esqueço 
Como foi o dia 
Sempre em frente 
Não temos tempo a perder 
Nosso suor sagrado 
É bem mais belo 
Que esse sangue amargo 
E tão sério 
E selvagem! Selvagem! 
Selvagem! 
Distantes de tudo 
Temos nosso próprio tempo 
Temos nosso próprio tempo 
Temos nosso próprio tempo 
Não tenho medo do escuro 
Mas deixe as luzes 
 (....) 
 Titãs 
Saiba mais em: http://lazer.hsw.uol.com.br/legiao-urbana1.htm 
http://musicaecinema.com/legiao-urbana-biografia-e-discografia-da-banda/ 
 
 
d- Entregue as cópias da letra 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Música: Oração ao tempo 
 
Caetano Veloso: Oração ao tempo - 1980 
Interpretação de Maria Gadu. 
 
Caetano Veloso (1942) é um músico brasileiro, um dos 
criadores do Movimento Tropicalista no Brasil, sendo 
um dos músicos mais influentes do país. Criou e cantou 
canções destacadas como “Sozinho” (intérprete), 
“Leãozinho”, “Você é Linda” e "Sampa”. 
Caetano Emanuel Vianna Telles Veloso (1942) nasceu 
em Santo Amaro da Purificação, na Bahia, no dia 07 de 
agosto de 1942. Filho de José Veloso, funcionário dos 
Correios e Telégrafos, e de Dona Canô, com 14 anos foi com a família para o Rio de 
Janeiro, onde assistia aos programas de rádio de César de Alencar, Manuel 
Barcelos e Paulo Gracindo. 
Uma das figuras mais importantes da música popular brasileira contemporânea, 
Caetano Veloso começou a cantar e tocar violão em Salvador, aonde foi estudar, ao 
lado da irmã Maria Bethânia. Nos anos 60, conheceu Gilberto Gil, Gal Costa e Tom 
Zé, e juntos começaram a fazer shows. 
Disponível em: <https://www.ebiografia.com/caetano_veloso/> 
Acesso em: 20 de novembro de 2016. 
 
 Maria Gadu 
Mayra Corrêa Aygadoux, a Maria Gadú, nasceu em 
São Paulo no dia 4 de dezembro de 1986. Desde 
os sete anos, ela já gravava músicas em fitas 
cassete e, após alguns meses de aulas de violão, 
começou a compor suas próprias canções. 
Com 13 anos, Gadú passou a tocar em bares e 
festas. Sobre essa época, ela diz que tocava quase 
todas as noites e, por isso, se sentia um pouco 
Saiba mais em: https://www.ebiografia.com/chico_buarque/ 
http://educacao.uol.com.br/biografias/caetano-veloso.htm 
http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT731625-1655,00.html 
http://www.purepeople.com.br/famosos/maria-gadu_p2414 
distante da realidade de adolescente que deveria estar vivendo. 
Em 2008, após um giro pela Europa, ela foi morar no Rio de Janeiro, onde continuou 
a se apresentar em bares da Barra da Tijuca. Lá, conheceu artistas da rede Globo, 
que abriram para ela as portas da emissora. A convite do diretor Jayme Monjardim, 
Gadú apareceu cantando na série “Maysa – Quando Fala o Coração”, da emissora 
carioca, e uma música sua entrou para a trilha sonora do programa. 
Logo após “Maysa”, Gadú assinou contrato com a Som Livre, da Globo. A gravadora 
lançou o primeiro álbum da artista, intitulado “Maria Gadú”, em 2009. 
O trabalho de Gadú e suas apresentações atraíram grandes nomes da música 
brasileira como João Donato, Milton Nascimento e Caetano Veloso. “Prevejo um 
caminho iluminado para ela. Gosto muito do estilo, da personalidade e da voz da 
Maria”, disse João Donato em entrevista ao “Globo”. “Como eu, que comecei a 
compor aos sete anos, ela faz música desde criança”, completou o músico, que 
presenteou Gadú com uma letra para ela musicar. 
Disponível em: <http://gente.ig.com.br/mariagadu/#topoBiografia> Acesso em 20 de 
Novembro de 2016. 
Atividade 2 
a- Apresente o vídeo com a música 
Vídeo: Música: Oração ao tempo 
 Intérprete: Maria Gadu 
 Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=c4f8fxrY6Bs > Acesso em: 20 de 
 novembro 2016; 
 
b- Realize novamente uma reflexão com os alunos, sobre como o tema – tempo 
é trazido na música de Caetano Veloso. 
c- Nas expressões “És um senhor”, “És um dos deuses” que impressão temos 
sobre o significado e o valor do tempo em nossa vida? 
https://www.ebiografia.com/chico_buarque/
http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT731625-1655,00.html
 
 
 
 
 
 
Oração ao tempo 
És um senhor tão bonito 
Quanto a cara do meu filho 
Tempo tempo tempo tempo 
Vou te fazer um pedido 
Tempo tempo tempo tempo 
Compositor de destinos 
Tambor de todos os ritmos 
Tempo tempo tempo tempo 
Entro num acordo contigo 
Tempo tempo tempo tempo 
Por seres tão inventivo 
E pareceres contínuo 
Tempo tempo tempo tempo 
És um dos deuses mais lindos 
Tempo tempo tempo tempo 
Que sejas ainda mais vivo 
No som do meu estribilho 
Tempo tempo tempo tempo 
Ouve bem o que te digo 
Tempo tempo tempo tempo 
Peço-te o prazer legítimo 
E o movimento preciso 
Tempo tempo tempo tempo 
Quando o tempo for propício 
Tempo tempo tempo tempo 
De modo que o meu espírito 
Ganhe um brilho definido 
Tempo tempo tempo tempo 
E eu espalhebenefícios 
Tempo tempo tempo tempo 
O que usaremos pra isso 
Fica guardado 
 (....) 
Música: Semana que vem 
Pity: Semana que vem - 
 Pitty (1977) é uma cantora brasileira de rock, 
considerada uma das maiores do gênero no Brasil. 
Priscilla Novaes Leone (1977) nasceu em Salvador, 
Bahia, no dia 7 de outubro de 1977, mas passou sua 
infância em Porto Seguro. Foi influenciada pela música 
do cantor e compositor Raul Seixas através de seu pai, 
que era dono de um bar. Outras influências musicais 
de Pitty foram importantes para a sua carreira musical: 
Elvis Presley, Nirvana, Lou Reed e Metallica. 
Entre 1995 e 1997, Pitty fez parte da banda Shes 
tocando bateria, e da banda a Inkoma, de 1995 até 2001. 
Pitty foi aluna de música da Universidade Federal da Bahia. Lá, fez contatos com o 
produtor Rafael Ramos, conhecido por produzir bandas como os Raimundos. 
A partir de 2003, passou a cantar em outra banda, Pitty, que levava o seu nome. Foi 
uma das bandas de rock mais bem sucedidas a partir da década de 2000, vendendo 
cerca de 5 milhões de álbuns. 
Seu disco de estreia “Admirável Chip Novo” (2003), foi o álbum de rock mais vendido 
do ano. A cantora repetiu o feito anterior com o “Anacrônico” (2005). Em 2007, 
lançou o álbum “{Des} Concerto ao Vivo", numa parceria com a marca de aparelhos 
eletrônicos Nokia, o que lhe rendeu o prêmio “Celular de Platina”. Com o álbum 
“Chiaroscuro” (2009), teve o single “Me Adora” como uma das canções mais 
escutadas do ano. Em 2010, lançou seu 2º álbum ao vivo, gravado no Rio de 
Janeiro, o “Trupe Delirante”, que foi indicado como melhor álbum de rock pelo 
Grammy Latino. 
Disponível em: <https://www.ebiografia.com/pitty/> Acesso em: 20 de novembro de 2016. 
Atividade 3 
a- Apresente o Vídeo da música: 
Vídeo: Música: Semana que vem 
Saiba mais em: https://pensador.uol.com.br/autor/pitty/biografia/ 
https://www.youtube.com/watch?v=AhGbgJpJEEk 
https://www.vagalume.com.br/pitty/biografia/ 
 
 
Intérprete: Pity : 
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=t_7Fc_wZgEM> Acesso em: 20 de 
novembro 2016; 
 
b- Ouvir a música e observar e questionar sobre o ritmo, qual das músicas 
anteriores era do mesmo ritmo? É possível identificar mais algum aspecto 
semelhante entre elas, além do ritmo? 
c- Que outros ritmos você conhece? Quais? 
d- Em relação ao tempo, em ambas é enfatizado como algo que “urge” que 
passa muito rápido. Como o “tempo perdido” deve ser aproveitado em cada 
uma delas e por quê? 
e- O que o autora quis dizer com os versos ‘‘Não deixe nada pra depois”, “ não 
deixe o tempo passar” “não deixe nada pra semana que vem”. 
 
 
https://www.youtube.com/watch?v=t_7Fc_wZgEM
 
 
 
 
 
 
 
 
Semana que vem 
Amanhã eu vou revelar 
Depois eu penso em aprender 
Daqui a uns dias eu vou dizer 
O que me faz querer gritar 
Aaaaaaaaaaah! 
No mês que vem tudo vai melhorar 
Só mais alguns anos e o mundo vai mudar 
Ainda temos tempo até tudo explodir 
Quem sabe quanto vai durar 
Aaaaaaaaaaah! 
Não deixe nada pra depois 
Não deixe o tempo passar 
Não deixe nada pra semana que vem 
Porque semana que vem pode nem chegar 
Pra depois, o tempo passar 
Não deixe nada pra semana que vem 
Porque semana que vem pode nem chegar 
A partir de amanhã eu vou discutir 
Da próxima vez eu vou questionar 
Na segunda eu começo a agir 
Só mais duas horas pra eu decidir 
Não deixe nada pra depois 
Não deixe o tempo passar 
Não deixe nada pra semana que vem 
Porque semana que vem pode nem chegar 
Pra depois, o tempo passar 
Não deixe nada pra semana que vem 
Porque semana que vem pode nem chegar 
Ah! Ah! Ah! Ah! 
Esse pode ser o último dia de nossas vidas 
Última chance de fazer tudo ter valido a pena 
(....) 
 Pity 
Música: Um novo tempo 
 
Ivan Lins 
Um novo Tempo 
Filho do militar Geraldo Lins, foi muito 
influenciado por diversos gêneros 
musicais como jazz, bossa nova e soul e 
tem como principal instrumento o piano, 
que toca desde os dezoito anos. 
Formou-se em engenharia química no 
final dos anos 60, quando iniciou a 
carreira musical em festivais. A canção O Amor É O Meu País, erroneamente taxada 
de ufanista, foi classificada em segundo lugar consecutivo no V Festival 
Internacional da Canção. O primeiro sucesso como compositor foi com Madalena, 
gravada por Elis Regina. No entanto, Simone é, de forma unânime, considerada a 
maior intérprete. 
Contratado pela gravadora Forma/Philips (que posteriormente transformou-se em 
Polygram até chegar ao nome atual Universal Music) pelo então produtor, o 
compositor Maurício Tapajós, grava três discos pelo selo: Agora, Deixa o trem seguir 
e Quem sou eu? Nesse período, compôs músicas com Ronaldo Monteiro de Souza, 
mas depois teve em Vítor Martins o mais frequente parceiro. A primeira composição 
entre ambos se deu quando do lançamento do quarto LP, Modo livre, pela RCA 
(depois BMG e hoje Sony BMG), gravadora esta que lançaria também o álbum 
subsequente, Chama acesa. Nessa mesma década lançou alguns discos que o 
projetaram nacionalmente. 
Teve inúmeros sucessos como cantor como Abre Alas, Somos todos iguais nesta 
noite e Começar de novo - todas em parceria com Vítor Martins. Começar de novo 
foi gravada por Simone no mesmo ano em que foi composta. Na voz de Simone, 
Começar de novo foi tocada como tema oficial de abertura do seriado Malu Mulher, 
tonando-se um grande sucesso da época e um marco na história da MPB. 
 
Disponível em: < http://www.letras.com.br/biografia/ivan-lins> Acesso em: 20 de novembro 
de 2016. 
 
Saiba mais em: http://memoriasdaditadura.org.br/artistas/ivan-lins/ 
http://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,ivan-lins-vai-ser-tema-de-
biografia,1706954 
 
Atividade 4 
a- Apresente o vídeo da música 
b- Questione – o tempo na música de Ivan Lins apresenta a mesma abordagem 
que nas outras músicas? 
c- Qual sensação esta música nos traz? 
Vídeo: Música: Um novo tempo 
Interprete: Ivan Lins 
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=c4f8fxrY6Bs> Acesso em: 20 de 
novembro de 2016. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Novo tempo 
No novo tempo, apesar dos castigos 
Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos 
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer 
No novo tempo, apesar dos perigos 
Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta 
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver 
Pra que nossa esperança seja mais que a vingança 
Seja sempre um caminho que se deixa de herança 
No novo tempo, apesar dos castigos 
De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga 
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer 
No novo tempo, apesar dos perigos 
De todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados 
 (.....) 
Ivan Lins 
http://memoriasdaditadura.org.br/artistas/ivan-lins/
Círculo de discussão – sobre as músicas 
 
Atividade 5 
a- Qual sensação você teve ao ouvir cada música estudada? 
b- Essa(s) música(s) somente diverte(m) ou faz(em) refletir sobre um tema? 
c- Conhecem o(s) intérprete(s)? E os compositores? O que sabe sobre eles? 
d- O que significa música para vocês? E Agora após as reflexões anteriores, 
mudou alguma coisa em sua maneira de ouvir e pensar sobre as letras? 
e- O que é mais importante quando ouvimos uma música? O ritmo ou a letra? 
f- As músicas que vimos são de compositores brasileiros - Quem conhece um 
pouco dessas musicas o que pode falar sobre elas? 
g- A que contextualização histórica/social temática as músicas ouvidas nos 
remete? 
h- As músicas que trazem mensagens vulgares ou violentas, podem gerar quais 
consequências? 
i- Muitas pessoas são influenciadas por músicas com mensagens ruins, de que 
maneira é possível não se permitir influenciar por essas músicas e suas 
mensagens subjetivas? 
j- Como desenvolver o gosto, aguçar o ouvido para a música como arte e 
ciência? 
k- As músicas devem somentedivertir ou também fazer as pessoas refletirem 
sobre fatos da sociedade? 
Atividade 6 
a- As indagações sustentaram-se no pressuposto de que, quando os estudos da 
língua estão vinculado às situações em que é utilizada, os alunos tem maiores 
condições de argumentar e expor a sua opinião, pois, na verdade, estarão 
envolvidos num processo de reflexão sobre um assunto com o qual convivem. 
Solicite aos alunos a produção de um pequeno texto em que eles possam 
argumentar sobre: “ Ouvir música é sentir ..... 
 
 
 
Oficina 4- A poesia e o TEMPO 
 
Objetivos: 
- Conhecer os poetas – Mario Quintana e Carlos Drummomnd de Andrade 
- Reconhecer o gênero poema 
- Identificar o tema 
- Relacionar o tema a outros textos 
Caro (a) professor (a): 
 Professor, a poesia possui uma linguagem lúdica, por isso representa 
um gênero textual muito rico e bastante utilizado. Tem como finalidade 
provocar sentimentos e emoções o que torna o aprendizado mais 
dinâmico e significativo, por isso sugerimos a poesia de para Mário 
Quintana e Carlos Drummond para que você provoque nos alunos uma 
reflexão sobre o “tempo” a partir das fases de vida de um ser humano. 
 Prepare o ambiente, lembre-se! Uma poesia deve ser lida com emoção 
poética, por isso, faça você a primeira leitura e solicite que os alunos 
observem a sua entonação de voz. 
 Distribua uma cópia da poesia para que eles possam colar no caderno 
de Língua Portuguesa e posteriormente realizar 
 As atividades escritas, registre na lousa ou então escreva em um 
cartaz. 
 
Professor(a): 
 Apresente a biografia dos autores: Mario Quintana e Carlos Drummond de 
Andrade; 
 Entregue uma cópia dos poemas para os alunos e faça uma leitura oral; 
 Apresente os vídeos e realize as atividades a seguir; 
 
Saiba mais sobre os autores: 
Mario Quintana 
Considerado um poeta ultrassensível, aguçado lirismo, de 
escrita simples, admirador dos temas mundanos. Romântico 
e simbolista seus poemas refletiram muito temas 
sentimentais do mais profundo âmago da alma. 
Mário Quintana foi um importante escritor, jornalista e poeta 
gaúcho. Nasceu na cidade de Alegrete (Rio Grande do Sul) no dia 30 de julho de 
1906. Trabalhou também como tradutor de importantes obras literárias. Com um tom 
irônico, escreveu sobre as coisas simples da vida, porém buscando sempre a 
perfeição técnica. Já na fase adulta, Mário Quintana foi trabalhar na Editora Globo. 
Começou a atuar na tradução de obras literárias. Durante sua vida traduziu mais de 
cem obras da literatura mundial. Com 34 anos de idade lançou-se no mundo da 
poesia. Faleceu na capital gaúcha no dia 5 de maio de 1994, deixando uma herança 
de grande valor em obras literárias. 
Disponível em: <http://www.suapesquisa.com/biografias/mario_quintana.htm> Acesso em: 20/11/2016 
 
Carlos Drummond de Andrade 
 
Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro 
- MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros 
em decadência, estudou na cidade de Belo Horizonte e com os 
jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi 
expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo 
Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do 
Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente 
movimento modernista mineiro. 
Ante a insistência familiar para que obtivesse um diploma, formou-se em farmácia na 
cidade de Ouro Preto em 1925. Fundou com outros escritores A Revista, que, 
apesar da vida breve, foi importante veículo de afirmação do modernismo em Minas. 
Ingressou no serviço público e, em 1934, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde 
foi chefe de gabinete de Gustavo Capanema, ministro da Educação, até 1945. 
Passou depois a trabalhar no Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e 
se aposentou em 1962. Desde 1954 colaborou como cronista no Correio da Manhã 
e, a partir do início de 1969, no Jornal do Brasil. 
A dominante é a individualidade do autor, poeta da ordem e da consolidação, ainda 
que sempre, e fecundamente, contraditórias. Torturado pelo passado, assombrado 
com o futuro, ele se detém num presente dilacerado por este e por aquele, 
testemunha lúcida de si mesmo e do transcurso dos homens, de um ponto de vista 
melancólico e cético. Mas, enquanto ironiza os costumes e a sociedade, 
asperamente satírico em seu amargor e desencanto, entrega-se com empenho e 
requinte construtivo à comunicação estética desse modo de ser e estar. 
Vem daí o rigor, que beira a obsessão. O poeta trabalha sobretudo com o tempo, em 
sua cintilação cotidiana e subjetiva, no que destila do corrosivo. 
Alvo de admiração irrestrita, tanto pela obra quanto pelo seu comportamento como 
escritor, Carlos Drummond de Andrade morreu no Rio de Janeiro RJ, no dia 17 de 
agosto de 1987, poucos dias após a morte de sua filha única, a cronista Maria 
Julieta Drummond de Andrade. 
Disponível em: <http://www.releituras.com/drummond_bio.asp> Acesso em 20 de novembro de 2016. 
 
Conhecendo os poemas: 
 
Atividade 1 
a - O vídeo 1 traz uma breve biografia, além de comentar quem foi Mário Quintana, é 
possível apresentar aos alunos. 
Vídeo 1- Biografia autor: 
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Yl9z_uMoKek> Acesso em 20 de 
novembro de 2016 
 
b - O vídeo 2 traz a narração do Poema, após assistir realizar as anotações: 
Vídeo 2 - Poema do tempo – Mario Quintana 
Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=goUWkM_89TY> Acesso em: 
20 de novembro de 2016. 
 
https://www.youtube.com/watch?v=Yl9z_uMoKek
https://www.youtube.com/watch?v=goUWkM_89TY
 
 
C – O vídeo 3 traz um poema do autor Carlos Drummond de Andrade: 
Vídeo 3 – Poema o Tempo – Carlos Drummond de Andrade 
Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=lB5mB8gGd2s> Acesso em: 20 de 
novembro de 2016. 
 
O Tempo 
A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. 
Quando se vê, já são seis horas! 
Quando de vê, já é sexta-feira! 
Quando se vê, já é natal... 
Quando se vê, já terminou o ano... 
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. 
Quando se vê passaram 50 anos! 
Agora é tarde demais para ser reprovado... 
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o 
relógio. 
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca 
dourada e inútil das horas... 
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... 
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta 
de tempo. 
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. 
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, 
nunca mais voltará. 
(....) 
Mario Quintana 
http://bypoesia.blogspot.com.br/2009/03/o-tempo-mario-quintana.html 
 
 
https://www.youtube.com/watch?v=lB5mB8gGd2s
 
 
Dialogando com os poemas, as horas 
e o tempo... 
Atividade 2 
Professor(a): 
 Em seguida, após abordar o poema aborde também algumas ações 
cotidianas do dia. O diálogo ou registro dos horários de atividades 
cotidianas dos alunos auxilia na construção de ideias relacionadas 
com a passagem do tempo. Então, questione: 
 
Cortar o tempo 
Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, 
a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. 
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da 
exaustão. 
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os 
pontos. 
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com 
outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai 
ser diferente... 
(....) 
Carlos Drummond de Andrade 
http://carlosdrummondagora.blogspot.com.br/2012/06/poemacortar-o-tempo-
carlos-drummond.html 
 
a- Vocês acham que o tempo passa depressa? 
b- O que vocês fazem no dia a dia que não podem se atrasar? 
c- A que horas vocês costumam levantar? 
d- E o café da manhã, vocês tomam a que horas? 
e- Que horas vocês saem de casa para vir para escola? 
f- Que horas vocês costumam dormir? 
g- Esse é o poema chamadoCortar o tempo de Carlos Drummond de Andrade e 
que fala justamente da divisão do ano. Ele é bastante interessante, pois fala 
da esperança que todos temos ao iniciar um novo ano. Sempre falamos que 
esse novo ano vai ser diferente e acreditamos em uma renovação. Isto faz 
relembrar algum dos textos estudados anteriormente? Qual? Justifique? 
h- Leia o poema Cortar o tempo e selecione a frase que achou mais reflexiva. 
 
Oficina 5- A hora do Filme 
Objetivo: 
- Reconhecer o gênero – filme 
- Identificar à temática e sua influência na formação do caráter do personagem 
- Inferir a relação temática com outros textos estudados. 
 
Caro (a) professor (a): 
 Lidar com o tempo na sociedade contemporânea tem sido um dos 
maiores desafios que o homem tem enfrentado. Desde a Revolução 
Industrial foram criados inúmeros artifícios que teoricamente deveriam 
permitir que conseguíssemos dispôr de mais horas para nossas 
atividades fora do trabalho, no entanto, o que podemos perceber é que 
há mais e mais pessoas reclamando continuamente da falta de tempo 
para o lazer, para a família, para novos estudos e por aí afora. 
 
 
 
 
 
Contextualizando o Filme: 
 
Sinopse: Tudo vai sendo exageradamente 
marcado para nos mostrar as pequenas 
mudanças, inclusive com o destino de um certo 
mendigo. Tanto os momentos de revolta quanto 
os de aprendizados de Phil são divertidos de 
acompanhar. A cena da perseguição da polícia, 
as aulas de piano, o garoto que cai da árvore, o 
ex-colega, o mendigo. Tudo vai sendo 
construído em experiências únicas que vão 
tornando Phil um ser humano melhor. Não 
apenas por repetir a exaustão as possibilidades, 
mas por aprender a deixar de olhar apenas para 
si e olhar para o outro. 
Feitiço do Tempo é um filme despretensioso. Divertido e envolvente, marcou uma 
época e foi repetido a exaustão na televisão em uma quase metáfora do Dia da 
Marmota em seu ciclo aparentemente infinito. Daqueles para conferir quando se 
quer divertir ainda tem suas lições de vida. 
Feitiço do Tempo (Groundhog Day, 1993 / EUA) 
Direção: Harold Ramis 
Roteiro: Danny Rubin, Harold Ramis 
Com: Bill Murray, Andie MacDowell, Chris Elliott 
Duração: 101 min. 
Disponível em: <http://www.cinepipocacult.com.br/2014/08/feitico-do-tempo.html> Acesso em 15 de 
outubro de 2016. 
 
Professor(a): 
 Converse com os alunos sobre o Filme que irão assistir - E se 
tivéssemos a nossa disposição a possibilidade de viver um mesmo dia 
outras vezes, em quantidade suficiente para que conseguíssemos 
corrigir os erros cometidos, aperfeiçoar ainda mais os nossos atos, ter 
um melhor relacionamento com as pessoas, e principalmente para que 
nossas vidas fossem mais interessantes e estimulantes.... essa é a 
questão que carrega a trama do filme “ O Feitiço do Tempo” 
Atividade 1 
a- Reserve um horário especial para assistirem o Filme 
Atividade 2 
Realize os questionamentos após o filme: 
a- Phil Connors parece ter ficado preso no tempo, exatamente dia que lhe 
parece o mais odiável entre todos os de sua vida. Qual é a reação( 
comportamento) dele perante esta situação? 
b- Se você estivesse preso ao tempo o que faria? Em que mudaria? 
c- Se não houvesse amanhã...O que você faria hoje? 
d- Reflita: “ Será que não estamos desperdiçando o tempo com atividades fúteis 
(desnecessárias)? Estamos dedicando atenção à nossa família e aos nossos 
amigos? Estamos nos preparando bem nos estudos e pensando no futuro? 
Estamos à procura da felicidade? Qual é o caminho certo ou a melhor 
maneira para realizamos nossos sonhos e concretizarmos nossos ideais? 
e- O filme retoma a temática que analisamos em diversos gêneros textuais, em 
suas diversas modalidades, onde todos realizaram um diálogo intertextual. 
Pensando na temática que foi estudada, qual dos textos anteriores estabelece 
uma relação mais intrínseca com o Filme “O feitiço do tempo”. Justifique. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Oficina 6 – É tempo de produzir 
 
Objetivo 
 
- Escrever um texto – gênero Poema ou Paródia 
- Organizar o texto em forma de poema ou paródia 
- Produzir um vídeo com o texto que foi escrito. 
- Publicar na página do You Tube. 
 
Caro (a) professor (a): 
 A finalização das atividades consiste em produzir um texto para que 
seja transformado em um vídeo. 
 O aluno deve escolher alguma das formas acima para apresentar o 
trabalho final das atividades referentes ao projeto. 
 O texto deve conter reflexões sobre a importância de saber utilizar o 
Tempo em nossa vida com sabedoria e sucesso. 
 Alguns de seus alunos precisarão de auxílio na produção dos vídeos, 
porém toda sala de aula tem alguns alunos com mais experiência em 
tecnologia, deixem que compartilhem os conhecimentos e que que 
ajudem uns aos outros. 
 
Professor(a): 
 Escrever um texto /poema com o tema tempo transformá-lo em vídeo 
 Fazer uma Paródia de uma das músicas trabalhadas e gravar o vídeo. 
 Respondendo como devo “aproveitar” o meu tempo em vida? 
 
Dicas para construção da 
canção/paródia e poesia 
 
Verso: cada linha de uma música ou poesia. 
Estrofe: agrupamento de versos. 
Refrão: é a parte de uma canção ou poesia que se repete várias vezes. 
Rima: igualdade ou semelhança de sons no final de cada verso. 
Metáfora: palavra ou expressão que produz sentidos figurados por meio de 
comparações implícitas. 
Conotação: sentido figurado. 
 
Saiba mais - Paródia 
 
A paródia tem como elemento principal, na maioria das vezes, a comédia, ou seja, a 
partir da estrutura de um poema, música, filme, obras de arte ou qualquer gênero 
que tenha um enredo que possa ser modificado. Mantém-se o esqueleto, isto é, 
características que remetam à produção original, como por exemplo o ritmo – no 
caso de canções – mas modifica-se o sentido. Com cunho, em muitos casos, 
cômico, provocativo e/ou retratação de algum tema que esteja em alta no contexto 
abordado (Brasil, mundo política, esporte, entre outros). 
O novo contexto empregado à estrutura do que já existia passa por um processo de 
intertextualização para o leitor, ouvinte, espectador. Para compreender a intenção da 
paródia, às vezes, é necessário um pré-conhecimento do objeto inicial, por isso, em 
geral, opta-se por parodiar obras que sejam conhecidas pelo público a ser atingido. 
 
Disponível em: <http://www.infoescola.com/generos-literarios/parodia/> Acesso em 01 de 
dezembro de 2016. 
 
Atividade 1 
a- Retomar as anotações feitas durante as oficinas, a partir delas refletir e 
produzir o seu texto. 
b- Apresentar o texto para os colegas. 
c- Realizar a produção do vídeo. 
d- Apresentar o vídeo para os colegas de sala. 
e- Criar uma conta e postar no You Tube. 
 
 
 
 
http://www.infoescola.com/generos-literarios/parodia/
REFERÊNCIAS 
 
CAVALCANTE, M. M. Os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2012. 
 
KOCH, I. G. V. O texto e a construção dos sentidos. São Paulo: Contexto, 2001. 
 
______. Introdução à linguística textual. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 
2009. 
 
______.; ELIAS, V. M. Ler e compreender: os sentidos do texto. São Paulo: 
Cortez, 2008. 
 
MARCUSCHI, L. A. Produção Textual, Análise de Gêneros e Compreensão. São 
Paulo: Parábola Editorial, 2008. 
 
ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo. Multiletramentos na escola. São Paulo: 
Parábola Editorial, 2012.

Outros materiais